Reportagem a dois dias das eleições

Brasil, planeta fome

| 30 Set 2022

julio lancellotti

Coordenador da Pastoral do Povo de Rua da Arquidiocese de São Paulo, o padre Júlio Lancellotti trabalha há mais de 30 anos no apoio aos mais pobres e vulneráveis da cidade. Foto reproduzida da conta do próprio no Instagram.

 

No início, ouvimos uma voz que pergunta e responde: “De que planeta você veio? Planeta fome.” O padre Renato Júlio Lancellotti, de origem italiana mas nascido em São Paulo, aparece a empurra um carrinho de supermercado com caixas que embalam pensos higiénicos para as mulheres que vivem na rua.

A repórter Isabel Meira descreve a cena na Moca, zona leste de São Paulo, e o ritual diário que se segue à missa das 7 da manhã: o padre Júlio Lancellotti veste uma bata branca, um avental com a imagem de Santa Dulce dos Pobres e sai com três voluntários para servir o pequeno-almoço aos sem-abrigo – cenas semelhantes já descritas no 7MARGENS numa reportagem de Tony Neves.

“Este é o Brasil real”, diz para a repórter. Uma realidade que inclui 700 pessoas só numa manhã para comer uma banana e um pão.

No momento em que o Brasil vai a votos (no próximo domingo), os índices de fome e pobreza podem ditar quem será o próximo presidente, diz a sinopse da reportagem. E esses índices dizem-se com números: o país voltou ao mapa da fome das Nações Unidas e mais de 180 mil pessoas moram na rua, recorda a sinopse da reportagem. Só na cidade de São Paulo, são mais de 40 mil pessoas, de acordo com os dados mais recentes do Observatório brasileiro que acompanha a população em situação de sem-abrigo.

A reportagem refere também a colaboração existente entre as comunidades católica e muçulmana – esta abriu as portas da mesquita para que pessoas sem-abrigo ali possam dormir.

O trabalho da jornalista Isabel Meira pode ser ouvido nesta ligação.

 

Por um mundo que acolha as pessoas refugiadas

Dia Mundial do Refugiado

Por um mundo que acolha as pessoas refugiadas novidade

Dia 20 de Junho é dia de homenagearmos todos aqueles e aquelas que, através do mundo, se veem obrigados e obrigadas a fugirem do seu lar, a suspenderem a vida e a interromperam os seus sonhos no lugar que é o seu. Este é o dia de homenagearmos a força e a coragem desses homens e mulheres – tantos jovens e crianças, meu Deus! – que arriscam a vida na procura de um lugar que os acolha.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Reunião do Conselho dos Cardeais com o Papa voltou a contar com três mulheres

Uma religiosa e duas leigas

Reunião do Conselho dos Cardeais com o Papa voltou a contar com três mulheres novidade

Pela quarta vez consecutiva, o papel das mulheres na Igreja voltou a estar no centro dos trabalhos do Papa e do seu Conselho de Cardeais – conhecido como C9 -, que se reuniu no Vaticano nos últimos dois dias, 17 e 18 de junho. Tratou-se de uma reflexão não apenas sobre as mulheres, mas com as mulheres, dado que – tal como nas reuniões anteriores – estiveram presentes três elementos femininos naquele que habitualmente era um encontro reservado aos prelados.

Liga Operária Católica apela aos trabalhadores que se sindicalizem

Reunida em Seminário Internacional

Liga Operária Católica apela aos trabalhadores que se sindicalizem novidade

“Precisamos que os sindicatos sejam mais fortes e tenham mais força nas negociações e apelamos a todos os os trabalhadores a unirem-se em volta das suas associações”. A afirmação é dos representantes da Liga Operária Católica/Movimento de Trabalhadores Cristãos (LOC/MTC), que estiveram reunidos no passado fim de semana no Museu da Central do Caldeirão, em Santarém, para o seu Seminário Internacional.

Escravatura e racismo: faces da mesma moeda

Escravatura e racismo: faces da mesma moeda novidade

Nos últimos tempos muito se tem falado e escrito sobre escravatura e racismo no nosso país. Temas que nos tocam e que fazem parte da nossa história os quais não podemos esconder. Não assumir esta dupla realidade, é esconder partes importantes da nossa identidade. Sim, praticámos a escravatura ao longo de muitos séculos, e continuamos a fechar os olhos a situações de exploração de pessoas imigradas, a lembrar tempos de servidão.[Texto de Florentino Beirão]

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This