Esquecido o grito do Papa no Congo

Chineses não “tiram as mãos” de África e intensificam extração de minerais

| 16 Fev 2023

Minas. Crianças. Trabalho infantil. Congo

Um mineiro artesão menor de idade a fazer a triagem do cobalto, no Lago Malo, próximo de Kolwezi (República Democrática do Congo). Foto © Amnesty International e Afrewatch.

 

Os veementes apelos do Papa Francisco, no Congo, para que os grandes interesses internacionais retirassem as “garras” das riquezas dos povos africanos aparentemente não chegaram à China. Segundo informa a agência Asia News, as empresas chinesas buscam em África minerais estratégicos para responder à procura de carros elétricos e híbridos no seu país.

“As crescentes tensões geopolíticas com os EUA obrigam o gigante asiático a explorar novos mercados”, observa a agência, para acrescentar que metais como lítio, cobalto e níquel estão mais difíceis de adquirir, dadas as limitações à compra adotadas por Washington e os seus aliados, entre os quais o Canadá. Este país, que controla 1.400 das 2.400 mineradoras que operam no mundo, impôs restrições que prejudicaram os interesses de Pequim.

Ainda que a maioria das reservas minerais se encontrem na América Latina e haja aí grande abertura aos investimentos das empresas chinesas, a instabilidade, as lutas sociais e a baixa produtividade tornam nessa região do planeta menos interessante para elas.

Há anos que os chineses decidiram apostar em África. E se é verdade que alguns dos problemas da região sul-americana se encontram igualmente neste continente, o que é diferente é a facilidade com que podem explorar as populações locais na indústria extrativa, sem que isso levante demasiados problemas. Ora, continua a Asia News, dois terços do cobalto mundial e 10 por cento do cobre estão em África e está nos seus começos a exploração do lítio.

Faz, assim sentido, recolocar as palavras do Papa, logo no primeiro dia da sua recente visita a África, num discurso em Kinshasa, em que se dirigiu às potências mundiais, incluindo as asiáticas, que continuam a olhar para este continente “como uma reserva de matérias-primas a serem exploradas para os próprios interesses”:

“Este país e este continente merecem ser respeitados e ouvidos – sublinhou Francisco – merecem espaço e atenção: tirem as mãos da República Democrática do Congo, tirem as mãos da África! Basta com este sufocar a África: não é uma mina para explorar, nem uma terra para saquear”.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Psiquiatra Margarida Neto é a nova presidente da Associação dos Médicos Católicos Portugueses

Sucedendo a José Diogo Ferreira Martins

Psiquiatra Margarida Neto é a nova presidente da Associação dos Médicos Católicos Portugueses novidade

A psiquiatra Margarida Neto é a nova presidente da direção nacional da Associação dos Médicos Católicos Portugueses (AMCP). A médica, que trabalha na Casa de Saúde do Telhal (Sintra) e é uma das responsáveis pelo Gabinete de Escuta do Patriarcado de Lisboa, foi eleita por unanimidade no passado sábado, 13 de abril, para o triénio 2024-2026.

Cristianismo e democracia

Cristianismo e democracia novidade

Em tempo de comemoração dos cinquenta anos da revolução de 25 de abril, penso dever concluir que o maior legado desta é o da consolidação do Estado de Direito Democrático. Uma consolidação que esteve ameaçada nos primeiros tempos, mas que se foi fortalecendo progressivamente. Esta efeméride torna particularmente oportuna a reflexão sobre os fundamentos éticos da democracia. [Texto de Pedro Vaz Patto]

A “afinidade” entre a música de intervenção e a mensagem de libertação cristã

Alfredo Teixeira em conferência dia 16

A “afinidade” entre a música de intervenção e a mensagem de libertação cristã

Podem algumas canções de intervenção ligadas à Revolução de 25 de Abril de 1974 relacionar-se com o catolicismo? O compositor e antropólogo Alfredo Teixeira vai procurar mostrar que há uma “afinidade” que une linguagem bíblica e cristã à música de Zeca, José Mário Branco, Lopes-Graça, Adriano Correia de Oliveira, Sérgio Godinho e outros.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This