Abusos sexuais

Bispos timorenses dizem que irão cooperar com eventuais processos judiciais sobre Ximenes Belo

| 30 Set 2022

O primeiro-ministro de Timor-Leste, Taur Matan Ruak, com os bispos do pais, na assinatura de um protocolo de cooperação entre Governo e Igreja Católica, que atribui 15 milhões de dólares à Igreja para obras educativas e sociais, entre outras. 17 de Maio 2022. Foto reproduzida do Facebook.

Os bispos timorenses com o primeiro-ministro do país, Taur Matan Ruak, em Maio deste ano: a Conferência Episcopal manifesta-se disponível para colaborar com as autoridades. Foto reproduzida do Facebook.

 

Os bispos timorenses garantiram que irão respeitar e cooperar com qualquer processo judicial que venha a ser iniciado na sequência das acusações de abusos sexuais que terão sido cometidos pelo bispo emérito de Díli, Ximenes Belo.

“Quando eventualmente for instalado o processo judicial em Timor-Leste, a Conferência Episcopal Timorense vai respeitar e cooperar com o processo da justiça”, lê-se num comunicado da Conferência Episcopal Timorense (CET), referido pela Lusa, por sua vez citada na RTP.

“As acusações estão sendo actualmente examinadas pelos órgãos competentes da Santa Sé, Vaticano”, acrescenta o texto, assinado pelo bispo de Maliana, Norberto do Amaral, presidente da CET.

As queixas foram divulgadas na quarta-feira, 28 de Setembro, pela revista semanal dos Países Baixos De Groene Amsterdammer, conforme o 7MARGENS noticiou.

Como no tempo em que os abusos terão ocorrido não havia conferência episcopal em Timor, Ximenes Belo dependia directamente do Vaticano. Além disso, como diz o comunicado dos bispos, uma vez que se trata de abuso cometido por um clérigo, o caso é tratado pela Congregação para a Doutrina da Fé (CDF), da Santa Sé.

O texto, ainda de acordo com as mesmas fontes, refere que a CET aprovou há um ano várias normas para a protecção de pessoas vulneráveis, que foram já confirmadas pela CDF, em carta de 1 de Dezembro de 2021. E é este organismo que tem competência para iniciar um eventual processo, diz o documento.

Na quinta-feira, o porta-voz do Vaticano informou que o bispo Ximenes Belo foi sujeito a sanções nos últimos dois anos, que incluem limites aos movimentos do bispo e ao exercício do seu ministério, bem como a proibição de manter contactos voluntários com menores ou com Timor-Leste.

Ximenes Belo anunciou, em Novembro de 2002, que abandonava o cargo de bispo de Díli, alegando problemas de saúde: “Estou a sofrer de fadiga mental e física, o que requer um longo período de recuperação”, referiu na ocasião.

 

Catarina Pazes: “Sem cuidados paliativos, não há futuro para o SNS”

Entrevista à presidente da Associação Portuguesa

Catarina Pazes: “Sem cuidados paliativos, não há futuro para o SNS” novidade

“Se não prepararmos melhor o nosso Serviço Nacional de Saúde do ponto de vista de cuidados paliativos, não há maneira de ter futuro no SNS”, pois estaremos a gastar “muitos recursos” sem “tratar bem os doentes”. Quem é o diz é Catarina Pazes, presidente da Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos (APCP) que alerta ainda para a necessidade de formação de todos os profissionais de saúde nesta área e para a importância de haver mais cuidados de saúde pediátricos.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Bahá’ís plantam árvores em Lisboa, para que a liberdade religiosa floresça em todo o mundo

Em memória das "dez mulheres de Shiraz"

Bahá’ís plantam árvores em Lisboa, para que a liberdade religiosa floresça em todo o mundo

Quem passar pela pequena zona ajardinada junto ao Centro Nacional Bahá’í, na freguesia lisboeta dos Olivais, vai encontrar dez árvores novas. São jacarandás e ciprestes, mas cada um deles tem nome de mulher e uma missão concreta: mostrar – tal como fizeram as mulheres que lhes deram nome – que a liberdade religiosa é um direito fundamental. Trata-se de uma iniciativa da Junta de Freguesia local, em parceria com a Comunidade Bahá’í, para homenagear as “dez mulheres de Shiraz”, executadas há 40 anos “por se recusarem a renunciar a uma fé que promove os princípios da igualdade de género, unidade, justiça e veracidade”.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This