Abusos sexuais desde 1950

Comissão neozelandesa validou 1680 denúncias

| 1 Fev 2022

O cardeal John Dew, numa foto da sua página de Facebook.

 

Mais de um milhar de neozelandeses apresentaram 1.680 denúncias de abusos contra padres, freiras, frades e leigos. As queixas referem-se ao período entre 1950 e os dias de hoje e os queixosos nomearam de modo explícito 592 abusadores, refere o relatório do grupo de trabalhoTe Rōpū Tautoko entregue esta terça-feira, dia 1 de fevereiro, à Conferência dos Bispos Católicos da Nova Zelândia (CBCNZ).

A informação pode ser lida no sítio oficial da CBCNZ e avança que “quase metade dos abusos relatados envolveu danos sexuais. As décadas de 1960 e 1970 foram as décadas com mais abusos relatados, sendo 75% datados antes de 1990”.

O grupo de peritos Te Rōpū Tautoko foi nomeado pela CBCNZ para investigar os casos de abusos no âmbito religioso e para coordenar o relacionamento entre a Igreja Católica e a comissão governamental, criada em 2018, para investigar os abusos sexuais ocorridos no país nas últimas décadas. Os resultados da investigação agora tornada pública foram fornecidos à comissão governamental. A definição de abuso utilizada pelo Te Rōpū Tautoko é a instituída pela comissão do Governo e inclui “relatos de abuso sexual, físico, emocional, psicológico e de negligência”.

O cardeal John Dew, presidente da CBCNZ, declarou que estas estatísticas eram “horríveis” e constituíam “algo de que [a Igreja se envergonha] profundamente”.

Das 1.680 denúncias validadas, 1.350 envolviam crianças, 164 adultos e 167 pessoas com idade que a investigação não conseguiu determinar. Quase metade das queixas dizem respeito a relatos de abuso sexual contra uma criança. Do total, 687 dizem respeito a estabelecimentos de ensino, 425 a acolhimento residencial, 228 a freguesias e 122 a outras localidades. Outros 219 tiveram lugar em locais não identificados.

 

Sida: 60% das crianças entre os 5 e os 14 anos sem acesso a tratamentos

Relatório da ONU alerta

Sida: 60% das crianças entre os 5 e os 14 anos sem acesso a tratamentos novidade

O mais recente relatório da ONUSIDA, divulgado esta terça-feira, 29 de novembro,  é perentório: “o mundo continua a falhar à infância” na resposta contra a doença. No final de 2021, 800 mil crianças com VIH não recebiam qualquer tratamento. Entre os cinco e os 14 anos, apenas 40% tiveram acesso a medicamentos para a supressão viral. A boa notícia é que as mortes por sida caíram 5,79% face a 2020, mas a taxa de mortalidade observada entre as crianças é particularmente alarmante.

Gracia Nasi, judia e “marrana”

Documentário na RTP2

Gracia Nasi, judia e “marrana” novidade

Nascida em Portugal em 1510, com o nome cristão de Beatriz de Luna, Gracia Nasi pertencia a uma uma família de cristãos-novos expulsa de Castela. Viúva aos 25 anos, herdeira de um império cobiçado, Gracia revelar-se-ia exímia gestora de negócios. A sua personalidade e o destino de outros 100 mil judeus sefarditas, expulsos de Portugal, são o foco do documentário Sefarad: Gracia Nasi (RTP2, 30/11, 23h20).

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Bahrein

Descoberto mosteiro cristão sob as ruínas de uma mesquita

Há quem diga que este é o “primeiro fruto milagroso” da viagem apostólica que o Papa Francisco fez ao Bahrein, no início de novembro. Na verdade, resulta de três anos de trabalho de uma equipa de arqueólogos locais e britânicos, que acaba de descobrir, sob as ruínas de uma antiga mesquita, partes de um ainda mais antigo mosteiro cristão.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This