Repressão cria dilema ao Vaticano

Cardeal Zen, bispo emérito de Hong Kong, detido pela polícia

| 11 Mai 2022

Cardeal Joseph Zen, arcebispo emérito de Hong Kong

Cardeal Joseph Zen, arcebispo emérito de Hong Kong, numa manifestação em 2014. Foto © Wai Wan Tong/Wikimedia Commons.

 

O cardeal Joseph Zen, bispo emérito de Hong Kong, de 90 anos e um grande defensor do movimento pró-democracia, foi preso pelas autoridades de Hong Kong na terça-feira, 10 de maio, acusado de “conluio com forças estrangeiras”, noticiou a Reuters. Zen foi solto sob fiança no dia seguinte, por volta das 23h locais, como relatado por jornalistas de Hong Kong, que publicaram nas redes sociais fotos em que o bispo aparecia já no exterior da esquadra de polícia de Wan Chai, avançou o Vatican News.

De acordo com a agência Reuters, foram também detidas mais quatro pessoas – a estrela pop canadiano-Hong Kong Denise Ho, o académico Hui Po Keung e os ex-parlamentares da oposição Margaret Ng e Cyd Ho –, todos curadores do 612 Humanitarian Relief Fund, que apoiou os manifestantes pró-democracia a pagar multas e fianças.

“A Santa Sé tomou conhecimento com preocupação da notícia da prisão do cardeal Zen e está a acompanhar a evolução da situação com extrema atenção”, afirmou na tarde de quarta-feira o diretor da Sala de Imprensa vaticana, Matteo Bruni, em resposta às perguntas dos jornalistas.

Recorde-se que no domingo, 8 de maio, o ex-chefe da segurança, John Lee, foi nomeado como o próximo chefe-executivo de Hong Kong, sucedendo a Carrie Lam, que ocupou o cargo desde 2017. Tanto Lee como Lam são católicos batizados. Lee foi o máximo responsável pela violenta repressão das manifestações pró-democracia, pelo fecho dos media independentes de Pequim e pela prisão de centenas de opositores. A sua escolha foi vista como o reconhecimento por parte de Pequim de que a situação em Hong-Kong ainda não está completamente dominada e segura.

Em Inglaterra, Benedict Rogers, um ativista britânico de direitos humanos fundador da ONG Hong Kong Watch e convertido ao catolicismo, lamentou as prisões, afirmando à Catholic News Agency (CNA): “Condenamos as prisões destes ativistas cujo suposto ‘crime’ foi financiar a assistência jurídica aos manifestantes pró-democracia em 2019 (..) As prisões de hoje sinalizam, sem sombra de dúvida, que Pequim pretende intensificar a repressão dos direitos e liberdades básicos em Hong Kong.”

Para a CNA, a prisão do cardeal Zen “representa um dilema para o Vaticano que até agora evitou fazer críticas públicas à repressão em Hong Kong”. A agência recorda que o atual bispo de Hong Kong, Stephen Chow Sau-yan, disse na sua primeira entrevista, em fevereiro de 2022: “Acho inaceitável que a dignidade humana seja ignorada, pisoteada ou eliminada completamente. Deus deu-nos essa dignidade quando nos criou à sua imagem e semelhança. E, portanto, é universal porque vem do amor de Deus”. Com esta afirmação o bispo contradizia a filosofia política chinesa, reafirmando que os direitos humanos são universais e invioláveis.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

"Nada cristãs"

Ministro russo repudia declarações do Papa novidade

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Lavrov, descreveu como “nada cristãs” as afirmações do Papa Francisco nas quais denunciou a “crueldade russa”, especialmente a dos chechenos, em relação aos ucranianos. Lavrov falava durante uma conferência de imprensa, esta quinta-feira, 1 de dezembro, e referia-se à entrevista que Francisco deu recentemente à revista America – The Jesuit Review.

Ministro russo repudia declarações do Papa

"Nada cristãs"

Ministro russo repudia declarações do Papa novidade

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Lavrov, descreveu como “nada cristãs” as afirmações do Papa Francisco nas quais denunciou a “crueldade russa”, especialmente a dos chechenos, em relação aos ucranianos. Lavrov falava durante uma conferência de imprensa, esta quinta-feira, 1 de dezembro, e referia-se à entrevista que Francisco deu recentemente à revista America – The Jesuit Review.

Desarmar-se

Desarmar-se novidade

Sinto-me um pouco embaraçada. Perguntam-me: como correu o encontro com os meus amigos no Porto e, afinal de contas: o que é isto de “Juntos pela Europa”? O que é que 166 pessoas de 19 países diferentes, de 45 movimentos e comunidades de oito igrejas, podem fazer em conjunto, quando “os semelhantes atraem os semelhantes” e a diversidade é raramente – ou talvez nunca – uma força de coesão? E sem falar das diferentes visões geopolíticas, culturais, históricas, confessionais e, além disso: o que farão agora os russos e os ucranianos, que também estiveram presentes?

Francisco pede “pessoas dispostas a comprometer-se com o bem comum”

O Vídeo do Papa

Francisco pede “pessoas dispostas a comprometer-se com o bem comum” novidade

A 12ª edição de “O Vídeo do Papa” de 2022 acaba de ser publicada e nela Francisco destaca as organizações de voluntariado, e todas as pessoas nelas envolvidas, pelo seu empenho na promoção humana e no bem comum. Na sua intenção de oração, o Papa exorta-os a continuar este trabalho, atuando “não só para as pessoas, mas com as pessoas”, sendo “artesãos da misericórdia”.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This