Confessional

| 15 Jan 20

Que há passos e despassos, acertos e desacertos, conluios e cisões na Igreja-instituição-Vaticano, todos e todas vamos sabendo, mais os que frequentam as missas em conversas de bastidores e mais ainda os leitores de jornais e os que assistem a noticiários no mundo inteiro. Não é esse aqui o ponto. O ambiente por lá, pelos caminhos de São Pedro, de certeza é de horror, com todos a virarem-se as caras, sorridentes talvez os hipócritas, de trombas os de mau temperamento.

Vou usar fala comum como na rua e não com linguagem erudita, em vez de evocar com pretensão de sabedoria, textos sagrados, erudição, teologia. Aprendi com o meu querido professor de História do Cristianismo, padre e historiador Honorato Rosa, naquela esplendorosa Faculdade de Letras dos meus anos 60, a dimensão horizontal da Igreja. E nesta penso, pela fragilidade perversa da natureza humana, de cada vez que alguém vem dizer a sua irritação, por exemplo, com padres que não permitem que raparigas ou mulheres sejam acólitas, ou as proíbem de distribuir a comunhão na missa de domingo. Mal-educados e brutos, com um gesto as afastam do altar.

 

Somos agora surpreendidos com a apresentação do livro do resignado Papa Bento XVI em parceria com este cardeal Robert Sarah. A notícia é dada às vésperas de conhecermos a exortação apostólica sobre o Sínodo da Amazónia, e com a notícia de que os autores contestam e castigam os dois terços de opiniões pró-reforma, incluindo a ordenação de padres casados naquela enlouquecedora e imensa geografia. Qualquer um dirá, com razão, que na sua avançada idade e certamente já diminuído de cabeça, Ratzinger perdeu a faculdade de se exprimir com lucidez. Parece que o próprio ainda pretende, hoje, retirar o nome do co-autor.

E eu, simples curiosa, ignorante sobre a parceria, fui ao Google saber quem é o cardeal. Comecei por imaginar o tricô de inteligência necessário para se perceber quais as funções destas pessoas. O assunto   exige uma tese de doutoramento. Ainda bem que o nosso queridíssimo D. Tolentino Mendonça é bibliotecário da Santa Sé. Entende-se ou imagina-se a responsabilidade e a função.

Em sucessivas tarefas, o cardeal Robert Sarah tem tratado de disciplinas tão complexas como secretário para a Evangelização dos Povos, presidente do Pontifício Conselho Cor Unum. Ocupa-se agora do Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos. Ufa. Como gostaríamos de ter traduzidas as suas competências, ou os seus deveres de cada dia.

Nasceu na Guiné-Conacri. Foi nomeado cardeal pelo Papa Bento XVI.

 

Pergunto pela Palavra. Invoco Jesus. Mais não adianto a dissertação.

Confessional, este meu texto serve de esperança. Apesar da consciência dos dissabores dos tempos, creio na tese e antítese que, uma depois da outra, poderão ser ponto de partida para fase fértil, que o mundo em convulsão não irá destruir.

 

Disse-me o sábio Millôr Fernandes no Rio de Janeiro que na badana ou na contra-capa do livro não se conta o romance ao leitor…

 

Leonor Xavier é escritora e jornalista e integra o movimento Nós Somos Igreja-Portugal

Artigos relacionados

Pin It on Pinterest

Share This