Reportagem a dois dias das eleições

Brasil, planeta fome

| 30 Set 2022

julio lancellotti

Coordenador da Pastoral do Povo de Rua da Arquidiocese de São Paulo, o padre Júlio Lancellotti trabalha há mais de 30 anos no apoio aos mais pobres e vulneráveis da cidade. Foto reproduzida da conta do próprio no Instagram.

 

No início, ouvimos uma voz que pergunta e responde: “De que planeta você veio? Planeta fome.” O padre Renato Júlio Lancellotti, de origem italiana mas nascido em São Paulo, aparece a empurra um carrinho de supermercado com caixas que embalam pensos higiénicos para as mulheres que vivem na rua.

A repórter Isabel Meira descreve a cena na Moca, zona leste de São Paulo, e o ritual diário que se segue à missa das 7 da manhã: o padre Júlio Lancellotti veste uma bata branca, um avental com a imagem de Santa Dulce dos Pobres e sai com três voluntários para servir o pequeno-almoço aos sem-abrigo – cenas semelhantes já descritas no 7MARGENS numa reportagem de Tony Neves.

“Este é o Brasil real”, diz para a repórter. Uma realidade que inclui 700 pessoas só numa manhã para comer uma banana e um pão.

No momento em que o Brasil vai a votos (no próximo domingo), os índices de fome e pobreza podem ditar quem será o próximo presidente, diz a sinopse da reportagem. E esses índices dizem-se com números: o país voltou ao mapa da fome das Nações Unidas e mais de 180 mil pessoas moram na rua, recorda a sinopse da reportagem. Só na cidade de São Paulo, são mais de 40 mil pessoas, de acordo com os dados mais recentes do Observatório brasileiro que acompanha a população em situação de sem-abrigo.

A reportagem refere também a colaboração existente entre as comunidades católica e muçulmana – esta abriu as portas da mesquita para que pessoas sem-abrigo ali possam dormir.

O trabalho da jornalista Isabel Meira pode ser ouvido nesta ligação.

 

“E tu, falas com Jesus?”

“E tu, falas com Jesus?” novidade

Em matéria de teologia, tendo a sentir-me mais próxima do meu neto X, 6 anos, do que da minha neta F, de 4. Ambos vivem com os pais e uma irmã mais nova em Londres. Conto dois episódios, para perceberem onde quero chegar. Um dia, à hora de deitar, o X contou à mãe que estava “desapontado” com o seu dia. Porquê? Porque não encontrara o cromo do Viktor Gyokeres, jogador do Sporting, um dos seus ídolos do futebol; procurou por todo o lado, desaparecera. Até pedira “a Jesus” para o cromo aparecer, mas não resultou. [Texto de Ana Nunes de Almeida]

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Fundadora da Comunidade Loyola castigada pelo Vaticano é ministra da comunhão em Braga

Decreto de extinção a marcar passo?

Fundadora da Comunidade Loyola castigada pelo Vaticano é ministra da comunhão em Braga novidade

A pouco mais de três meses de se completar um ano, prazo dado pelo Vaticano para extinguir a Comunidade Loyola, um instituto de religiosas fundado por Ivanka Hosta e pelo padre Marko Rupnik, aparentemente tudo continua como no início, com as casas a funcionar normalmente. No caso da comunidade de Braga, para onde Ivanka foi ‘desterrada’ em meados de 2023, por abusos de poder e espirituais, a “irmã” tem mesmo estado a desenvolver trabalho numa paróquia urbana, incluindo como ministra extraordinária da comunhão, com a aparente cobertura da diocese.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This