Seis meses de guerra

Cáritas apela à “paz imediata” na Ucrânia

| 25 Ago 2022

A Cáritas da Ucrânia em ação no terreno, dando ajuda alimentar na localidade de Rubezhne. Foto do Twitter Cáritas da Ucrânia.

 

Seis meses depois do início da guerra na Ucrânia, com a Rússia a invadir o território do país vizinho, a rede internacional da Cáritas lançou um novo apelo à paz, “chamando a atenção para o alto custo desta guerra em termos de vidas humanas e as pesadas consequências tanto a nível local como global”.

“Este conflito continua a prolongar-se no tempo”, afirmou o secretário-geral da Caritas Internationalis, Aloysius John, “mas, infelizmente, a vontade política para acabar incondicionalmente com a violência continua a faltar”. Num comunicado divulgado pela Cáritas portuguesa, Aloysius John apelou: “Precisamos de paz imediata que dê aos ucranianos a possibilidade de dar início à reconstrução das suas vidas e do seu país – um processo que, infelizmente, levará vários anos.”

A Cáritas Portuguesa tem apoiado a população vítima da guerra na Ucrânia, com a angariação total de mais 600 mil euros, só na campanha realizada no mês de março e noutras iniciativas que decorreram até final de abril. 

Segundo o mesmo comunicado, a verba de 603.950 euros está a ser aplicada “na resposta a três necessidades identificadas desde o início da invasão da Ucrânia: apoio à população na Ucrânia; apoio aos deslocados e refugiados nos países de fronteira; [e] resposta às vítimas da guerra acolhidas em Portugal”.

Agora, e até ao final do ano de 2022, “a Cáritas Portuguesa assumiu o compromisso de contribuir com uma verba de 300 mil euros”. Segundo a organização, “este valor, que está já a ser executado, reforça uma estimativa de necessidades, prevista pela Caritas Internationalis, de financiamento no valor de 50 milhões de euros até ao início de 2023”.

Por fim, a nível nacional, a Cáritas comprometeu-se com a disponibilização de 100 mil euros, também a partir do valor angariado na campanha “Cáritas Ajuda Ucrânia” e que está a ser aplicado através do programa nacional “Vamos Inverter a Curva da Pobreza em Portugal”. No comunicado esclarece-se que esta verba responde à necessidade de reforçar a ação local da rede nacional Cáritas, composta por 20 Cáritas diocesanas, todas elas envolvidas localmente na resposta direta a situações de novas necessidades resultantes do acolhimento de famílias ucranianas.

 

Silêncio: a luz adentra no corpo

Pré-publicação 7M

Silêncio: a luz adentra no corpo novidade

A linguagem não é só palavra, é também gesto, silêncio, ritmo, movimento. Uma maior atenção a estas realidades manifesta uma maior consciência na resposta e, na liturgia, uma qualidade na participação: positiva, plena, ativa e piedosa. Esta é uma das ideias do livro Mistagogia Poética do Silêncio na Liturgia, de Rafael Gonçalves. Pré-publicação do prefácio.

pode o desejo

pode o desejo novidade

Breve comentário do p. António Pedro Monteiro aos textos bíblicos lidos em comunidade, no Domingo I do Advento A. Hospital de Santa Marta, Lisboa, 26 de Novembro de 2022.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Bahrein

Descoberto mosteiro cristão sob as ruínas de uma mesquita

Há quem diga que este é o “primeiro fruto milagroso” da viagem apostólica que o Papa Francisco fez ao Bahrein, no início de novembro. Na verdade, resulta de três anos de trabalho de uma equipa de arqueólogos locais e britânicos, que acaba de descobrir, sob as ruínas de uma antiga mesquita, partes de um ainda mais antigo mosteiro cristão.

Manhã desta quinta-feira, 24

“As piores formas de trabalho infantil” em conferência

Uma conferência sobre “As piores formas de trabalho infantil” decorre na manhã desta quinta-feira, 24 de Novembro (entre as 9h30-13h), no auditório da Polícia Judiciária (Rua Gomes Freire 174, na zona das Picoas, em Lisboa), podendo assistir-se também por videoconferência. Iniciativa da Confederação Nacional de Ação Sobre o Trabalho Infantil (CNASTI), em parceria com o Instituto de Apoio à Criança (IAC), a conferência pretende “ter uma noção do que acontece não só em Portugal, mas também no mundo acerca deste tipo de exploração de crianças”.

Porque não somos insignificantes neste universo infinito

Porque não somos insignificantes neste universo infinito novidade

Muitas pessoas, entre as quais renomados cientistas, assumem frequentemente que o ser humano é um ser bastante insignificante, senão mesmo desprezível, no contexto da infinitude do universo. Baseiam-se sobretudo na nossa extrema pequenez relativa, considerando que o nosso pequeno planeta não passa de um “ponto azul” situado num vasto sistema solar.

Mais do que A Voz da Fátima

Pré-publicação

Mais do que A Voz da Fátima

Que fosse pedido a um incréu um texto de prefácio para um livro sobre A Voz da Fátima, criou-me alguma perplexidade e, ao mesmo tempo, uma vontade imediata de aceitar. Ainda bem, porque o livro tem imenso mérito do ponto de vista histórico, com o conjunto de estudos que contém sobre o jornal centenário, mas também sobre o impacto na sociedade portuguesa e na Igreja, das aparições e da constituição de Fátima e do seu Santuário como o centro religioso mais importante de Portugal. Dizer isto basta para se perceber que não é possível entender, no sentido weberiano, Portugal sem Fátima e, consequentemente, sem o seu jornal.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This