Propostas do PS, BE e PAN

Conselho de Ética critica projetos de “morte medicamente assistida”

| 21 Jul 2022

eutanasia mulher acamada foto c motortion

O CNEV considera que os projetos não valorizam adequadamente “a disponibilidade de acompanhamento psicológico nos processos de tomada de decisão em situações de intenso sofrimento”. Foto © Motortion.

 

O Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida (CNECV) considera que os projetos de lei apresentados pelo Bloco de Esquerda, Partido Socialista e PAN – Pessoas, Animais e Natureza,  que regulam as condições em que a morte medicamente assistida não é punível e alteram o Código Penal “alargam sem qualquer fundamento o âmbito da morte medicamente assistida através da mera exigência de doença grave e incurável ou mesmo apenas grave ou incurável, não respeitando o princípio da proporcionalidade”.

Num parecer aprovado já em 9 de junho passado e divulgado no início de julho, o CNECV observa que os projetos de lei também “desconsideram o fundamento ético em que assenta a limitação do médico como destinatário do pedido, ao não exigir que o médico orientador seja um médico da confiança do doente”.

Por outro lado, esses projetos não valorizam adequadamente, no entender do Conselho, “a disponibilidade de acompanhamento psicológico nos processos de tomada de decisão em situações de intenso sofrimento” e, além disso, “não respeitam o princípio da igualdade entre doentes que pedem a morte medicamente assistida e os doentes que não a pedem, devendo o acesso a cuidados paliativos ser garantido a todos os cidadãos que deles necessitem”.

O Parecer analisa o articulado dos três projetos de lei apresentados logo em fevereiro, na nova legislatura, não sem antes traçar um quadro evolutivo desde 2018 até ao presente, feito de decretos da Assembleia da República (AR), pedido de análise da respetiva constitucionalidade por parte do Tribunal Constitucional ou devolução à AR, por parte do Presidente da República.

Na reflexão ética sobre os projetos, o CNEV debruça-se, em especial, sobre o conceito de doença grave e/ou incurável; o conceito de sofrimento; respeito pela autonomia do doente; o acesso a cuidados paliativos; e composição da Comissão de Verificação e Avaliação dos Procedimentos Clínicos de Morte Medicamente Assistida (projeto-lei do PS) ou Antecipação da Morte (BE/PAN), à qual compete a emissão de parecer sobre o cumprimento dos requisitos e das fases do procedimento.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Índia

Carnataca é o décimo Estado a aprovar lei anticonversão

O Estado de Carnataca, no sudoeste da Índia, tornou-se, no passado dia 15 de setembro, o décimo estado daquele país a adotar leis anticonversão no âmbito das quais cristãos e muçulmanos e outras minorias têm sido alvo de duras perseguições, noticiou nesta sexta-feira, 23, o Vatican News, portal de notícias do Vaticano.

Neste sábado, em Lisboa

“Famílias naturais” em convívio contra a ideologia de género

Prometem uma “tarde de convívio e proximidade”, um concerto, diversão e “múltiplas actividades para crianças e adultos: o “Encontro da Família no Parque” decorre esta tarde de sábado, 24 de Setembro, no Parque Eduardo VII (Lisboa), a partir das 15h45, e “pretende demonstrar um apoio incondicional à família natural e pela defesa das crianças”.

Gratuito e universal

Documentário sobre a Laudato Si’ é lançado a 4 de outubro

O filme A Carta (The Letter) será lançado no YouTube Originals no dia 4 de outubro, anunciou, hoje, 21 de setembro, o Movimento Laudato Si’. O documentário relata a história da encíclica Laudato Si’, recolhe depoimentos de vários ativistas do clima e defensores da sustentabilidade do planeta e tem como estrela principal o próprio Papa Francisco.

Promessa cumprida, pacto assinado, e agora… “esperamos por ti em Lisboa”, Papa Francisco

Terminou o encontro em Assis

Promessa cumprida, pacto assinado, e agora… “esperamos por ti em Lisboa”, Papa Francisco novidade

“Espero por vocês em Assis.” Assim terminava a carta que o Papa escreveu aos jovens em maio de 2019, convidando-os a participar na Economia de Francisco. Apesar de uma pandemia o ter obrigado a adiar dois anos este encontro, e ainda que as dores no joelho o tenham impedido de vir pelo seu próprio pé, Francisco cumpriu a sua promessa, como só os verdadeiros amigos sabem fazer. Este sábado, 24, logo pela manhã, chegou à cidade de Assis para se juntar aos mil participantes do encontro A Economia de Francisco. Escutou atentamente os seus testemunhos e preocupações, deu-lhes os conselhos que só um verdadeiro amigo sabe dar, selou com eles um pacto e até reclamou por não terem trazido cachaça (bem sabemos que é próprio dos amigos rabujar e fazer-nos rir). Mas sobretudo provou-lhes que acredita neles e que é com eles que conta para fazer do mundo um lugar melhor.

Agenda

Fale connosco

Autores