Campanha 15.000 euros para o 7M: no final de junho passámos os €12.000 !

| 30 Jun 20

Os donativos entregues por 136 leitores e amigos somaram, até terça, 30 de junho, €12.020,00. Estes números mostram uma grande adesão ao apelo que lançámos a 7 de junho, com o objetivo de reunirmos €15.000 para expandir o 7MARGENS ao longo do segundo semestre de 2020. A campanha decorre até ao final de julho e já só faltam menos de €3.000! Contamos consigo para a divulgar.

Solicitamos a todos aqueles e aquelas que nos apoiam financeiramente que não se esqueçam de enviar mail para setemargens@setemargens.com dando nota do donativo entregue. Só assim conseguiremos enviar recibo para eventual desconto em sede de IRS ou IRC.

Várias pessoas têm-nos perguntado sobre qual o montante com que se espera que cada um contribua. A referência que temos dado é a de €100,00 por família. Mas há donativos maiores e menores. Todo são bem-vindos e cada um saberá com quanto pode contribuir.

Outro contributo muito importante que pode dar ao 7MARGENS é divulgá-lo junto dos seus amigos e conhecidos. A assinatura da newsletter é gratuita (para isso servem os donativos solicitados) e por isso pode propô-la a quem lhe parecer bem. Basta aceder aqui.

Reproduzimos a seguir o mail de lançamento da campanha enviado a 7 de junho.

A Direção do 7MARGENS

 

Cara(o) Amiga(o),

Divulgar gestos de solidariedade e esperança, estimular os relatos do quotidiano do confinamento, denunciar situações mais dramáticas e escondidas, sem deixar de noticiar outras realidades para além da covid-19 foram as prioridades do 7MARGENS ao longo destes tempos de pandemia.

Tal estratégia foi compensadora. Dobrámos o número de leitores assíduos (no final de fevereiro eram 4,8 mil, no final de maio eram 9,2 mil) e o site registou no mês passado um recorde de 71 mil visitas.

A Newsletter diária é agora enviada a 1.372 assinantes.

Estes números mostram que o 7MARGENS se tornou companhia diária para mais pessoas, o que está também relacionado com o vosso empenho na sua divulgação. Muito obrigado!

Passámos também a contar com o apoio (voluntário) do José Centeio na organização e publicação da opinião e do trabalho a meio tempo da Clara Raimundo na redação.

Estes foram (e são) tempos durante os quais todos enfretámos novas urgências, novas dificuldades e situações complexas a que acudir, enquanto registávamos perdas de rendimento mais ou menos acentuadas.

Por isso mesmo evitámos solicitar o vosso apoio financeiro durante estes meses de pandemia. Mesmo sem esse apelo explícito, 95 de entre vós enviaram-nos o seu contributo ao longo destes primeiros cinco meses do ano. Graças a eles foi possível chegar aqui. Mas estamos no limite de ficarmos impedidos de ir mais longe.

É com o objetivo de podermos prosseguir que vos enviamos este apelo, dirigido sobretudo aos que este ano ainda não tiveram oportunidade de apoiar financeiramente o 7MARGENS. E que agora podem descontar os seus donativos em sede de IRS (ou IRC) nas modalidades previstas pela Lei, dado que a 9 de março fomos reconhecidos como iniciativa de interesse cultural [https://setemargens.com/apoie-o-7-margens/].

Até 31 de maio a situação económica do 7MARGENS pode ser assim resumida:

Donativos (5 meses)         €11.510,00
Despesa (5 meses):          €11.088,60
Saldo:                               €      421,40

Em síntese, as principais rubricas da despesa foram estas:

Colaboração redação:                  €9.027,00
Apoio informático:                        €1.552,05
Rendas:                                        €   240,00
Custos bancários:                        €     20,98
Diversos:                                      €   248,57

Estamos, portanto, a iniciar junho tendo em caixa apenas os saldos transitados de 2018 e 2019 (pouco mais de €2.000,00). Os próximos meses serão de grande aflição para muita gente, pelo que a maioria das instituições que temos abordado terá pouca disponibilidade para apoiar financeiramente o 7MARGENS.

Ponderada toda esta situação decidimos abrir uma campanha com o objetivo de até, ao final de julho, chegarmos aos 2.000 assinantes da newsletter e obtermos €15.000,00 em novos donativos. Tal montante permitirá assegurar a existência do 7MARGENS até ao fim do ano.

Contamos contigo e com o teu empenho em divulgares o 7MARGENS e esta campanha a conhecidos e amigos.

Obrigado!

A conta do Sete Margens é na CGD: PT50 0035 0675 0004 6941 7308 1

Estamos ao vosso dispor. Precisamos do vosso apoio e companhia.

