CML aprova modelo esta quarta-feira

Câmara de Lisboa vai investir mais de 30 milhões de euros na JMJ

| 13 Set 2022

jmj visita obras marcelo Foto reproduzida da página no Twitter do GMAAP

Visita do Presidente da República com a ministra dos Assuntos Parlamentares e os presidentes das câmaras de Lisboa e Loures aos terrenos da JMJ, em Agosto, marcando o fim do conflito sobre os custos da JMJ. Foto reproduzida da página no Twitter do GMAAP

 

A Câmara Municipal de Lisboa (CML) prevê investir “mais de 30 milhões de euros” na Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Lisboa 2023 (JMJ), revelou o vice-presidente da autarquia nesta terça-feira, 13 de setembro, adiantando que o processo de repartição de responsabilidades já “foi concluído”.

“Está em avaliação, mas estimamos que sejam mais de 30 milhões de euros”, indicou à Lusa, citada na Visão, o vice-presidente da CML, Filipe Anacoreta Correia (CDS-PP), que tem a competência executiva de preparação e organização da JMJ de Lisboa.

Nesta quarta-feira, 14, em reunião privada do executivo camarário, Anacoreta Correia vai apresentar uma proposta para “aprovar o modelo organizativo e estrutural no âmbito das competências da CML referentes à realização da Jornada Mundial da Juventude Lisboa 2023”, na qual se lê que “foi concluído o processo de clarificação das diferentes incumbências a todas as entidades envolvidas” na organização do evento.

Em 29 de julho, a CML indicou que dispõe de 21 milhões de euros aprovados para a JMJ e está disponível para investir “até um total de 35 milhões de euros”.

Essa informação foi transmitida ao primeiro-ministro, António Costa, através de uma missiva, defendendo que os compromissos do Estado devem ser “no mínimo paritários” com o esforço da autarquia e lembrando que em outros grandes eventos em Portugal “os apoios do Governo foram claros”.

Já no início de agosto, no âmbito de uma segunda visita aos terrenos que vão acolher o evento, nas duas margens do rio Trancão, entre Lisboa e Loures, a ministra Adjunta e dos Assuntos Parlamentares, Ana Catarina Mendes, responsável no Governo pelo grupo de projeto para a JMJ, recusou falar sobre o valor total estimado para a realização do evento, sem prestar quaisquer declarações quando questionada pelos jornalistas, nomeadamente sobre a repartição de encargos.

Sem indicar valores de investimento, a proposta do vice-presidente da CML determina o envolvimento do município na JMJ Lisboa 2023, “no quadro da repartição de responsabilidades acertado entre os vários intervenientes na preparação e organização do evento, sem prejuízo das deliberações dos órgãos municipais que legalmente venham a ser necessárias para a efetiva realização das tarefas em que se materializem essas responsabilidades”.

Considerando que “a Jornada Mundial da Juventude é o maior e mais exigente evento alguma vez realizado em Portugal”, o que implica o envolvimento de várias entidades na sua organização, nas quais se inclui a CML na qualidade de anfitriã, Anacoreta Correia realçou a exigência de “meios humanos, técnicos e financeiros que possibilitem a coordenação e apoio com vista à boa execução e ao sucesso da sua realização”.

“Constitui um desafio extraordinário para a autarquia e uma oportunidade única para a cidade, uma vez que se trata de um evento com grande mediatismo e importância”, destacou o autarca, referido que o município tem a responsabilidade de realizar “uma série de tarefas com vista à organização, programação, conceção e implementação da JMJ Lisboa 2023”.

A realização da JMJ em Lisboa vai envolver “vários espaços da cidade de Lisboa – nos quais decorrerão eventos diários e uma programação diversificada –, nomeadamente Parque Tejo, Parque Eduardo VII, Terreiro do Paço, Alameda Dom Afonso Henriques e/ou Parque da Belavista”, segundo a proposta, que inventaria as várias tarefas da câmara nestes espaços, desde a recuperação do aterro sanitário de Beirolas aos palcos com área para bastidores.

