Birmânia

Cardeal Bo acusa líderes de falharem nas suas responsabilidades

| 30 Ago 21

cardeal charles maung bo myanmar foto diocese de yangon

“Vão além da lei, até ao amor: passem da mente legalista para o coração orientado para o amor”, pediu o cardeal Bo. Foto © Diocese de Rangum.

 

O cardeal Charles Bo, presidente da Conferência Episcopal Católica da Birmânia, afirmou este domingo, 29 de agosto,  durante a homilia da missa que celebrou na Catedral de Santa Maria (Rangum), que os “líderes” do país “falharam nos seus papéis e responsabilidades”, ao colocar as leis e regulamentos da sua “cabeça” à frente do “coração” do povo.

“As mortes e o desespero dos últimos sete meses são baseados nas leis e regulamentos da cabeça”, os quais, sublinhou o cardeal Bo, são opostos ao “coração do povo”, que simboliza o “amor”. “Vão além da lei, até ao amor: passem da mente legalista para o coração orientado para o amor”, insistiu, inspirando-se nas leituras da Carta de São Tiago, que exorta os cristãos a serem cumpridores da Palavra e não apenas ouvintes, e do Evangelho de Marcos, onde Jesus denuncia a observância legalista da lei em detrimento do mandamento do amor.

Referindo-se à junta militar que assumiu o controlo do país a 1 de fevereiro e que tem vindo a comprar armas “de todo o mundo para consolidar o seu domínio no poder”, o cardeal Bo deixou um pedido: “vamos armar-nos de amor uns pelos outros”. A verdadeira autenticidade”, acrescentou, “vem, em última análise, através do amor”.

 

Nós somos porque eles foram. E nós seremos nos que vierem a ser.

Nós somos porque eles foram. E nós seremos nos que vierem a ser. novidade

A homenagem aos que perderam as suas vidas nesta pandemia é uma forma de reconhecermos que não foram só os seus dias que foram precoce e abruptamente reduzidos, mas também que todos nós, os sobreviventes, perdemos neles um património imenso e insubstituível. Só não o perderemos totalmente se procurarmos valorizá-lo, de formas mais ou menos simbólicas como é o caso da Jornada da Memória e da Esperança deste fim-de-semana, mas também na reflexão sobre as nossas próprias vidas e as das gerações que nos sucederão.

Parlamento aprovou voto de solidariedade com vítimas da pandemia e iniciativa cidadã

Jornada da Memória e da Esperança

Parlamento aprovou voto de solidariedade com vítimas da pandemia e iniciativa cidadã novidade

A Assembleia da República (AR) manifestou o seu apreço pela Jornada de Memória e Esperança, que decorre neste fim-de-semana em todo o país, através de um voto de solidariedade com as vítimas de covid-19 e com as pessoas afectadas pela pandemia, bem como com todos os que ajudaram no seu combate, com destaque para os profissionais de saúde.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This