Sondagem

Brasil deixa de ter maioria católica 

| 20 Jan 2022

Catedral de São Sebastião do Rio de Janeiro. Foto © Motoki UEMURA(JPN), CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons

 

Algures durante este ano a maioria da população brasileira deixará de se afirmar maioritariamente como católica, revela um trabalho do Wall Street Journal, citado pela edição da Vida Nueva de 20 de janeiro. O instituto brasileiro Datafolha (grupo Globo) estimava que, em janeiro de 2020, 51 por cento dos brasileiros eram católicos, muito à frente dos que se reconheciam no protestantismo (31%). Ano e meio depois os números serão outros.

Esta é a perspetiva dos demógrafos consultados pelo jornal e, assim, o maior país católico do mundo seguirá as pisadas do Uruguai, país em que os católicos deixaram de ser a maioria da população em 2018. Um pouco mais de 41 por cento de todos os católicos do mundo residem na região da América Latina e Caribe.

Em 1970, cerca de 6,8 milhões de brasileiros identificavam-se como pentecostais; 50 anos depois este número subiu para 46,7 milhões, sete vezes mais.

 

Os confins da fenomenologia

Emmanuel Falque na Universidade de Coimbra novidade

Reflectir sobre os confins da fenomenologia a partir do projecto filosófico de Emmanuel Falque é o propósito da Jornada Internacional de Estudos Filosóficos, “O im-pensável: Nos confins da fenomenalidade”, que decorrerá quinta-feira, dia 26 de Maio, na Universidade de Coimbra (FLUC – Sala Vítor Matos), das 14.00 às 19.00. O filósofo francês intervirá no encerramento da iniciativa.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

“A grande substituição”

[Os dias da semana]

“A grande substituição” novidade

Outras teorias da conspiração não têm um balanço igualmente inócuo para apresentar. Uma delas defende que estamos perante uma “grande substituição”; não ornitológica, mas humana. No Ocidente, sustentam, a raça branca, cristã, está a ser substituída por asiáticos, hispânicos, negros ou muçulmanos e judeus. A ideia é velha.

Humanizar não é isolar

Humanizar não é isolar novidade

É incontestável que as circunstâncias de vida das pessoas são as mais diversas e, em algumas situações, assumem contornos improváveis e, muitas vezes, indesejáveis. À medida que se instalam limitações resultantes ou não de envelhecimento, alguns têm de habitar residências sénior, lares de idosos, casas de repouso,…

Agenda

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This