Repressão cria dilema ao Vaticano

Cardeal Zen, bispo emérito de Hong Kong, detido pela polícia

| 11 Mai 2022

Cardeal Joseph Zen, arcebispo emérito de Hong Kong

Cardeal Joseph Zen, arcebispo emérito de Hong Kong, numa manifestação em 2014. Foto © Wai Wan Tong/Wikimedia Commons.

 

O cardeal Joseph Zen, bispo emérito de Hong Kong, de 90 anos e um grande defensor do movimento pró-democracia, foi preso pelas autoridades de Hong Kong na terça-feira, 10 de maio, acusado de “conluio com forças estrangeiras”, noticiou a Reuters. Zen foi solto sob fiança no dia seguinte, por volta das 23h locais, como relatado por jornalistas de Hong Kong, que publicaram nas redes sociais fotos em que o bispo aparecia já no exterior da esquadra de polícia de Wan Chai, avançou o Vatican News.

De acordo com a agência Reuters, foram também detidas mais quatro pessoas – a estrela pop canadiano-Hong Kong Denise Ho, o académico Hui Po Keung e os ex-parlamentares da oposição Margaret Ng e Cyd Ho –, todos curadores do 612 Humanitarian Relief Fund, que apoiou os manifestantes pró-democracia a pagar multas e fianças.

“A Santa Sé tomou conhecimento com preocupação da notícia da prisão do cardeal Zen e está a acompanhar a evolução da situação com extrema atenção”, afirmou na tarde de quarta-feira o diretor da Sala de Imprensa vaticana, Matteo Bruni, em resposta às perguntas dos jornalistas.

Recorde-se que no domingo, 8 de maio, o ex-chefe da segurança, John Lee, foi nomeado como o próximo chefe-executivo de Hong Kong, sucedendo a Carrie Lam, que ocupou o cargo desde 2017. Tanto Lee como Lam são católicos batizados. Lee foi o máximo responsável pela violenta repressão das manifestações pró-democracia, pelo fecho dos media independentes de Pequim e pela prisão de centenas de opositores. A sua escolha foi vista como o reconhecimento por parte de Pequim de que a situação em Hong-Kong ainda não está completamente dominada e segura.

Em Inglaterra, Benedict Rogers, um ativista britânico de direitos humanos fundador da ONG Hong Kong Watch e convertido ao catolicismo, lamentou as prisões, afirmando à Catholic News Agency (CNA): “Condenamos as prisões destes ativistas cujo suposto ‘crime’ foi financiar a assistência jurídica aos manifestantes pró-democracia em 2019 (..) As prisões de hoje sinalizam, sem sombra de dúvida, que Pequim pretende intensificar a repressão dos direitos e liberdades básicos em Hong Kong.”

Para a CNA, a prisão do cardeal Zen “representa um dilema para o Vaticano que até agora evitou fazer críticas públicas à repressão em Hong Kong”. A agência recorda que o atual bispo de Hong Kong, Stephen Chow Sau-yan, disse na sua primeira entrevista, em fevereiro de 2022: “Acho inaceitável que a dignidade humana seja ignorada, pisoteada ou eliminada completamente. Deus deu-nos essa dignidade quando nos criou à sua imagem e semelhança. E, portanto, é universal porque vem do amor de Deus”. Com esta afirmação o bispo contradizia a filosofia política chinesa, reafirmando que os direitos humanos são universais e invioláveis.

 

Os confins da fenomenologia

Emmanuel Falque na Universidade de Coimbra novidade

Reflectir sobre os confins da fenomenologia a partir do projecto filosófico de Emmanuel Falque é o propósito da Jornada Internacional de Estudos Filosóficos, “O im-pensável: Nos confins da fenomenalidade”, que decorrerá quinta-feira, dia 26 de Maio, na Universidade de Coimbra (FLUC – Sala Vítor Matos), das 14.00 às 19.00. O filósofo francês intervirá no encerramento da iniciativa.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

“A grande substituição”

[Os dias da semana]

“A grande substituição” novidade

Outras teorias da conspiração não têm um balanço igualmente inócuo para apresentar. Uma delas defende que estamos perante uma “grande substituição”; não ornitológica, mas humana. No Ocidente, sustentam, a raça branca, cristã, está a ser substituída por asiáticos, hispânicos, negros ou muçulmanos e judeus. A ideia é velha.

Humanizar não é isolar

Humanizar não é isolar novidade

É incontestável que as circunstâncias de vida das pessoas são as mais diversas e, em algumas situações, assumem contornos improváveis e, muitas vezes, indesejáveis. À medida que se instalam limitações resultantes ou não de envelhecimento, alguns têm de habitar residências sénior, lares de idosos, casas de repouso,…

Agenda

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This