Cardeal Marx: todos os caminhos aplanados em Roma?

| 23 Set 19

 

Árvore de Jessé, na catedral de Worms (Alemanha). Foto © António Marujo

 

Caminhos aplanados em Roma para a Igreja Católica da Alemanha. O cardeal Reinhard Marx, arcebispo de Munique e presidente da Conferência Episcopal Alemã encontrou-se com o Papa Francisco, no Vaticano, no final da semana passada, bem como com o cardeal Marc Ouellet. Em ambos os encontros, estiveram em questão as reservas de Ouellet em relação à convocatória de um caminho sinodal na Alemanha, que está a ser preparado pelos bispos e pelo Comité Central dos Católicos Alemães, o ZdK (Zentral komitee der deutschen Katholiken), como o 7MARGENS explicou.

As reuniões decorreram num ambiente de “diálogo construtivo”, de acordo com um comunicado dos bispos, citado pelo Vatican News. Os resultados das conversas serão agora incorporados no processo de caminhada sinodal. Para os alemães, está em causa uma Igreja abalada pela crise dos abusos sexuais e de identidade do clero e da qual muitos crentes se têm afastado. Para Marc Ouellet, o problema é um processo onde as regras democráticas e a participação de leigos choca com regras do Direito Canónico.

O cardeal deixou ao Papa uma carta assinada em conjunto pelo presidente do ZdK, Thomas Sternberg, em que se alude à carta enviada em Junho aos católicos alemães e se garante que também eles querem dar a primazia ao Evangelho: “Estamos determinados a estruturar o caminho sinodal como um ‘processo espiritual’. Estamos unidos ao senhor no ‘sentido eclesial’, porque queremos a unidade de toda a Igreja (…) e para nós a participação de todo o povo de Deus é um aspecto muito importante”, diz o texto, citado pelo Vatican News.

Artigos relacionados