Até 2030

Bispos irlandeses comprometem-se a devolver 30% dos terrenos da Igreja à natureza

| 28 Ago 2023

Antes da sua partida para Lisboa, também os jovens participantes da Jornada Mundial da Juventude foram convidados a plantar algumas árvores nativas irlandesas em Dublin. Foto Jane Mellett, via CNA.

Antes da sua partida para Lisboa, também os jovens participantes da Jornada Mundial da Juventude foram convidados a plantar algumas árvores nativas irlandesas em Dublin. Foto © Jane Mellett, via CNA.

 

Inspirados pela encíclica Laudato Si’ e pelas conclusões da COP15, os bispos católicos irlandeses traçaram uma meta para todas as dioceses do seu país: devolver 30% dos terrenos da Igreja à natureza até 2030. Os trabalhos para que este objetivo seja cumprido já arrancaram, avança a Catholic News Agency (CNA).

A primeira tarefa sugerida a todas as paróquias pelo Grupo de Trabalho Laudato Si’ (LSWG, na sigla inglesa) da Conferência Episcopal Irlandesa é o mapeamento e avaliação de todos os seus terrenos, incluindo as áreas verdes que existem em redor da maioria das igrejas.

Um dos objetivos é tornar parte do território da Igreja “um refúgio para polinizadores e biodiversidade”. Para isso, o LSWG sugere que as comunidades paroquiais planem bolbos amigos dos polinizadores, instalem um hotel para abelhas, criem um viveiro de árvores, semeiem arbustos e canteiros de flores, promovam fontes alternativas de energia ou organizem um sistema de reciclagem.

Antes da sua partida para Lisboa, também os jovens participantes da Jornada Mundial da Juventude foram convidados a plantar algumas árvores nativas irlandesas em Dublin.

 

“Um primeiro passo incrível”

Em entrevista à CNA, Ciara Murphy, que trabalha como defensora da política ambiental no Centro Jesuíta para a Fé e Justiça em Dublin, considera a iniciativa dos bispos como “um primeiro passo incrível”.

“Parece uma tarefa simples, mas na verdade é uma iniciativa muito importante porque há muito foco nas emissões e no clima, mas esta iniciativa centra-se especificamente na crise da biodiversidade”, explica considerando que os bispos irlandeses “estão a demonstrar uma liderança muito boa, propondo algo que as paróquias e as comunidades podem realmente apoiar”.

Ciara Murphy acrescenta que já “há muitos exemplos em toda a Irlanda onde as pessoas fizeram mudanças”, como o de uma igreja “onde, em cada batizado e em cada casamento, os pais são presenteados… com uma árvore para plantar em sua casa”.

“E não se trata apenas de administrar o terreno”, acrescenta Murphy. “Pode ser também uma espécie de exercício espiritual trabalhar no jardim, trabalhar na natureza, tentando fomentar algo melhor a partir do que havia ali.”

“Na Laudato Si’ fica muito claro que o cuidado ambiental não é uma opção, é parte integrante da nossa fé”, afirma ainda, lembrando que a defesa do ecossistema “é um bom espaço para unir os grupos da biodiversidade e os grupos paroquiais . É uma ótima maneira de construir comunidades e comunicação”, conclui.

 

Há menos países a aplicar a pena de morte, mas número de execuções foi o mais elevado em quase uma década

Relatório 2023

Há menos países a aplicar a pena de morte, mas número de execuções foi o mais elevado em quase uma década novidade

A Amnistia Internacional (AI) divulgou na madrugada desta quarta-feira, 29 de maio, o seu relatório anual sobre a aplicação da pena de morte a nível mundial, que mostra que em 2023 “ocorreram 1.153 execuções, o que representa um aumento de mais de 30 por cento em relação a 2022”, sendo que “este valor não tem em conta os milhares de execuções que se crê terem sido realizados na China”. Este “foi o valor mais alto registado” pela organização “desde 2015, ano em que houve 1.634 pessoas executadas”.

Há uma “nova vaga de terror contra os cristãos” no Paquistão

Ataques sucedem-se

Há uma “nova vaga de terror contra os cristãos” no Paquistão novidade

O recente ataque a um cristão falsamente acusado de ter queimado páginas do Corão, por uma multidão muçulmana enfurecida, no Paquistão, desencadeou “uma nova vaga de terror” contra a minoria religiosa no país. Depois deste incidente, que aconteceu no passado sábado, 25 de maio, já foram registados outros dois ataques devido a alegados atos de “blasfémia” por parte de cristãos.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

A memória presente em pequenas tábuas

Museu Abade de Baçal

A memória presente em pequenas tábuas novidade

“Segundo uma Promessa” é o título da exposição inaugurada a 18 de maio no Museu Abade de Baçal, em Bragança, e composta por uma centena de pequenos ex-votos, registados em tábuas, que descrevem o autor e o recetor de vários milagres, ao longo dos séculos XVIII e XIX. “O museu tem a obrigação de divulgar e de mostrar ao público algum do património que está disperso pela diocese de Bragança-Miranda”, disse ao 7MONTES Jorge Costa, diretor do museu.

A cor do racismo

A cor do racismo novidade

O que espero de todos é que nos tornemos cada vez mais gente de bem. O que espero dos que tolamente se afirmam como “portugueses de bem” é que se deem conta do ridículo e da pobreza de espírito que ostentam. E que não se armem em cristãos, porque o Cristianismo está nas antípodas das ideias perigosas que propõem.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This