Depois de comunicado da Santa Sé

China diz desconhecer motivos de protesto do Vaticano por violação de acordo

| 29 Nov 2022

“As relações China-Vaticano continuam a melhorar e também promovem o desenvolvimento harmonioso do catolicismo chinês”, disse o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês. Foto: Vatican Media.

 

O porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da China, Zhao Lijian, afirmou esta segunda-feira, 28 de novembro, desconhecer “o assunto específico” que levou o Vaticano a emitir um comunicado no passado sábado, no qual criticava o Governo chinês por ter instalado um bispo à revelia do acordo estabelecido entre ambas as partes.

“O que desejo enfatizar é que nos últimos anos a China e o Vaticano mantiveram contactos, alcançaram vários consensos importantes, as relações China-Vaticano continuam a melhorar e também promovem o desenvolvimento harmonioso do catolicismo chinês”, disse Zhao Lijian, citado pela agência Reuters, acrescentando que Pequim “está pronta para expandir continuamente o consenso de amizade com o lado do Vaticano e trabalhar em conjunto para defender o espírito do acordo provisório”.

O acordo, que tem sido motivo de polémica dentro da Igreja Católica, foi renovado por um período de dois anos no passado mês de outubro. Os conteúdos do mesmo nunca foram revelados por nenhuma das partes.

 

“É o fim da prisão perpétua para os inimputáveis”, e da greve de fome para Ezequiel

Revisão da lei aprovada

“É o fim da prisão perpétua para os inimputáveis”, e da greve de fome para Ezequiel novidade

Há uma nova luz ao fundo da prisão para Ezequiel Ribeiro – que esteve durante 21 dias em greve de fome como protesto pelos seus já 37 anos de detenção – e também para os restantes 203 inimputáveis que, tal como ele, têm visto ser-lhes prolongado o internamento em estabelecimentos prisionais mesmo depois de terminado o cumprimento das penas a que haviam sido condenados. A revisão da lei da saúde mental, aprovada na passada sexta-feira, 26 de maio, põe fim ao que, na prática, resultava em situações de prisão perpétua.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

JMJ realizou em 2022 metade das receitas que tinha orçamentado

A Fundação Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Lisboa 2023 obteve no ano passado rendimentos de 4,798 milhões de euros (menos de metade do previsto no seu orçamento) e gastos de 1,083 milhões, do que resultaram 3,714 milhões (que comparam com os 7,758 milhões de resultados orçamentados). A Fundação dispunha, assim, a 31 de dezembro de 2022, de 4,391 milhões de euros de resultados acumulados em três anos de existência.

Debate em Lisboa

Uma conversa JMJ “conectada à vida”

Com o objectivo de “incentivar a reflexão da juventude” sobre “várias problemáticas da actualidade, o Luiza Andaluz Centro de Conhecimento (LA-CC), de Lisboa, promove a terceira sessão das Conversas JMJ, intitulada “Apressadamente conectadas à vida”.

O que se traz em nós depois de entrar em Auschwitz e em Birkenau

O que se traz em nós depois de entrar em Auschwitz e em Birkenau novidade

Entrei pela primeira vez no Campo de Auschwitz, na Polónia, no passado dia 5 de maio. Na viagem de autocarro que começara na belíssima Cracóvia aumentava a minha ansiedade e não conseguia abstrair-me das minhas perguntas de há tantos anos: como se entra num lugar como aquele, sabendo hoje o que sabemos? O que se sente? O que se traz em nós quando depois fazemos o trajeto de regresso que milhares de outros não puderam fazer?

Agenda

There are no upcoming events.

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This