Candidato às eleições no clube na lista de Pinto da Costa

Cardeal Américo no FCPorto para “acompanhamento evangelizador”

| 25 Mar 2024

bispo Américo Aguiar em entrevista ao 7Margens na sede da JMJ, 01.06.2023. Foto © Clara Raimundo

O bispo Américo Aguiar em entrevista na sede da JMJ, em Junho de 2023: depois da jornada universal, o apoio a uma lista para as eleições de um clube de futebol. Foto © Clara Raimundo/7MARGENS.

 

O cardeal Américo Aguiar, bispo de Setúbal, justifica com o acompanhamento que faz “sempre que possível” das actividades “ligadas ao desporto, nomeadamente ao futebol” o facto de ser o número um da candidatura liderada por Pinto da Costa ao Conselho Superior do Futebol Clube do Porto. Considerando “que a presença da Igreja no ambiente desportivo e institucional é” positiva “e proporciona o acompanhamento evangelizador de atletas e dirigentes”, o cardeal acrescenta que “quanto às conversões [elas] acontecerão no coração de cada um”.

A propósito da notícia veiculada em vários órgãos de comunicação, como por exemplo no Jornal de Notícias, o 7MARGENS dirigiu ao bispo de Setúbal quatro perguntas:

– O cardeal Américo Aguiar entende que integrar um órgão de um clube de futebol, por “superior” que seja, constitui uma tarefa própria de um bispo da Igreja Católica?

– O facto de o cardeal Américo Aguiar integrar um órgão de uma lista candidata à eleição dos corpos gerentes de um clube de futebol não lhe suscita qualquer problema, enquanto bispo da Igreja Católica em Portugal?

– Tendo em conta as verbas avultadíssimas que o futebol movimenta e que tantas vezes são motivo de escândalo, ou razão para suspeitas sobre a origem dos dinheiros em jogo, faz sentido ver um bispo a apoiar, desta forma, um candidato à presidência de um clube de futebol?

– O facto de ser convidado de alguém que, em período eleitoral, representa uma parte dos adeptos de um clube e aparecer associado a práticas e comportamentos pouco recomendáveis (vd. a última assembleia geral desse clube) não corre o risco de ser um contra-testemunho, mesmo para quem não acompanha as questões do futebol?

Sem responder directamente às perguntas, e através do gabinete de comunicação da Diocese, o bispo de Setúbal recordou que “é sócio do Futebol Clube do Porto (FCP) desde 2015, assim como é do Vitória Futebol Clube [de Setúbal] desde 2023, e como foi do Boavista e do Leixões”.

Na notícia referida, o ainda presidente do FCP diz que o cardeal se ofereceu por “vontade própria” a Pinto da Costa, dizendo-lhe que não estava a pensar no dirigente desportivo “mas no bem do clube”. Na resposta, o cardeal diz que integra actualmente, como membro efectivo, o Conselho Superior Consultivo da SAD (Sociedade Anónima Desportiva) do FCP, e “foi convidado a integrar a lista de candidatos ao Conselho Superior, uma espécie de ‘Senado’” da estrutura da equipa. Para este órgão são eleitos, segundo critérios de proporcionalidade, membros das diferentes listas concorrentes às eleições no clube. Havendo “várias sensibilidades”, isso “é salutar e democrático”, diz o cardeal.

Em 2019, o bispo foi galardoado com o “Dragão de Ouro” de sócio do ano e, três anos depois, com o título de “Dragão de Honra”. Em Agosto do ano passado, depois da Jornada Mundial da Juventude, da qual foi o principal rosto, o cardeal foi Américo Aguiar foi uma das primeiras personalidades a expressar publicamente o seu apoio a uma recandidatura de Pinto da Costa, lembra o Porto Canal: “Estou convencido de que, enquanto o presidente quiser, enquanto o presidente tiver força e saúde que lhe permitam ser o líder desta família, desta instituição e deste clube, não poderemos deixar de o apoiar, e não poderemos deixar de dizer que é esse o caminho que devemos seguir”, afirmou na ocasião.

 

Este texto teve o contributo de Manuel Pinto

 

Catarina Pazes: “Sem cuidados paliativos, não há futuro para o SNS”

Entrevista à presidente da Associação Portuguesa

Catarina Pazes: “Sem cuidados paliativos, não há futuro para o SNS” novidade

“Se não prepararmos melhor o nosso Serviço Nacional de Saúde do ponto de vista de cuidados paliativos, não há maneira de ter futuro no SNS”, pois estaremos a gastar “muitos recursos” sem “tratar bem os doentes”. Quem é o diz é Catarina Pazes, presidente da Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos (APCP) que alerta ainda para a necessidade de formação de todos os profissionais de saúde nesta área e para a importância de haver mais cuidados de saúde pediátricos.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Bahá’ís plantam árvores em Lisboa, para que a liberdade religiosa floresça em todo o mundo

Em memória das "dez mulheres de Shiraz"

Bahá’ís plantam árvores em Lisboa, para que a liberdade religiosa floresça em todo o mundo

Quem passar pela pequena zona ajardinada junto ao Centro Nacional Bahá’í, na freguesia lisboeta dos Olivais, vai encontrar dez árvores novas. São jacarandás e ciprestes, mas cada um deles tem nome de mulher e uma missão concreta: mostrar – tal como fizeram as mulheres que lhes deram nome – que a liberdade religiosa é um direito fundamental. Trata-se de uma iniciativa da Junta de Freguesia local, em parceria com a Comunidade Bahá’í, para homenagear as “dez mulheres de Shiraz”, executadas há 40 anos “por se recusarem a renunciar a uma fé que promove os princípios da igualdade de género, unidade, justiça e veracidade”.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This