Clara Bingemer, teóloga da mística de olhos abertos, no simpósio dos 50 anos da Faculdade de Teologia

| 5 Nov 19 | Cristianismo - Homepage, Cultura e artes, Igreja Católica, Newsletter, Últimas

Maria Clara Bingemer, numa recente apresentação em Espanha de um livro de sua autoria. Foto © ReligionDigital.

 

Há um mês, a teóloga brasileira Maria Clara Bingemer escrevia, no sítio digital Amai-vos, que dirige, a propósito da greve mundial pelo clima: “Em busca de um líder ao qual possam confiar seus desejos e reivindicações, [os jovens] encontrarão certamente o Papa Francisco que, em sua encíclica [Laudato Si’], apresenta ao mundo a urgência de uma conversão ecológica integral, a fim de que a criação de Deus e a vida que nela habita tenha futuro. A visão dos milhares de jovens e adolescentes manifestando e pedindo pelo planeta tinha a forma de uma grande liturgia. Ali está a utopia de sua geração, sua paixão, aquilo pelo qual estão dispostos a tudo. De seus corpos e bocas saía a expressão da verdade que denuncia a hipocrisia e a irresponsabilidade dos poderes destruidores da terra e da vida.”

Apresentando-se como carioca, mãe de três filhos e avó de quatro netos, Bingemer é professora de Teologia Fundamental na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Nesta quarta-feira, Mara Clara Bingemer estará no Porto, no centro regional da Universidade Católica, para falar sobre “Tendências teológicas na América Latina”.

Bingemer será um dos nomes que intervém no simpósio sobre “Teologia e Espaço Público”, que se inicia nesta terça-feira, 5 de Novembro, às 11h, e com o qual a Faculdade de Teologia (FT) da UCP assinala o fim das comemorações dos 50 anos da sua criação. A intervenção da teóloga brasileira é importante, tendo em conta o contexto actual, ainda mais quando acabou de se realizar o Sínodo dos Bispos sobre a Amazónia: fala-se de novas correntes da teologia da América Latina, recuperando muita da reflexão do II Concílio do Vaticano, das assembleias episcopais do continente e da Teologia da Libertação. A conferência decorre a partir das 9h30, no campus da Foz da UCP-Porto.

Casada desde 1969, Bingemer está em exclusivo na PUC-Rio desde 1982. Mas, antes de se dedicar à Teologia, formou-se em comunicação social e continua a colaborar regularmente com o Jornal do Brasil e outras publicações, além de dirigir o conteúdo e manter uma coluna no sítio digital Amai-vos.

“A Igreja na América Latina, que inventou o modelo das comunidades de base que fazia a teologia a partir da prática, foi dizimada, levou golpes muito duros e os seus mais ilustres representantes também”, dizia, em Abril de 2018, em entrevista ao Público.

Clara Bingemer tem três livros publicados em Portugal (todos na Paulinas): Viver como Crentes no Mundo em Mudança, Experiência de Deus na Contemporaneidade e Simone Weil. Neles identifica as crises contemporâneas – ética, cultural, religiosa – para dizer que é nesse contexto que “o cristianismo é chamado a encontrar e a compreender o seu rosto e a sua identidade”. Interessada no diálogo teológico com a modernidade, Bingemer propõe uma “mística de olhos abertos e ouvidos atentos ao ruído mundano” que encontre em expressões de vida como as de Simone Weil, Etty Hillesum ou Dorothy Day referências integradoras de realidades como o corpo, a estética, a atenção aos mais pobres, a espiritualidade, a sexualidade, o trabalho ou a amizade.

No simpósio da FT, intervêm ainda outros nomes importantes da Teologia contemporânea: terça, às 11h30, Julio Luis Martínez Martínez, reitor da Universidade Pontifícia Comillas (Madrid, Espanha), falará sobre “A pertinência pública do discurso teológico hoje”; e às 16h30 Lieven Boeve, da Faculdade de Teologia e Estudos Religiosos da Universidade Católica de Leuven (Lovaina flamenga) desenvolve o tema “A teologia no mundo universitário”.

Quarta, dia 6, às 15h, o tema do impacto da cultura (pós)secular na transformação do discurso teológico será desenvolvido por Pierangelo Sequeri, presidente do Instituto João Paulo II, de Roma. O programa completa-se com dois painéis temáticos sobre “A pluralidade das teologias” e “Caminhos da interdisciplinaridade”, cujos intervenientes podem ser conferidos no programa completo.

Artigos relacionados

Apoie o 7 Margens

Breves

A mulher que pode ter autoridade sobre os bispos

Francesca di Giovanni, nomeada pelo Papa para o cargo de subsecretária da Secção para as Relações com os Estados, considerou a sua escolha como “uma decisão inovadora [que] representa um sinal de atenção para com as mulheres.