Um abraço amigo,
António Marujo, Eduardo Jorge Madureira, Jorge Wemans e Manuel Pinto

7MARGENS, 7 de junho de 2020

[related_posts_by_tax format=”thumbnails” image_size=”medium” posts_per_page=”3″ title=”Artigos relacionados” exclude_terms=”49,193,194″]

O ressentimento não melhora o país

O ressentimento não melhora o país novidade

“O ressentimento é hoje um sentimento amplamente partilhado. Experimentado por muitos, o ressentimento é também bastante fomentado e instrumentalizado, designadamente pelos que julgam poder obter benefícios políticos ao assanhar emoções – através das redes sociais, sobretudo – e devastar a concórdia cívica.” A reflexão de Eduardo Jorge Madureira, no À Margem desta semana.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

Iniciativa ecuménica

Bispos latino-americanos criam Pastoral das Pessoas em Situação de Sem-abrigo novidade

O Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam) lançou oficialmente esta semana a Pastoral das Pessoas em Situação de Sem-abrigo, anunciou o Vatican News. Um dos principais responsáveis pela iniciativa é o cardeal Luís José Rueda Aparício, arcebispo de Bogotá e presidente da conferência episcopal da Colômbia, que pretende que a nova “pastoral de rua” leve a Igreja Católica a coordenar-se com outras religiões e instituições já envolvidas neste trabalho.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

Bispos latino-americanos criam Pastoral das Pessoas em Situação de Sem-abrigo

Iniciativa ecuménica

Bispos latino-americanos criam Pastoral das Pessoas em Situação de Sem-abrigo novidade

O Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam) lançou oficialmente esta semana a Pastoral das Pessoas em Situação de Sem-abrigo, anunciou o Vatican News. Um dos principais responsáveis pela iniciativa é o cardeal Luís José Rueda Aparício, arcebispo de Bogotá e presidente da conferência episcopal da Colômbia, que pretende que a nova “pastoral de rua” leve a Igreja Católica a coordenar-se com outras religiões e instituições já envolvidas neste trabalho.

É notícia

Entre margens

E o Seminário, terá responsabilidade?

E o Seminário, terá responsabilidade? novidade

Atravessei a década de 80 entre os muros de seminários. Três, ao todo. Dar-me-á esta circunstância a legitimidade para falar abertamente do meu susto? O meu susto é este: conheço pelo menos dois políticos portugueses (que os leitores facilmente identificarão) formados em seminários, cuja opção política está do lado daqueles que, na História, pensaram o povo como um rebanho de gente acéfala e incapaz. [Texto de Paulo Pereira de Carvalho]

Sínodo é representativo ou participativo?

Sínodo é representativo ou participativo?

Quando Francisco, na Jornada Mundial da Juventude, clamou “Todos, Todos, Todos” – e certamente também queria dizer “Tudo, Tudo, Tudo”–, não estava a confinar o chamado “Sínodo dos Bispos” a uma “representatividade saloia” baseada nas estruturas – algumas não existem! – da Igreja Católica Romana. Se assim fosse não seria necessário a inauguração de um novo enriquecimento da Igreja com a consigna “Todos, Todos, Todos”, mas tinha-se apoiado nas estruturas existentes. [Texto de Joaquim Armindo]

A propósito das eleições…

A propósito das eleições…

Uma das coisas boas que a revolução de 1974 nos trouxe foi a possibilidade de escolhermos os nossos representantes políticos. Para a geração dos meus pais, a revolução foi um momento intenso. Finalmente chegara a liberdade. Começaram a participar activamente na vida política, viram o fim da guerra colonial e uma descolonização tumultuosa, assistiam com interesse a debates políticos na TV, debatiam ideologias e as propostas de diferentes partidos políticos. [Texto de Marco Oliveira]

Cultura e artes

Ver teatro que “humaniza” e aprender a “salvar a natureza”? É no Seminário de Coimbra

Atividades abertas a todos

Ver teatro que “humaniza” e aprender a “salvar a natureza”? É no Seminário de Coimbra

Empenhado em ser “um lugar onde a Cultura e a Espiritualidade dialogam com a cidade”, o Seminário de Coimbra acolhe, na próxima segunda-feira, 26, a atividade “Humanizar através do teatro – A Importância da Compaixão” (que inclui a representação de uma peça, mas vai muito além disso). Na terça-feira, dia 27, as portas do Seminário voltam a abrir-se para receber o biólogo e premiado fotógrafo de natureza Manuel Malva, que dará uma palestra sobre “Salvar a natureza”. 

Vitrais e escultura celebram videntes de Fátima na Igreja da Golpilheira

Inaugurados dia 25

Vitrais e escultura celebram videntes de Fátima na Igreja da Golpilheira

A comunidade cristã da Golpilheira – inserida na paróquia da Batalha – vai estar em festa no próximo domingo, 25 de fevereiro, data em que serão inaugurados e benzidos os novos vitrais e esculturas dos três videntes de Fátima que passarão a ornamentar a sua igreja principal – a Igreja de Nossa Senhora de Fátima. As peças artísticas foram criadas por autores nacionais, sob a coordenação do diretor do Departamento do Património Cultural da Diocese de Leiria-Fátima, Marco Daniel Duarte.

Sete Partidas

Era uma vez na Alemanha

Era uma vez na Alemanha

No sábado 3 de fevereiro, no centro de Berlim, um estudante judeu foi atacado por outro estudante da sua universidade, que o reconheceu num bar, o seguiu na rua, e o agrediu violentamente – mesmo quando já estava caído no chão. A vítima teve de ser operada para evitar uma hemorragia cerebral, e está no hospital com fracturas em vários ossos do rosto. Chama-se Lahav Shapira. [Texto de Helena Araújo]

Aquele que habita os céus sorri

Agenda

[ai1ec view=”agenda” events_limit=”3″]

Ver todas as datas

Parceiros

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This