Arcebispos de Kiev, Lviv e Moscovo

Consagração é “ato espiritual há muito esperado pelo povo ucraniano”

| 20 Mar 2022

Papa Francisco reza na Capelinha das Aparições por ocasião do centenário das Aparições de Fátima. Foto © Arlindo Homem

Papa Francisco reza na Capelinha das Aparições por ocasião do centenário das Aparições de Fátima. Foto © Arlindo Homem

 

Os arcebispos católicos de Kiev, Lviv e Moscovo, agradeceram ao Papa a decisão de consagrar a Rússia e a Ucrânia ao Imaculado Coração de Maria, a 25 de março. “É um ato espiritual há muito esperado pelo povo ucraniano. Os católicos ucranianos desde o início da agressão russa em 2014 pediram este ato como uma necessidade urgente para evitar o agravamento da guerra e os perigos vindos da Rússia”, disse o arcebispo-mor de Kiev, D. Sviatoslav Shevchuk, em declarações ao portal ‘Vatican News’, citados pela Ecclesia.

D. Sviatoslav Shevchuk, líder da Igreja Greco-Católica Ucraniana, afirmou que receberam com “esperança” esta notícia, que lhes foi comunicada pela Santa Sé. Já o arcebispo de Moscovo lembrou que o “significado simbólico” desta consagração vem, “infelizmente”, do “conflito aberto na Ucrânia”. “O que se pede, acima de tudo, é que possamos parar o derramamento de sangue, que é sempre sangue inocente, e também que possamos iniciar uma paz duradoura”, acrescentou D. Paolo Pezzi à Agência SIR, da Igreja Católica na Itália.

Este responsável adiantou ainda que os bispos russos acolheram “com grande alegria e gratidão a decisão do Papa”, e destacou a presença do cardeal Konrad Krajewski na Cova da Iria. “Estamos gratos ao Santo Padre por ter, antes de tudo, acolhido o pedido de Nossa Senhora manifestado durante a aparição de 13 de julho de 1917 em Fátima, e de seus filhos, para proteger a Ucrânia e deter ‘os erros da Rússia que promove guerras e perseguições da Igreja’”, desenvolveu o arcebispo-mor de Kiev, D. Sviatoslav Shevchuk.

D. Paolo Pezzi, arcebispo de Moscovo, salientou que Fátima tem um “vínculo particular, pelo menos no que diz respeito à Igreja Católica, com a Rússia”, e com todos os conflitos no mundo. “Neste período difícil da guerra na Ucrânia”, os bispos da Conferência Episcopal Latina na Ucrânia já tinham pedido ao Papa que “a Rússia fosse confiada a Nossa Senhora de Fátima”, recordou o arcebispo latino de Lviv, numa reação ao anúncio da Santa Sé.

Segundo D. Mieczysław Mokrzycki, esse pedido foi reafirmado ao cardeal Konrad Krajewski, enviado especial de Francisco à Ucrânia, na visita que efetuou junto da população ucraniana, na última semana. “Estamos muito felizes e agradecidos que a resposta do Papa Francisco tenha chegado imediatamente”, acrescentou, adiantando que tomaram “imediatamente” a decisão de começar uma novena, esta quinta-feira.

O presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, D. José Ornelas, também se referiu ao ato de consagração este domingo, no final da sua primeira missa como bispo de Leiria-Fátima no Santuário de Fátima, para dizer que “ambos os países têm de ser objeto de uma cura, não só pelas vítimas, mas também por quem causa dano a estas vítimas possa repensar e encontrar caminhos para o futuro”, segundo noticiou a Ecclesia.

 

Judeus na Europa “mais angustiados que nunca” face ao aumento do antissemitismo

Estudo revela

Judeus na Europa “mais angustiados que nunca” face ao aumento do antissemitismo novidade

O mais recente relatório da Agência da União Europeia para os Direitos Fundamentais (FRA) não deixa margem para dúvidas: o antissemitismo cresceu nos últimos cinco anos e disparou para níveis sem precedentes desde o passado mês de outubro, o que faz com que os judeus a residir na Europa temam pela sua segurança e se sintam muitas vezes obrigados a esconder a sua identidade judaica.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Fundadora da Comunidade Loyola castigada pelo Vaticano é ministra da comunhão em Braga

Decreto de extinção a marcar passo?

Fundadora da Comunidade Loyola castigada pelo Vaticano é ministra da comunhão em Braga novidade

A pouco mais de três meses de se completar um ano, prazo dado pelo Vaticano para extinguir a Comunidade Loyola, um instituto de religiosas fundado por Ivanka Hosta e pelo padre Marko Rupnik, aparentemente tudo continua como no início, com as casas a funcionar normalmente. No caso da comunidade de Braga, para onde Ivanka foi ‘desterrada’ em meados de 2023, por abusos de poder e espirituais, a “irmã” tem mesmo estado a desenvolver trabalho numa paróquia urbana, incluindo como ministra extraordinária da comunhão, com a aparente cobertura da diocese.

Sobreviventes de abusos acusam bispos de os “revitimizar” no processo de compensações financeiras

Contra a obrigação de repetir denúncias

Sobreviventes de abusos acusam bispos de os “revitimizar” no processo de compensações financeiras novidade

Vários sobreviventes de abusos sexuais no seio da Igreja Católica expressaram, junto da presidência da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), o seu descontentamento quanto ao “método a utilizar para realizar as compensações financeiras”, dado que este obriga todas as vítimas que pretendam obtê-las a repetirem a denúncia que já haviam feito anteriormente.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This