Bispos publicam diretrizes para prevenir e lidar com abusos de crianças e de adultos vulneráveis”

| 2 Jan 2021

Ilustração do artista TVBoy, sobre os abusos sexuais: bispos portugueses querem assumir recentes orientações do Vaticano sobre o tema. Foto: Direitos reservados

 

A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) divulgou nesta sexta-feira, 1 de Janeiro, um documento com que atualiza as diretrizes sobre “Proteção de menores e adultos vulneráveis”, aprovadas na última reunião daquele organismo.

Os bispos da Igreja Católica em Portugal retomam um documento já de 2012, atualizando-o e introduzindo as disposições de documentos recentes do Papa e do Vaticano sobre a matéria da proteção de crianças e adultos vulneráveis (ainda que este conceito não se encontre suficientemente esclarecido).

As diretrizes incidem sobre diferentes aspetos, conferindo nomeadamente uma ênfase especial à questão da formação de agentes pastorais. Essa formação deve incidir sobre “como prevenir o abuso sexual de menores e adultos vulneráveis; como identificar possíveis casos e como agir de modo a que esses casos sejam tratados pela autoridade competente; como promover um ambiente sadio dentro das atividades promovidas pela Igreja, recorrendo a mecanismos que defendam os menores e adultos vulneráveis, nomeadamente em cumprir as boas práticas recomendadas pelas autoridades canónicas e civis no trato com esses menores e adultos vulneráveis”.

No que diz respeito à atividade pastoral, o documento da CEP proíbe terminantemente aos agentes pastorais (dioceses, paróquias, pessoas jurídicas canónicas e outras instituições eclesiais, além dos clérigos, religiosos e leigos envolvidos nas actividades eclesiais), “aplicar qualquer tipo de castigo corporal a menores e adultos vulneráveis”; colocá-los “numa situação potencialmente perigosa para a sua segurança física ou psíquica”; tratá-los de modo “ofensivo” ou “ter comportamentos inapropriados ou com conotações sexuais, sejam essas conotações explícitas ou dissimuladas”; “publicar, por qualquer meio físico ou digital, imagens onde seja possível identificar um ou mais menores ou adultos vulneráveis sem o consentimento dos pais ou tutores”, entre outros aspetos.

Os requisitos a aplicar relativamente à formação dos candidatos ao sacerdócio ministerial e à vida consagrada e à designação de agentes pastorais, assim como a criação e funcionamento de comissões diocesanas que lidam com casos de abuso de crianças e adultos vulneráveis são pontos contemplados no documento, que pretende ser “um renovado compromisso” no acompanhamento e apoio às vítimas de abusos e seus familiares “no âmbito das atividades eclesiais”.

 

Quando os padres não abusadores são as vítimas colaterais dos abusos do clero

Encontro “Cuidar” em Lisboa

Quando os padres não abusadores são as vítimas colaterais dos abusos do clero novidade

“O que encontramos assusta-me: desilusão, depressão, crise existencial, perda de identidade, fim da relação entre presbíteros, perda de confiança na instituição e na hierarquia.” O diagnóstico cáustico é feito ao 7MARGENS pelo padre inglês Barry O’Sullivan, 61 anos, da diocese de Manchester, que estudou o impacto dos abusos sexuais entre os padres não abusadores.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

De 1 a 31 de Julho

Helpo promove oficina de voluntariado internacional

  Encerram nesta sexta-feira, 24 de Junho, as inscrições para a Oficina de Voluntariado Internacional da Helpo, que decorre entre 1 e 3 de Julho. A iniciativa é aberta a quem se pretenda candidatar ao Programa de Voluntariado da Organização Não Governamental para...

Luz e negrume

Luz e negrume novidade

As obras de Pedro Costa, cineasta, Rui Chafes, escultor, e Paulo Nozolino, fotógrafo, e de Simon Hantaï, artista plástico, estão expostas em Paris, respectivamente no Centre Georges Pompidou e na Fundação Louis Vitton. Um autor, identificado como Anonymous, estabelece com elas um diálogo em dois poemas traduzidos por João Paulo Costa, investigador na área de filosofia e autor de À sombra do invisível (Documenta, 2020).

Paróquia de Nossa Senhora da Hora: Ouvir os leigos na nomeação de padres e bispos

Contributos para o Sínodo (23)

Paróquia de Nossa Senhora da Hora: Ouvir os leigos na nomeação de padres e bispos novidade

Os leigos devem ser ouvidos nos processos de nomeação de párocos e de escolha dos bispos e a Igreja deve ter uma lógica de reparação da situação criada pelos abusos de menores. Evitar o clericalismo e converter os padres a uma Igreja minoritária, pobre, simples, dialogante, sinodal é outra das propostas do Conselho Paroquial de Pastoral da Paróquia de Nossa Senhora da Hora (Matosinhos).

Saúde mental dos jovens: a urgência de um novo paradigma

Saúde mental dos jovens: a urgência de um novo paradigma novidade

A saúde mental dos jovens tem-se vindo a tornar, aos poucos, num tema com particular relevância nas reflexões da sociedade hodierna, ainda que se verifique que estas possam, muitas das vezes, não resultar em concretizações visíveis e materializar em soluções para os problemas que afetam os membros desta mesma sociedade. A verdade é que, apesar de todos os esforços por parte dos profissionais de saúde e também das pessoas, toda a temática é, ainda, envolvida por uma “bolha de estigmas”, o que a transforma numa temática-tabu.

Agenda

There are no upcoming events.

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This