Processo político

Clero da Guiné-Bissau participa na revisão da Constituição

| 25 Out 21

Padres diocesanos da Guiné-Bissau reunidos para falar da revisão constitucional. Foto © Vatican News.

 

Os padres diocesanos da Guiné-Bissau reuniram na quinta e sexta-feira da última semana com a comissão especializada de deputados que está a proceder à elaboração de uma proposta de revisão da Constituição, para poderem dar um contributo no processo.

O coordenador da Associação do Clero Diocesano, Augusto Mutna Tamba, disse ao site Vatican News que a Igreja Católica no país está preocupada com as interpretações contraditórias acerca da Constituição da República, o que é, muitas vezes, fonte de instabilidade nacional.

A Associação criou já uma comissão técnica e propõe-se apresentar proximamente à Comissão de Revisão Constitucional as suas propostas para a revisão.

De acordo com o Vatican News, a revisão constitucional é apontada como via de saída da instabilidade cíclica na Guiné-Bissau. As perspetivas não são, porém animadores, visto que, a par do processo que decorre no âmbito das competências da Assembleia Nacional Popular, o presidente da República, Umaro Sissoco Embaló, terá afirmado em agosto de 2020, que a única constituição que será aplicada no país será a proposta pela comissão de revisão constitucional, que ele próprio criou.

 

Um caderno para imprimir e usar

Sínodo 2021-23

Um caderno para imprimir e usar novidade

Depois de ter promovido a realização de dois inquéritos sobre o sínodo católico 2021-23, o 7MARGENS decidiu reunir o conjunto de textos publicados a esse propósito num caderno que permita uma visão abrangente e uma utilização autónoma do conjunto. A partir de agora, esse caderno está disponível em ligação própria.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Esta é a Igreja que eu amo!

Esta é a Igreja que eu amo! novidade

Fui um dos que, convictamente e pelo amor que tenho à Igreja Católica, subscrevi a carta que 276 católicas e católicos dirigiram ao episcopado português para que, em consonância e decididamente, tomassem “a iniciativa de organizar uma investigação independente sobre os crimes de abuso sexual na Igreja”.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This