Fórum em Lisboa

Cáritas Lusófonas criam plataforma para partilha de projectos

| 30 Jun 2021

Voluntários da Cáritas Açores em acção. Foto © Cáritas Açores

As Cáritas dos países lusófonos lançaram nesta terça-feira, 29 de Junho, em Lisboa, uma plataforma para partilha de recursos e de boas práticas, que foi apresentada numa sessão presencial e digital.

“É importante porque poderemos partilhar, apresentar projectos, avaliar e expor aquelas que são as necessidades das Cáritas dentro da lusofonia”, disse à agência Ecclesia o director da Cáritas de Angola.

José Quintas acrescentou que em Angola “há imensas zonas com projectos inovadores que não estão partilhados em lado nenhum” e a própria Cáritas “não tem noção do manancial que pode partilhar e fazer acontecer”.

A presidente da Cáritas Portuguesa salienta também que a instituição irá partilhar projectos “dentro de cada país e com os países da lusofonia” e não há restrições aos projectos que podem ser divulgados. “O objetivo é começarmos a partilhar todos os projetos que façamos em parceria ou possam beneficiar outras Cáritas e outras parcerias”, esclareceu Rita Valadas.

A presidente da Cáritas Portuguesa explicou que a Plataforma Cáritas Lusófonas em Rede nasce de uma parceria com a Cáritas de Angola, depois de introduzidos os critérios de gestão da Cáritas Internacional.

Na sessão de apresentação, realizada presencialmente na Universidade Católica Portuguesa em Lisboa e pelos meios digitais, o presidente do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, entidade financiadora deste projeto, destacou que a plataforma fortalecerá “a rede, já forte, das Cáritas lusófonas, melhor organizando a sua actuação e evitando sobreposições”.

João Ribeiro de Almeida, antigo diplomata em Angola, afirmou que uma sociedade civil forte e robusta “é um requisito fundamental na construção e no desenvolvimento das democracias” e contribui para a “sensibilização da sociedade relativamente a assuntos como a pobreza, miséria, igualdade de género”, capacitação das mulheres e acesso à educação e saúde.

A nova plataforma é um dos resultados do projeto Cáritas Lusófonas em Rede – Inovar para o Impacto.

A coordenadora dos “standards” da Cáritas de Angola explica que este trabalho resultou na “capacitação institucional” da organização para garantir “maior eficiência, eficácia e qualidade de gestão, boa governação”.

José Quintas observou que a pandemia de covid-19 restringiu a acção da Cáritas Angola, mas agora a instituição tem estado a apoiar famílias mais carenciadas com as cozinhas comunitárias, bem como a fazer campanhas de solidariedade.

A plataforma foi apresentada no âmbito do 10.º Fórum Lusófono da Cáritas, que teve a participação das organizações de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Portugal e São Tomé e Príncipe.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Sinodalidade como interpelação às Igrejas locais e à colegialidade episcopal

Intervenção de Borges de Pinho na CEP

Sinodalidade como interpelação às Igrejas locais e à colegialidade episcopal

Há quem continue a pensar que sinodalidade é mais uma “palavra de moda”, que perderá a sua relevância com o tempo. Esquece-se, porventura, que já há décadas falamos repetidamente de comunhão, corresponsabilidade e participação. Sobretudo, ignoram-se os princípios fundacionais e fundantes da Igreja e os critérios que daí decorrem para o ser cristão e a vida eclesial.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This