Cáritas Internacional pede que ONU garanta vacinas para todos, em todo o mundo

| 6 Fev 21

vacina ebola, Foto ONU_Vincent Tremeau

“Os países do Sul, onde vive a maioria dos pobres, arriscam-se a ficar excluídos” da vacinação, avisa a Cáritas. Foto © ONU/Vincent Tremeau

 

Convocar uma reunião especial do Conselho de Segurança da ONU para assegurar o acesso de todos os países às vacinas contra o vírus da covid-19 e iniciar rapidamente o processo da transformação da dívida externa dos países mais pobres em fundos disponíveis para que estes possam modernizar os seus sistemas de saúde são as duas principais exigências formuladas pela Caritas Internacionalis.

O comunicado, divulgado esta semana, tem por título “Ação Urgente em Favor do Acesso às Vacinas Contra a Covid-19. Ninguém Pode Ser Excluído” e é assinado pelo cardeal Luis Antonio Tagle, presidente da Cáritas, pelo cardeal Peter Turkson, prefeito do Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral, do Vaticano, e pelo secretário-geral da Cáritas, Aloysius John. Os signatários sublinham que “as nações ricas do hemisfério Norte, que investiram fortemente na produção das vacinas, esperam agora resultados desse investimento. (…) Isto conduziu a práticas autocentradas do Norte, visíveis nos discursos nacionalistas e medidas protecionistas. Os países do Sul, onde vive a maioria dos pobres, arriscam-se a ficar excluídos” dos benefícios da vacinação.

Em Portugal, o secretariado permanente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) divulgou na quinta-feira, 4 de fevereiro, um comunicado em que se congratula com o início da vacinação da população e afirma ser “essencial que a vacina chegue a todos”, “começando pelos mais vulneráveis” e “pelas pessoas que, nas mais diversas instituições sociais e de saúde, são fundamentais para o seu funcionamento.” A CEP sublinha que “os ministros e colaboradores da Igreja Católica em Portugal, sejam eclesiásticos ou leigos, têm acesso à vacinação como qualquer outro cidadão”, ou seja, sem quaisquer privilégios ou estatutos especiais.

 

Jorge Sampaio, um laico cristão

Jorge Sampaio, um laico cristão novidade

Já tudo, ou quase tudo, foi dito e escrito sobre a figura do Jorge Sampaio. Assinalando a sua morte, foram, por muitos e de múltiplas formas, sublinhadas as diversas facetas definidoras da sua personalidade nos mais diversos aspetos. Permitam-me a ousadia de voltar a este tema, para sublinhar um aspeto que não vi, falha minha porventura, sublinhado como considero ser merecido.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Escutar todos, com horizontes para lá das “fronteiras” da Igreja

Inquérito sobre o Sínodo

Escutar todos, com horizontes para lá das “fronteiras” da Igreja novidade

O Papa observava, no encontro sinodal com a sua diocese de Roma, no último sábado, 18, que escutar não é inquirir nem recolher opiniões. Mas nada impede que se consultem os cristãos sobre as “caraterísticas e âmbito” que “entendem dever ter a escuta que as igrejas diocesanas são chamadas a realizar, desde 17 de outubro próximo até ao fim de março-abril de 2022. Era esse o terceiro ponto da consulta feita pelo 7Margens, cujas respostas damos hoje a conhecer.

Nova estratégia de combate ao antissemitismo será apresentada em outubro

União Europeia

Nova estratégia de combate ao antissemitismo será apresentada em outubro novidade

A União Europeia (UE) deverá divulgar, no próximo mês de outubro, uma “nova estratégia de combate ao antissemitismo e promoção da vida judaica”. A iniciativa surge na sequência da disseminação do racismo antissemita em inúmeros países da Europa, associada a teorias da conspiração que culpabilizam os judeus pela propagação da covid-19, avançou esta quarta-feira, 22, o Jewish News.

Livrai-nos do Astérix, Senhor!

Livrai-nos do Astérix, Senhor! novidade

A malfadada filosofia do politicamente correcto já vai no ponto de apedrejar a cultura e diabolizar a memória. A liberdade do saber e do saber com prazer está cada vez mais ameaçada. Algumas escolas católicas do Canadá retiraram cerca de cinco mil títulos do seu acervo por considerarem que continham matéria ofensiva para com os povos indígenas.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This