2 e 3 dezembro, em Palmela

Chega a Portugal a “Caná Experience”, um retiro para (quase) todos os casais

| 24 Nov 2023

Caná experience, retiro para casais. Foto Caná Colombia

Haverá caminhadas, workshops, tempos de conversa e de silêncio, olhando sobretudo um para o outro “e sem ter de andar sempre a olhar para o relógio”. Foto © Caná Colombia

 

Podem ser casados, recasados, “só juntos” ou namorados, há muito ou pouco tempo, frequentadores da Igreja ou não. Para participar nesta “Caná Experience” – retiro para casais promovido pela comunidade ecuménica Chemin Neuf, que se realiza pela primeira vez em Portugal nos dias 2 e 3 de dezembro – basta serem “um homem e uma mulher com uma relação estável”. Diz quem já participou que é “uma experiência transformadora”. Para muito melhor.

“A vida em casal não é fácil. O dia a dia é preenchido de múltiplos desafios e exigências na vida familiar, filhos, profissão… Sentimos que muitas relações entram em crise ou terminam porque se cria um distanciamento, dificuldades de comunicação, ressentimentos, dificuldade em planear a dois ou em perdoar o parceiro/a”, reconhece Ana Varela, que há três anos fez a sua primeira “Caná Experience” com o marido, no Reino Unido, e gostou tanto que agora está a colaborar na organização do primeiro retiro em Portugal. “Esta experiência – explica ao 7MARGENS – ajuda-nos a parar e agradecer o dom da vida que escolhemos partilhar juntos e os frutos desta união na nossa vida. Ajuda-nos a escutar, a comunicar melhor, a perdoar e aprofundar o nosso amor”.

Sem querer revelar tudo o que vai acontecer neste retiro, “porque uma das alegrias de Caná vem precisamente da surpresa, de nos deixarmos conduzir, de relaxarmos e abandonarmos por um tempo as lógicas que temos cá fora, em que está sempre tudo planeado”, Ana Varela adianta que o retiro é “um tempo que o casal tem só para si, para estar um com o outro, e também com momentos de partilha com outros casais, mas só se assim o entender, porque ninguém é forçado a partilhar nada”.

Essa interação com outros casais “ajuda-nos a perceber que todos enfrentamos desafios, e é possível superá-los com boas ferramentas de comunicação e partilha, seja qual for a nossa missão. Mas o tempo central em Caná é para o casal”, sublinha.

Assim, haverá caminhadas, workshops, tempos de conversa e de silêncio, olhando sobretudo um para o outro “e sem ter de andar sempre a olhar para o relógio”, num ambiente que se pretende “descontraído e de bom humor”.

 

“Não é preciso preparar nada, nem há trabalhos de casa!”

Caná experience, retiro para casais. Foto Caná Colombia (1)

A interação com outros casais “ajuda-nos a perceber que todos enfrentamos desafios, e é possível superá-los com boas ferramentas de comunicação e partilha”. Foto © Caná Colombia

 

Apesar de se tratar de uma dinâmica inspirada na pedagogia de Santo Inácio de Loyola, Ana Varela sublinha que esta experiência “é mesmo para todos”. Só não está (pelo menos, por enquanto), aberta a casais homossexuais. Nos encontros em que participou com o seu marido (um deles de uma semana inteira e para o qual levaram também os filhos, porque paralelamente ao retiro dos pais havia um acampamento para os mais novos), “participaram casais católicos, anglicanos, ‘mistos’ – em que um era cristão e outro muçulmano – e também casais não cristãos”, recorda.

“Para mim, a vantagem de participar em Caná é precisamente que isso não implica fazer parte de um movimento. A experiência Caná é uma missão da comunidade Chemin Neuf, mas não é um movimento em si”. E, ao contrário do que acontece com outras dinâmicas de casais, “aqui não é preciso preparar nada, nem há trabalhos de casa”. É, assim, “para todos os casais, de todos os contextos, mesmo aqueles que não têm tempo nem o hábito de fazer estas coisas”… ou até sobretudo para esses.

Este primeiro retiro em solo português vai decorrer na Casa de Oração de Santa Rafaela Maria, em Palmela, começando no sábado, dia 2, pelas 10h, e terminando no domingo, 3, às 16h. O preço varia entre 86 e 108 euros por casal, mas a comunidade Chemin Neuf irá suportar as despesas daqueles que não tenham possibilidade de pagar, pelo que “ninguém deve deixar de se inscrever por causa disso”.

No site Caná Portugal, estão disponíveis informações adicionais e o link para as inscrições no retiro, que Ana Varela espera que seja “o primeiro de muitos”.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Clero de Angra pede “incremento da pastoral vocacional” assente no “testemunho do padre”

Face a "descredibilização" dos presbíteros

Clero de Angra pede “incremento da pastoral vocacional” assente no “testemunho do padre” novidade

Reconhecendo que o contexto da Igreja universal “é caracterizado pela descredibilização do clero provocada por diversas crises, pela redução do número de vocações ao sacerdócio ministerial e pela situação sociológica de individualismo e de crescente indiferença perante a questão vocacional”, os representantes do Clero diocesano de Angra (Açores) defendem o incremento da “pastoral vocacional assente na comunidade, sobretudo na família e no testemunho do padre”.

Por uma transumância outra

Por uma transumância outra novidade

Este texto do Padre Joaquim Félix corresponde à homilia do Domingo IV da Páscoa na liturgia católica – último dia da semana de oração pelas vocações – proferida nas celebrações eucarísticas das paróquias de Tabuaças (igreja das Cerdeirinhas), Vilar Chão e Eira Vedra (arciprestado de Vieira do Minho).  

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This