Campanha 15.000 euros para o 7M: Faltam menos de €1.000 !

| 13 Jul 20

Já só faltam €875 para alcançarmos a meta dos €15.000 que vos propusemos como objetivo para esta campanha de recolha de fundos em favor do 7MARGENS. Estamos muito perto de chegarmos ao montante desejado, mas, tal como na maratona, os últimos metros são sempre os mais difíceis!

A adesão dos leitores e amigos do 7MARGENS tem sido espetacular! Os donativos entregues por 159 leitores e amigos somaram, até esta segunda-feira, 13 de julho, €14.135. Estes números mostram a forte resposta ao apelo que lançámos no dia 7 de junho, com o objetivo de reunirmos €15.000 para expandir o 7MARGENS ao longo do segundo semestre de 2020. A campanha decorre até ao final deste mês de julho e, como dissemos, já só faltam menos de €1.000! Contamos consigo para a divulgar.

Solicitamos a todos aqueles e aquelas que nos apoiem financeiramente que não se esqueçam de enviar mail para setemargens@setemargens.com dando nota do donativo entregue. Só assim conseguiremos enviar recibo para eventual desconto em sede de IRS ou IRC. O IBAN está indicado abaixo e a conta está em nome de Associação Porta 18.

Várias pessoas têm-nos perguntado sobre qual o montante com que se espera que cada um contribua. A referência que temos dado é a de €100 por família. Mas há donativos maiores e menores. Todo são bem-vindos e cada um saberá com quanto pode contribuir.

Outro contributo muito importante que pode dar ao 7MARGENS é divulgá-lo junto dos seus amigos e conhecidos. A assinatura da newsletter diária é gratuita (para isso servem os donativos solicitados) e por isso pode propô-la a quem lhe parecer bem. Num mês registámos mais 40 assinantes. Há ainda um grande caminho para fazer neste campo…

Reproduzimos a seguir o mail de lançamento da campanha enviado a 7 de junho.
A Direção do 7MARGENS

 

Cara(o) Amiga(o),

Divulgar gestos de solidariedade e esperança, estimular os relatos do quotidiano do confinamento, denunciar situações mais dramáticas e escondidas, sem deixar de noticiar outras realidades para além da covid-19 foram as prioridades do 7MARGENS ao longo destes tempos de pandemia.

Tal estratégia foi compensadora. Dobrámos o número de leitores assíduos (no final de fevereiro eram 4,8 mil, no final de maio eram 9,2 mil) e o site registou no mês passado um recorde de 71 mil visitas.

A newsletter diária é agora enviada a 1.372 assinantes.

Estes números mostram que o 7MARGENS se tornou companhia diária para mais pessoas, o que está também relacionado com o vosso empenho na sua divulgação. Muito obrigado!

Passámos também a contar com o apoio (voluntário) do José Centeio na organização e publicação da opinião e do trabalho a meio tempo da Clara Raimundo na redação.

Estes foram (e são) tempos durante os quais todos enfrentámos novas urgências, novas dificuldades e situações complexas a que acudir, enquanto registávamos perdas de rendimento mais ou menos acentuadas.

Por isso mesmo evitámos solicitar o vosso apoio financeiro durante estes meses de pandemia. Mesmo sem esse apelo explícito, 95 de entre vós enviaram-nos o seu contributo ao longo destes primeiros cinco meses do ano. Graças a eles foi possível chegar aqui. Mas estamos no limite de ficarmos impedidos de ir mais longe.

É com o objetivo de podermos prosseguir que vos enviamos este apelo, dirigido sobretudo aos que este ano ainda não tiveram oportunidade de apoiar financeiramente o 7MARGENS. E que agora podem descontar os seus donativos em sede de IRS (ou IRC) nas modalidades previstas pela Lei, dado que a 9 de março fomos reconhecidos como iniciativa de interesse cultural [https://setemargens.com/apoie-o-7-margens/].

Até 31 de maio a situação económica do 7MARGENS pode ser assim resumida:
Donativos (5 meses)          €11.510,00
Despesa (5 meses):           €11.088,60
Saldo:                                €      421,40

Em síntese, as principais rubricas da despesa foram estas:
Colaboração redação:                 €9.027,00
Apoio informático:                        €1.552,05
Rendas:                                       €   240,00
Custos bancários:                        €     20,98
Diversos:                                      €   248,57

Estamos, portanto, a iniciar junho tendo em caixa apenas os saldos transitados de 2018 e 2019 (pouco mais de €2.000,00). Os próximos meses serão de grande aflição para muita gente, pelo que a maioria das instituições que temos abordado terá pouca disponibilidade para apoiar financeiramente o 7MARGENS.

