Cardeal alemão pede aos jornalistas “absoluto silêncio” sobre relatório de abuso infantil

| 6 Jan 21

Cardeal Rainer Maria Woelki.

Cardeal Rainer Maria Woelki, arcebispo de Colónia. Foto: Diocese de Colónia/Wikimedia Commons

Diversos jornalistas abandonaram uma conferência de imprensa convocada para esta terça-feira, 5, pela arquidiocese de Colónia (Alemanha), a propósito da divulgação de um relatório inédito sobre casos de abuso sexual de menores dentro da Igreja. Na origem do protesto esteve um pedido de que assinassem um acordo onde se comprometiam a manter o conteúdo da investigação “em segredo”, divulgou a rádio Deutsche Welle na sua página digital.

A conferência tinha como principal objetivo explicar alguns problemas relacionados com a metodologia utilizada durante a investigação, os quais, segundo o arcebispo de Colónia, cardeal Rainer Maria Woelki, terão estado na origem do cancelamento da publicação do relatório na sua forma atual. Woelki é considerado um dos mais conservadores membros do episcopado alemão, no sentido em que se tem oposto a várias propostas de reforma surgidas no seio da Igreja Católica na Alemanha.

Após terem anunciado que mostrariam aos jornalistas o relatório, os representantes católicos pediram-lhes que assinassem um compromisso de manter o seu conteúdo “em segredo”, nomeadamente as informações sobre os delitos, presumíveis autores e funcionários eclesiásticos envolvidos. “O jornalista compromete-se a guardar absoluto silêncio sobre esta informação”, podia ler-se no acordo proposto.

O relatório em causa foi solicitado por Woelki no final de 2018 e conduzido pelo escritório de advogados alemão Westpfahl Spilker Wastl. O arcebispo prometeu que o resultado da investigação será revisto por uma segunda equipa jurídica e publicado em março deste ano, o mais tardar.

O arcebispo de Colónia enfrenta ele próprio acusações de ter encoberto denúncias de abuso sexual envolvendo um padre da diocese e inúmeros religiosos pediram esta semana o seu afastamento do cargo.

 

Inquérito 7M sobre o Sínodo: entre as “baixas expectativas” e a “oportunidade de uma Igreja aberta”

Católicos portugueses pouco entusiasmados?

Inquérito 7M sobre o Sínodo: entre as “baixas expectativas” e a “oportunidade de uma Igreja aberta” novidade

O 7MARGENS entendeu auscultar um conjunto de 63 movimentos e associações católicas, procurando contemplar diversidade de carismas e de setores e mesmo de atitudes perante o futuro. A auscultação decorreu na segunda metade de julho, num momento em que já se conhecia o cronograma e dinâmica do Sínodo.

Líbano: Siro-católicos dizem-se marginalizados

Líbano tem novo Governo

Líbano: Siro-católicos dizem-se marginalizados novidade

O novo Governo do Líbano, liderado pelo muçulmano sunita Najib Mikati, obteve nesta segunda-feira, 20 de setembro, o voto de confiança do Parlamento. A nova estrutura de Governo reflete na sua composição a variedade do “mosaico” libanês, nomeadamente do ponto de vista das diversas religiões e confissões religiosas, mas os siro-católicos dizem ter sido marginalizados.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Às vezes, nem o amor consegue salvar-nos

Cinema

Às vezes, nem o amor consegue salvar-nos novidade

Falling, que em Portugal teve o subtítulo Um Homem Só, é a história de um pai (Willis) e de um filho (John) desavindos e (quase) sempre em rota de colisão, quer dizer, de agressão, de constante provocação unilateral da parte do pai, sempre contra tudo e contra todos.

A palavra que falta explicitar no “cuidar da criação”

A palavra que falta explicitar no “cuidar da criação” novidade

No dia 1 de setembro começou o Tempo da Criação para diversas Igrejas Cristãs. Nesse dia, o Papa Francisco, o Patriarca Bartolomeu e o Arcebispo de Canterbury Justin assinaram uma “Mensagem Conjunta para a Protecção da Criação” (não existe – ainda – tradução em português). Talvez tenha passado despercebida, mas vale a pena ler.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This