Capuchinhos nos EUA elegem irmão leigo como responsável provincial

| 29 Jun 19 | Igreja Católica, Igrejas Cristãs - Homepage, Newsletter, Últimas

Giotto di Bondone, Aparição de São Francisco no capítulo de Arles (1297), afresco na Basílica Superior de São Francisco, em Assis: o fundador dos franciscanos não era padre, defendem os que votaram em Mark Schenk.

 

Os membros da Ordem dos Frades Capuchinhos (franciscanos) da província de Mid America, no centro dos Estados Unidos, elegeu um frade leigo, o irmão Mark Shenk, como ministro provincial. A decisão foi contrariada, num primeiro momento, pelo Vaticano, mas a intercessão junto do Papa Francisco valeu a ratificação da escolha – noticiou o Crux.

Inicialmente, a Congregação da Santa Sé para os Religiosos, que tutela as ordens e congregações religiosas, vetou o nome de Mark Schenk. Mas várias pessoas intercederam junto do Papa Francisco e Schenk recebeu a dispensa necessária para assumir por três anos o cargo de ministro provincial – ou seja, o responsável máximo da província, a divisão geográfica em que a ordem se organiza.

O novo provincial, Mark Schenck (foto reproduzida de https://capuchins.org/team/br-mark-schenk-o-f-m-cap/)

O precedente aberto pelo Papa pode levar a que a Congregação para os Religiosos ajuste os seus procedimentos noutros casos semelhantes que venham a acontecer com pessoas que não são ordenadas.

Citado pelo Crux, o padre capuchinho BlaineBurkey diz que Francisco pode fazer a diferença, “especialmente com o seu desejo de ter leigos envolvidos na liderança da Igreja”. E acrescenta: “Ele diz isso e esperamos que ele realmente o faça avançar, ao invés de apenas reagir quando a Congregação for ter com ele.”

A decisão não foi pacífica por, aparentemente, contrariar o Código de Direito Canónico (CDC), da Igreja Católica. No cânone 129º – 1, o CDC indica: “Quem recebeu a ordem sagrada é capaz, segundo as normas do direito, do poder de governo, que por instituição divina existe na Igreja, e que também é chamado poder de jurisdição”. Ou seja, o irmão eleito não terá recebido “a ordem sagrada” ainda que o número seguinte do mesmo artigo diga que “os fiéis leigos podem cooperar no exercício desse poder, segundo as normas do direito”.

Os capuchinhos fazem uma interpretação aberta deste artigo, baseando-se na sua própria Constituição, que foi ratificada pelo Vaticano em 2013, e na qual se lê: “Pela razão da mesma vocação [padre ou irmão não ordenado]…) todos nós somos chamados irmãos sem distinção.”

Blaine Burkey votou em Schenk e está “feliz por ele ter sido escolhido”, afirma, citado pela mesma fonte. Para este padre, a distinção por causa da ordenação é irrelevante, porque o seu “dom para o Mundo é a fraternidade”.

Esta não é, contudo, a primeira vez que uma tal escolha acontece nos capuchinhos. A primeira acontecera em 1983, numa província canadiana, mas houve ainda uma outra na província de São José (estado do Michigan, no nordeste dos EUA). Neste último caso, a escolha não foi aprovada pelo Vaticano e a comunidade elegeu outro frade.

O próprio São Francisco, de quem os capuchinhos herdam o carisma, não era padre, defendem os que optam pela possibilidade de ter um leigo como provincial.

Mark Schenk, 62 anos, tem um mestrado em Teologia e outro em gestão, e trabalhou já durante 22 anos em Roma, na cúria geral dos capuchinhos. Quando entrou na ordem, “a questão do sacerdócio ou da fraternidade não se colocava”. Agora, ele diz que “não esperava” ser eleito, “mas sempre disse que poderia ajudar os irmãos” da Ordem. No horizonte, está o cuidado com 70 frades e as suas “necessidades espirituais e humanas”, bem como o controlo da “saúde da província” no âmbito financeiro.

Artigos relacionados

Apoie o 7 Margens

Breves

Núncio que era criticado por vários bispos, deixa Lisboa por limite de idade

O Papa Francisco aceitou nesta quinta-feira, 4 de Julho, a renúncia ao cargo do núncio apostólico (representante diplomático) da Santa Sé em Portugal, Rino Passigato, por ter atingido o limite de idade determinado pelo direito canónico, de 75 anos. A sua acção era objecto de críticas de vários bispos, embora não assumidas publicamente.

Arcebispo da Beira lamenta que o Papa só visite Maputo

O arcebispo da Beira (Moçambique) lamenta que o Papa Francisco não visite, em Setembro, a zona directamente atingida pelo ciclone Idai, em Março: “Todos esperávamos que o Papa chegasse pelo menos à Beira. Teria sido um gesto de consolação para as pessoas e uma forma de chamar a atenção para as mudanças climáticas e para esta cidade, que está a tentar reerguer-se”, disse Cláudio Dalla Zuanna.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

É notícia 

Entre margens

Criança no centro? novidade

Há alguns anos atrás estive no Centro de Arte Moderna (Fundação Gulbenkian) ver uma exposição retrospetiva da obra de Ana Vidigal. Sem saber exatamente porque razão, detive-me por largos minutos em frente a este quadro: em colagem, uma criança sozinha no seu jardim; rodeando-a, dois círculos concêntricos e um enredado de elipses. Ana Vidigal chamou àquela pintura: O Pequeno Lorde.

Uma espiritualidade democrática radical

Não é nenhuma novidade dizer que o modelo de democracia que temos, identificado como democracia representativa e formal (de origem liberal-burguesa) está em crise. Disso, entre outras razões, têm-se aproveitado muito bem os partidos de extrema-direita. Mas não só eles. Surgem também críticas fortes desde a própria sociedade civil a este modelo.

Cultura e artes

Festa de Maria Madalena: um filme para dar lugar às mulheres novidade

A intenção do autor é dar lugar às mulheres. Não restam dúvidas, fazendo uma leitura atenta dos quatro Evangelhos que Jesus lhes dá o primeiro lugar. A elas, anuncia-lhes quem é Ele, verdadeiramente. Companheiras de Cristo, continuarão a sua missão, juntamente com os homens. Anunciando, tal como eles, a Paixão e a Ressurreição de Jesus Cristo; curando, baptizando em nome do Senhor. Tornando-se diáconos. Sabe-se, está escrito. Mas, nos Actos dos Apóstolos, elas desaparecem sem deixar rasto.

Mãos cheias de ouro, um canudo e uma intensa criatividade

Na manhã de 7 de Julho, a UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura) inscreveu o Convento de Mafra, o santuário do Bom Jesus de Braga e o Museu Nacional Machado de Castro, em Coimbra, na sua lista de sítios de Património Mundial. Curta viagem escrita e alguns percursos falados, como forma de convite à viagem para conhecer ou redescobrir os três novos lugares portugueses do Património da Humanidade.

Sete Partidas

A Páscoa em Moçambique, um ano antes do ciclone – e como renasce a esperança

Um padre que passou de refugiado a conselheiro geral pode ser a imagem da paixão e morte que atravessou a Beira e que mostra caminhos de Páscoa a abrir-se. Na região de Moçambique destruída há um mês pelo ciclone Idai, a onda de solidariedade está a ultrapassar todas as expectativas e a esperança está a ganhar, outra vez, os corações das populações arrasadas por esta catástrofe.

Visto e Ouvido

"Correio a Nossa Senhora" - espólio guardado no Santuário começou a ser agora disponibilizado aos investigadores

Agenda

Parceiros

Fale connosco