A visão do diretor-geral da OMS

Comunidades religiosas são “vitais na luta contra a covid-19”

| 2 Set 21

Tedros Adhanom Ghebreyesus, foto Ivars Kupcis/WCC

“As organizações baseadas na fé são as mais confiáveis”, defendeu Tedros Adhanom Ghebreyesus durante um encontro inter-religioso em Genebra. Foto © Ivars Kupcis/WCC.

O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, destacou o importante papel que as comunidades religiosas têm desempenhado na luta contra a pandemia de covid-19. O responsável falava durante um encontro em Genebra, que reuniu na passada segunda-feira, 30, diversos representantes religiosos, ministros, embaixadores, e organizações não governamentais.

“Todos nós temos um papel a desempenhar – governos, organizações internacionais, fundações, o setor privado, organizações da sociedade civil e organizações baseadas na fé… Envolver e capacitar as comunidades é essencial em todas as áreas, mas especialmente na resposta a crises”, disse Tedros.

O responsável da OMS destacou o “papel particularmente importante” que as comunidades religiosas têm desempenhado “no financiamento, confiança, apoio, conforto, orientação e informação” para “muitas pessoas”.

De acordo com Tedros Ghebreyesus, a luta contra a pandemia passa por “manter as comunidades saudáveis e seguras, envolvidas, informadas e capacitadas por líderes e instituições nas quais confiam para se protegerem, e as organizações baseadas na fé são as mais confiáveis”, sublinhou.

O encontro, intitulado “Diálogo sobre a covid-19 e consequências para a cooperação multilateral global, foi moderado pelo ex-primeiro-ministro da Noruega, Kjell Magne Bondevik, e contou com a participação do Conselho Mundial de Igrejas e da Liga Muçulmana Mundial.

 

Nós somos porque eles foram. E nós seremos nos que vierem a ser.

Nós somos porque eles foram. E nós seremos nos que vierem a ser. novidade

A homenagem aos que perderam as suas vidas nesta pandemia é uma forma de reconhecermos que não foram só os seus dias que foram precoce e abruptamente reduzidos, mas também que todos nós, os sobreviventes, perdemos neles um património imenso e insubstituível. Só não o perderemos totalmente se procurarmos valorizá-lo, de formas mais ou menos simbólicas como é o caso da Jornada da Memória e da Esperança deste fim-de-semana, mas também na reflexão sobre as nossas próprias vidas e as das gerações que nos sucederão.

Parlamento aprovou voto de solidariedade com vítimas da pandemia e iniciativa cidadã

Jornada da Memória e da Esperança

Parlamento aprovou voto de solidariedade com vítimas da pandemia e iniciativa cidadã novidade

A Assembleia da República (AR) manifestou o seu apreço pela Jornada de Memória e Esperança, que decorre neste fim-de-semana em todo o país, através de um voto de solidariedade com as vítimas de covid-19 e com as pessoas afectadas pela pandemia, bem como com todos os que ajudaram no seu combate, com destaque para os profissionais de saúde.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This