Entre as tarefas da CML estão ainda a ponte da ciclovia sobre o rio Trancão, as estruturas de apoio à recolha de resíduos, o abastecimento e disponibilização de água potável, a rede elétrica, o vídeo e som, as casas de banho e a rede de esgotos.

“A organização e implementação das diferentes tarefas que incumbirão à CML no âmbito da realização da JMJ Lisboa 2023 serão asseguradas com recurso a financiamento, estando a decorrer a consulta a várias entidades bancárias no sentido de recolher informação e selecionar a solução que melhor sirva os interesses da CML”, lê-se na proposta.

Apesar do anúncio da realização da JMJ datar de janeiro de 2019 – tendo sido em dezembro de 2018 antecipado pelo 7MARGENS – “verifica-se não ter havido ainda uma deliberação da câmara referente ao envolvimento do município na candidatura e na sua participação no conjunto dos eventos”, referiu o vice-presidente da autarquia, acrescentando que essa situação não impediu que a CML tenha estado em contacto próximo com todas as entidades envolvidas e tenha assegurado a concretização da sua preparação em diversas realizações.

Anacoreta Correia destacou também o empenho da CML “para que o evento tenha o sucesso que se pretende”.

A JMJ Lisboa 2023 vai decorrer de 1 a 6 de agosto do próximo ano na zona do Parque das Nações, em Lisboa, abrangendo também parte do território do concelho de Loures, num evento que conta com a presença do Papa Francisco e no qual são esperados centenas de milhar de jovens de todo o mundo.

 

Conselho de cardeais quer “contribuição das mulheres” sobre a dimensão feminina da Igreja

Dois dias de reunião com o Papa

Conselho de cardeais quer “contribuição das mulheres” sobre a dimensão feminina da Igreja novidade

O conselho dos nove cardeais reunidos esta semana com o Papa Francisco debruçou-se sobre a “dimensão feminina da Igreja” e sublinhou a necessidade de sobre este tema “ouvir, também e sobretudo, cada comunidade cristã, para que os processos de reflexão e de tomada de decisão possam beneficiar da contribuição insubstituível das mulheres”. A informação foi divulgada através de um comunicado da Sala de Imprensa da Santa Sé publicado no dia 6 de dezembro.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Perto de Alenquer, está a ser preparada uma “festa inter-espiritual” de Natal

Aberta a todos

Perto de Alenquer, está a ser preparada uma “festa inter-espiritual” de Natal novidade

O Santuário e Centro de Retiros Dewachen, na Aldeia Galega da Merceana (Alenquer), vai assinalar o Natal com uma “festa inter-espiritual”. Nesta celebração, que está agendada para o dia 16 de dezembro, praticantes de várias tradições espirituais “apresentarão as suas sabedorias tradicionais e orientarão práticas meditativas que permitirão um melhor conhecimento, teórico-prático, da riqueza, singularidade e convergência” dessas mesmas tradições. Também haverá música, almoço partilhado, a apresentação de um livro e uma mostra de produtos locais.

Confrontos étnicos intensificam-se em Manipur e fazem mais 13 mortos

Comunidade cristã ameaçada

Confrontos étnicos intensificam-se em Manipur e fazem mais 13 mortos novidade

Pelo menos 13 pessoas foram mortas num tiroteio entre dois grupos armados no nordeste do estado de Manipur (Índia), assolado ao longo dos últimos sete meses por episódios de violência étnica e religiosa. O tiroteio aconteceu no início desta semana, mas desde maio que os confrontos se sucedem, tendo já feito, ao todo, mais de 180 vítimas mortais e 40 mil deslocados. A comunidade cristã tem sido particularmente visada, com mais de 350 igrejas arrasadas e sete mil casas destruídas.

A força do Verbo

A força do Verbo novidade

O texto joanino diz-nos: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez. Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens” (Evangelho de João 1:1-4). (José Brissos-Lino)

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This