Abusos sexuais

Concordatas usadas para fugir à justiça, denuncia ONU

| 22 Jun 2021

rapariga a transportar um urso de peluche. Foto Lisa Runnels / Pixabay

 

Tomar todas as medidas necessárias para deter e prevenir a violência e o abuso sexual recorrentes contra crianças em instituições católicas, e para garantir que os responsáveis ​​prestem contas e as reparações sejam pagas às vítimas, são alguns dos pontos de uma carta dirigida ao Papa por um grupo de peritos em direitos humanos das Nações Unidas. O mesmo documento diz também que as concordatas são limitativas de uma combate eficaz ao problema.

Notar que concordatas e outros acordos negociados pela Santa Sé com os Estados “limitam a capacidade das autoridades civis de questionar, obrigar a produção de documentos ou processar pessoas associadas à Igreja Católica

A carta dirigida à Santa Sé está datada de 7 abril de 2021 e acaba de ser revelada publicamente: segundo nela é referido, esse seria o procedimento, caso as situações nela especificadas não fossem objeto de resposta no prazo de 60 dias.

Os subscritores expressaram “a maior preocupação com as inúmeras denúncias em todo o mundo de abusos sexuais e violência cometidos por membros da Igreja Católica contra as crianças”, bem como com “as medidas adotadas pela Igreja para proteger supostos abusadores, encobrir crimes, obstruir a responsabilização dos supostos abusadores e evitar as reparações devidas às vítimas”.

Na missiva, denunciam-se “persistentes alegações de obstrução e falta de cooperação por parte da Igreja Católica com os processos judiciais internos para evitar a responsabilização dos perpetradores e indenizações às vítimas” e fazem-se notar que concordatas e outros acordos negociados pela Santa Sé com os Estados “limitam a capacidade das autoridades civis de questionar, obrigar a produção de documentos ou processar pessoas associadas à Igreja Católica”.

Os especialistas da ONU saudaram as recentes regras estabelecidas pela Santa Sé para abolir o sigilo papal em casos de abuso sexual e permitir a denúncia de tais casos e a apresentação de documentos às autoridades civis das jurisdições envolvidas. No entanto, observaram na carta que “o pedido de denúncia de crimes às autoridades civis ainda não era obrigatório”, instando a que isso seja rapidamente corrigido.

 

Sida: 60% das crianças entre os 5 e os 14 anos sem acesso a tratamentos

Relatório da ONU alerta

Sida: 60% das crianças entre os 5 e os 14 anos sem acesso a tratamentos novidade

O mais recente relatório da ONUSIDA, divulgado esta terça-feira, 29 de novembro,  é perentório: “o mundo continua a falhar à infância” na resposta contra a doença. No final de 2021, 800 mil crianças com VIH não recebiam qualquer tratamento. Entre os cinco e os 14 anos, apenas 40% tiveram acesso a medicamentos para a supressão viral. A boa notícia é que as mortes por sida caíram 5,79% face a 2020, mas a taxa de mortalidade observada entre as crianças é particularmente alarmante.

Gracia Nasi, judia e “marrana”

Documentário na RTP2

Gracia Nasi, judia e “marrana” novidade

Nascida em Portugal em 1510, com o nome cristão de Beatriz de Luna, Gracia Nasi pertencia a uma uma família de cristãos-novos expulsa de Castela. Viúva aos 25 anos, herdeira de um império cobiçado, Gracia revelar-se-ia exímia gestora de negócios. A sua personalidade e o destino de outros 100 mil judeus sefarditas, expulsos de Portugal, são o foco do documentário Sefarad: Gracia Nasi (RTP2, 30/11, 23h20).

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Bahrein

Descoberto mosteiro cristão sob as ruínas de uma mesquita

Há quem diga que este é o “primeiro fruto milagroso” da viagem apostólica que o Papa Francisco fez ao Bahrein, no início de novembro. Na verdade, resulta de três anos de trabalho de uma equipa de arqueólogos locais e britânicos, que acaba de descobrir, sob as ruínas de uma antiga mesquita, partes de um ainda mais antigo mosteiro cristão.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This