Papa considera “superado” episódio do livro sobre celibato

O Papa Francisco terá considerado ultrapassado o episódio do início desta semana, a propósito do livro sobre o celibato, escrito pelo cardeal Robert Sarah, da Guiné-Conacri, e o Papa emérito Bento XVI (ou que o cardeal escreveu sozinho, usando também um texto de Ratzinger).

Henrique Joaquim: “Assistencialismo não tira da rua as pessoas sem-abrigo”

“O assistencialismo não tira a pessoa da rua, não resolve o problema; ainda que naquela noite tenha matado a fome a uma pessoa, não a tira dessa condição”, diz o gestor da Estratégia Nacional de Integração dos Sem-abrigo, Henrique Joaquim, que esta quinta-feira, 2 de Janeiro, iniciou as suas funções.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

Do Porto a Bissau: um diário de viagem no 7MARGENS dá origem a livro

Do Porto a Bissau: um diário de viagem no 7MARGENS dá origem a livro

A viagem começou a 3 de Fevereiro, diante da Sé do Porto: “Quando estacionámos o jipe em frente à catedral do Porto, às 15h30, a aragem fria que fustigava o morro da Sé ameaçava o calor ténue do sol que desmaiava o seu brilho no Rio Douro.” Terminaria doze dias depois, em Bissau: “Esta África está a pedir, em silêncio e já há muito tempo, uma obra de aglutinação de esforços da comunidade internacional, Igreja incluída, para sair do marasmo e atonia de uma pobreza endémica que tem funestas consequências.”

É notícia

Entre margens

Beleza e ecumenismo

A junção de beleza e ecumenismo evoca a luxuriante diversidade num jardim. A beleza tem afinidades com a surpresa: é a vitória sobre o banal, o monótono.

Cultura: novas histórias e paradigmas…

“Torna-se necessária uma evangelização que ilumine os novos modos de se relacionar com Deus, com os outros e com o ambiente, e que suscite os valores fundamentais” – afirma a exortação pastoral Evangelii Gaudium. Na mesma linha em que o Papa João XXIII apelava ao reconhecimento da importância dos “sinais dos tempos”, o Papa Francisco afirmou que: “É necessário chegar aonde são concebidas as novas histórias e paradigmas, alcançar com a Palavra de Jesus os núcleos mais profundos da alma das cidades.

Cultura e artes

Cinema: À Porta da Eternidade novidade

O realizador Julian Schnabel alterou, com este filme, alguns mitos acerca de Vincent van Gogh, considerado um dos maiores pintores de todos os tempos. Os cenários, a fotografia e a iluminação do filme produzem uma aproximação visual às telas do pintor, no período em que van Gogh parte para Arles, no sul de França, em busca da luz, seguindo todo o seu percurso até à morte, aos 37 anos de idade.

Que faz um homem com a sua consciência?

Nem toda a gente gosta deste filme. Muitos críticos não viram nele mais do que uma obra demasiado longa, demasiado maçadora, redundante e cabotina. Como o realizador é Terrence Malick não se atreveram a excomungá-lo. Mas cortaram nas estrelas. E no entanto… é um filme de uma força absolutamente extraordinária. Absolutamente raro. Como o melhor de Mallick [A Árvore da Vida].

Sete Partidas

Guiné-Bissau: das “cicatrizes do tempo” ao renascer do povo

Este mês fui de visita à Guiné. Uma viagem de memória para quem, como eu, não tinha memórias da Guiné. Estive em Luanda ainda em criança, mas as memórias são as próprias da idade. Excepção à única em que o meu pai me bateu. Às cinco da tarde saí de casa e às dez da noite descobriram-me a assistir, divertida, ao baile no clube. Uma criança de cinco anos, branca e loura, desaparecida na Luanda dos anos 1960 não augurava coisa boa, o que gerou o pânico dos meus pais. Daí a tareia…

Visto e Ouvido

Aquele que habita os céus sorri

Agenda

Jan
23
Qui
Encontros de Santa Isabel – “Jesus, as periferias e nós” @ Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa
Jan 23@21:30_23:00

Conferência sobre “Periferias”, com Isabel Mota, presidente da Fundação Calouste Gulbenkian

Jan
30
Qui
Encontros de Santa Isabel – “Jesus, as periferias e nós” @ Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa
Jan 30@21:30_23:00

Debate sobre “Aqui e agora”, com Luís Macieira Fragoso e Maria Cortez de Lobão, presidente e vice-presidente da Cáritas Diocesana de Lisboa

Jan
31
Sex
III Congresso Lusófono de Ciência das Religiões – Religião, Ecologia e Natureza (até 5 de Fevº) @ Universidade Lusófona, Templo Hindu, Mesquita Central e Centro Ismaili
Jan 31@09:30_14:00

Ver todas as datas

Parceiros

Fale connosco