Ponderada toda esta situação decidimos abrir uma campanha com o objetivo de até, ao final de julho, chegarmos aos 2.000 assinantes da newsletter e obtermos €15.000,00 em novos donativos. Tal montante permitirá assegurar a existência do 7MARGENS até ao fim do ano.

Contamos contigo e com o teu empenho em divulgares o 7MARGENS e esta campanha a conhecidos e amigos.

Obrigado!

Estamos ao vosso dispor. Precisamos do vosso apoio e companhia.

Um abraço amigo,
António Marujo, Eduardo Jorge Madureira, Jorge Wemans e Manuel Pinto
7MARGENS, 7 de junho de 2020

 

Artigos relacionados

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

Sondagem

Brasil deixa de ter maioria católica 

Algures durante este ano a maioria da população brasileira deixará de se afirmar maioritariamente como católica. Em janeiro de 2020, 51% dos brasileiros eram católicos, muito à frente dos que se reconheciam no protestantismo (31%). Ano e meio depois os números serão outros.

Investigação

Quem traiu Anne Frank?

Quem traiu Anne Frank, a autoria do conhecido Diário, e a sua família? Uma equipa que se entregou à tarefa de investigar acredita ter encontrado a chave do mistério. Mas trata-se de “um cenário provável”, sem certezas absolutas.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

É notícia

Entre margens

A roseira que defende a vinha: ainda a eutanásia novidade

Há tempos, numa visita a uma adega nacional conhecida, em turismo, ouvi uma curiosa explicação da nossa guia que me relembrou imediatamente da vida de fé e das questões dos tempos modernos. Dizia-nos a guia que é hábito encontrar roseiras ao redor das vinhas como salvaguarda: quando os vitivinicultores encontravam algum tipo de doença nas roseiras, algum fungo, sabiam que era hora de proteger a vinha, de a tratar, porque a doença estava próxima.

Esta é a Igreja que eu amo! novidade

Fui um dos que, convictamente e pelo amor que tenho à Igreja Católica, subscrevi a carta que 276 católicas e católicos dirigiram ao episcopado português para que, em consonância e decididamente, tomassem “a iniciativa de organizar uma investigação independente sobre os crimes de abuso sexual na Igreja”.

Onde menos se espera, aí está Deus

Por vezes Deus descontrola as nossas continuidades, provoca roturas, para que possamos crescer, destruir em nós uma ideia de Deus que é sempre redutora e substituí-la pela abertura à vida, onde Deus se encontra total e misteriosamente. É Ele, o seu espírito, que nos mostra o nosso nada e é a partir do nosso nada que podemos intuir e abrir-nos à imensidão de Deus, também nas suas criaturas, todas elas.

Cultura e artes

Crónicas portuguesas dos anos 80

As causas que sobrevivem às coisas

O Portugal de A Causa das Coisas e de Os Meus Problemas, publicados nos anos 80, fazem sentido neste século XXI? Miguel Esteves Cardoso ainda nos diz quem e o que somos nós? Haverá coisas que hoje se estranham, nomes fora de tempo, outras que já desapareceram ou caíram em desuso. Já as causas permanecem. Pretexto para uma revisitação a crónicas imperdíveis, agora reeditadas.

Carta a Filémon

A liberdade enquanto caminho espiritual

A Epístola a Filémon – um dos mais pequenos escritos do Novo Testamento – constitui o estímulo e o contexto para uma bela reflexão sobre a vivência da liberdade enquanto caminho espiritual. Adrien Candiard – dominicano francês a residir na cidade do Cairo – consegue em breves páginas apresentar um exercício de leitura rico e incisivo sobre a qualidade da vida cristã, mantendo um tom coloquial próprio do contexto de pequenos grupos nos quais este livro encontrou a sua origem.

O filme de Almodóvar

As dores para dar à luz a verdade

Fique dito, desde já, que estamos perante um dos melhores e mais amadurecidos filmes de Almodóvar. Intenso como outros, magnificamente construído e filmado como é habitual, talvez mais profundamente moral do que muitos, Mães Paralelas é um filme tecido de segredos íntimos e dolorosos, à volta da maternidade, mas também da Guerra Civil espanhola. No centro, esplendorosa, está Penélope Cruz.

Sete Partidas

Ser pai no inverno da Estónia

Estou a viver na Estónia há oito anos e fui pai recentemente. Vim para aqui estudar e, como acontece a muitos outros portugueses espalhados por esse mundo, apaixonei-me por uma mulher deste país, arranjei trabalho, casei e o mais recente capítulo da minha história é o nascimento do meu filho, no mês de dezembro de 2021.

Aquele que habita os céus sorri

Agenda

[ai1ec view=”agenda” events_limit=”3″]

Ver todas as datas

Parceiros

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This