Apesar das dificuldades da Igreja

Católicos franceses: 10% participaram no Sínodo

| 15 Mai 2022

 

Os responsáveis da Igreja Católica francesa calculam que 150 mil pessoas terão participado na primeira fase do Sínodo dos Bispos sobre a Sinodalidade, apesar de casos e situações que poderiam ter funcionado como inibidores da participação.

Registou-se “uma bela participação”, sintetizou, em declarações ao jornal La Croix, o bispo de Troyes, Alexandre Joly, que é também coordenador da equipa nacional que acompanha o Sínodo, no âmbito da Conferência Episcopal da França (CEF). Isto apesar do calendário apertado para seguir a agenda do Vaticano, do choque provocado pelo relatório sobre os abusos sexuais cometidos na Igreja francesa, e da campanha para a eleição presidencial, que veio mostrar, no dizer do La Croix, “profundas fraturas dentro do catolicismo”, naquele país.

No total, os responsáveis do episcopado admitem que podem ter participado até agora, no processo sinodal, à roda de 10 por cento dos católicos praticantes, distribuídos pela totalidade das dioceses. As ordens religiosas, masculinas e femininas estiveram também ativas, tendo feito chegar à equipa nacional perto de 150 páginas de contributos.

Apesar de as dioceses não avançarem muito quanto ao conteúdo dos contributos recebidos, que ainda estão a ser analisados, documentos consultados pelo jornal La Croix referem a preocupação por uma Igreja “mais fraterna”, “menos centrada em si mesma”, mais atenta “às periferias” e “à voz dos mais pobres”. No caso de Toulouse, a primeira a produzir a sua síntese diocesana, lamenta-se que muitos se sintam “indesejados” dentro de uma instituição “percebida como desligada da realidade”, atormentada por “uma certa rigidez, compartimentação, uma moralidade culpabilizante”, mas também com “um certo sentimento de superioridade sobre o mundo” e pelo “lugar dado a quem sabe, a certos praticantes, em detrimento do invisível”.

Um aspeto algo dececionante, segundo um diácono membro da equipa nacional, foi a dificuldade de mobilizar os jovens para o Sínodo, apesar de, em alguns casos, se ter ido ao encontro deles, nomeadamente através da rede de instituições católicas de ensino, como no caso da diocese de Troyes.

 

Ateu ou cristão, qualquer um frequenta esta missão

Iniciativa da pastoral universitária

Ateu ou cristão, qualquer um frequenta esta missão novidade

Para entrar na Missão País, não é preciso ser-se católico praticante. Basta levar consigo a fé e o espírito de serviço. A iniciativa é desenvolvida em várias universidades e quer “inspirar gerações a viver a fé católica em missão”. Entre 11 e 18 de fevereiro, 59 jovens universitários viveram em Mogadouro, no distrito de Bragança, onde desenvolveram trabalho voluntário no lar de idosos e no centro infantil. O 7MONTES recolheu testemunhos de quem viveu esta experiência por “dentro” e de “fora”.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Conselho Português de Igrejas Cristãs apela a voto que “salvaguarde conquistas” do 25 de Abril

Rejeitando "discursos políticos autoritários"

Conselho Português de Igrejas Cristãs apela a voto que “salvaguarde conquistas” do 25 de Abril novidade

O Conselho Português de Igrejas Cristãs (COPIC) apela ao voto “de todas e todos” os portugueses nas legislativas de março, e também nas eleições para o parlamento Europeu que irão acontecer em junho, “como forma de participação cívica e de salvaguarda das conquistas e desenvolvimentos alcançados ao longo de 50 anos de democracia”, aludindo assim ao aniversário do 25 de Abril que este ano se assinala.

Seis religiosos, um padre e um professor católicos raptados no Haiti

Igreja particularmente ameaçada

Seis religiosos, um padre e um professor católicos raptados no Haiti novidade

Um padre que acabava de celebrar missa na capela de N. Sra de Fátima, seis Irmãos do Sagrado Coração e um professor leigo que se dirigiam para a escola católica João XXIII, ambas no centro de Porto Príncipe (capital do Haiti), foram raptados na passada sexta-feira por um gangue que está neste momento a exigir à Igreja Católica do Haiti elevados resgates para libertá-los,

A Loucura do Bem Comum

A Loucura do Bem Comum novidade

O auditório está quase cheio e no pequeno palco alguém inicia a conferência de abertura. Para me sentar, passo frente a quem chegou a horas e tento ser o mais discreta possível. Era o primeiro tempo do PARTIS (Práticas Artísticas para a Inclusão Social) de 2024 na Fundação Gulbenkian. O tema “Modelos de escuta e participação na cultura” desafiou-me a estar e ganhei esse tempo! [Texto Ana Cordovil]

Agenda

There are no upcoming events.

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This