Mosteiro de Évora

Cartuxa inaugura clausura de irmãs Servidoras do Senhor

| 3 Set 2022

Cartuxa, Évora, irmãs servidoras do Senhor

A entrada das irmãs servidoras do Senhor na Cartuxa de Évora, em março de 2021. Foto: Ecclesia/HM

 

Uma missa, neste domingo, dia 4, na Igreja do Mosteiro de Santa Maria Scala Coeli (Convento da Cartuxa), em Évora, assinala a inauguração oficial da clausura no Mosteiro, com a instalação da comunidade contemplativa Serva de Deus Lúcia dos Santos.

Numa nota à comunicação social, o Instituto das Servidoras do Senhor e da Virgem de Matará, também em nome da Arquidiocese de Évora e da Fundação Eugénio de Almeida, informa que a missa será presidida pelo arcebispo de Évora, Francisco Senra Coelho, e é aberta a quem quiser participar.

Já em março de 2021, o arcebispo de Évora tinha acolhido as Irmãs Servidoras do Senhor, destinadas à Cartuxa Scala Coeli, com a celebração de uma eucaristia na Igreja de S. Francisco, em Évora. Nesse dia, chegaram as oito irmãs Servidoras do Senhor e da Virgem de Matará, de várias nacionalidades, que vão agora constituir a Comunidade Monástica Contemplativa na Cartuxa de Évora, permitindo assim que aquele espaço sagrado continue a ser um “pulmão espiritual” na cidade e na Arquidiocese, refere a nota.

O Instituto Servidoras do Senhor e da Virgem de Matará é o ramo feminino da Família Religiosa do Verbo Encarnado. Compõe-se de irmãs tanto de vida apostólica como de vida contemplativa. Foi fundado na cidade de São Rafael na Argentina pelo padre Carlos Miguel Buela, a 25 de março de 1984.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Irritações e sol na cara

Irritações e sol na cara novidade

“Todos os dias têm muito para correr mal, sim. Mas pode-se passar pela vida irritado? Apitos e palavras desagradáveis, respirações impacientes, sempre com o “não posso mais” na boca.” – A crónica de Inês Patrício, a partir de Berlim

A cor do racismo

A cor do racismo novidade

O que espero de todos é que nos tornemos cada vez mais gente de bem. O que espero dos que tolamente se afirmam como “portugueses de bem” é que se deem conta do ridículo e da pobreza de espírito que ostentam. E que não se armem em cristãos, porque o Cristianismo está nas antípodas das ideias perigosas que propõem.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This