Capelas de Braga vencem concurso de arquitetura

| 13 Mar 19

(Fotos © Nelson Garrido; para ver a galeria, clicar nas setas.)

 

As capelas Imaculada e Cheia de Graça, do Seminário de Nossa Senhora da Conceição, em Braga, venceram o prémio do público para edifício do ano ArchDaily na categoria de arquitetura religiosa. O anúncio foi feito terça-feira, 12, pela publicação digital especializada em arquitetura, aquando da divulgação dos resultados da votação eletrónica.

A distinção, atribuída após sucessivas fases de votação pelos leitores daquele que é considerado o “site” da especialidade mais consultado, dá à cidade e à arquidiocese de Braga o segundo prémio ArchDaily. O primeiro tinha sido a capela Árvore da Vida, distinguida em 2011, e assinada também pelo gabinete Cerejeira Fontes Arquitetos.

Para a mesma categoria também estava nomeado o presbitério e altar do recinto de oração do Santuário de Fátima.

Segundo a nota informativa (divulgada pelo Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura), a capela “ergue-se em madeira, desde a estrutura de suporte até aos planos que lhe conferem o espaço, e é composta por várias peças de madeira, encaixando-se, criando uma estrutura equilibrada que se manifesta como uma floresta à entrada do espaço sagrado”.

Os arquitetos assinalam que as capelas são envolvidas por uma abóboda em betão, com 12 cm de espessura e suportada uma estrutura em aço “quase impercetível”, e a sua copa cria uma espaço reservado dedicado aos “habitantes do Seminário, e os seus troncos um filtro entre o espaço profano e o espaço sagrado, permitindo ao visitante entregar-se ao espaço, entregar-se à dimensão dos sentidos.”

O conjunto arquitetónico cria, juntamente com os restantes elementos, um espaço de absoluto “silêncio inquieto” remetendo à introspeção, ao mesmo tempo que se destaca por uma “qualidade acústica superior” e “transportando o espectador para outra dimensão física e espiritual”.

Artigos relacionados

Breves

Boas notícias

Futebolistas afegãs acolhidas em Portugal pelo JRS

Amnistia: “declínio humanitário” a Leste

Futebolistas afegãs acolhidas em Portugal pelo JRS

Um grupo de 220 cidadãos afegãos, incluindo as restantes 115 jogadoras e seus familiares da da Equipa Nacional de Futebol Juvenil Feminino do Afeganistão, será acolhido em Portugal, depois de ter sido resgatado do país. O anúncio foi feito pelo Serviço Jesuíta aos Refugiados (JRS Portugal) e pela Romulus T. Weatherman Foundation, num comunicado enviado ao 7MARGENS pelo JRS.

É notícia 

Entre margens

O capelão ateu

Recentemente a Universidade de Harvard (EUA) elegeu um ateu para presidente dos capelães, pela primeira vez na sua já centenária história. Foi algo que chamou a atenção pela sua novidade. Um bispo americano que por vezes sigo nas redes sociais – Robert Barron – afirmou num artigo do New York Post que era incompreensível um painel de líderes religiosos nomear para uma representação religiosa alguém que não tem fé.

Um patriarca mediático

Tinha 18 meses quando lhe faltou o pai, José Ribeiro. A mãe, Ana Gonçalves, ficaria eternamente só. Solidária com ela, Maria de Lima, a professora do único filho que, na família nasceria, em 21 de maio de 1928, em Pereira, lugar da freguesia de S. Clemente, no concelho de Celorico de Basto. Terras de emigração e casas senhoriais das fortunas do Brasil, os campos escondiam, por detrás dos montes de Basto, uma agricultura difícil. A casa da família Ribeiro era modesta, de granito frio.

Cultura e artes

Tempo de Advento (I)

“o Filho do homem numa nuvem…” novidade

Desde há vários anos, a comunidade da Capela de Nossa Senhora da Bonança (conhecida como Capela do Rato), em Lisboa, assinala o tempo litúrgico do Advento com a publicação de postais com uma pintura encomendada a um(a) artista e um poema alusivo ao dia. Este ano, a convidada foi a artista algarvia Lígia Rodrigues, sendo os textos da autoria da escritora Leonor Xavier e do actor e encenador Luís Miguel Cintra.

Concerto na Gulbenkian

Schubert, Sophia e a Incompletude

Regressar finalmente aos concertos da Fundação Gulbenkian. Talvez por me ver privada destes momentos únicos durante quase dois anos de pandemia, uma enorme alegria tomou conta de mim. O painel do fundo do palco abria-se diretamente para os jardins iluminados sobriamente…

Sete Partidas

As prateleiras vazias

Teria eu uns 6 anos quando um dia o meu pai trouxe para casa uma pasta de chocolate Jubileu. Creio que a terá ganho num torneio de cartas, daqueles que se fazem nas aldeias, para angariar fundos para as festas da paróquia. Lembro-me bem disso porque não era nada normal termos acesso a essas lambarices. Na minha memória, o chocolate terá durado uns dias, ou semanas, porque o dividimos em pequenos pedaços. Para render e saborear.

Visto e Ouvido

Igreja tem política de “tolerância zero” aos abusos sexuais, mas ainda está em “processo de purificação”

D. José Ornelas

Bispo de Setúbal

Agenda

[ai1ec view=”agenda”]

Ver todas as datas

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This