A propósito da JMJ

Conselho de Ministros aprova amnistia e perdão de penas para jovens

| 19 Jun 2023

prisao centro detencao Foto Direitos reservados

O diploma, aprovado via eletrónica pelo Conselho de Ministros e divulgado no sítio online do Governo, propõe “um perdão de um ano a todas as penas de prisão até oito anos, mas há exceções. Foto: Direitos reservados.

 

O Governo português anunciou esta segunda-feira,19 de junho, a aprovação de uma proposta de lei que estabelece o perdão de penas e a amnistia de infrações praticadas por jovens entre os 16 e 30 anos. As medidas são justificadas com a realização em Portugal da Jornada Mundial da Juventude e a vinda do Papa Francisco, cujo pontificado tem sido “fortemente marcado pela exortação da reinserção social das pessoas em conflito com a lei penal”.

O diploma, aprovado via eletrónica pelo Conselho de Ministros e divulgado no sítio online do Governo, propõe “um perdão de um ano a todas as penas de prisão até oito anos, sendo adicionalmente fixado um regime de amnistia que compreende as contraordenações cujo limite máximo de coima aplicável não exceda €1.000 e as infrações penais cuja pena não seja superior a um ano de prisão ou a 120 dias de pena de multa”.

A proposta, que será agora submetida à Assembleia da República e terá ainda de ser promulgada pelo Presidente, abrange as infrações praticadas até 19 de junho de 2023, mas prevê exceções: é o caso dos “crimes de homicídio, de infanticídio, de violência doméstica, de maus-tratos, de ofensa à integridade de física grave, de mutilação genital feminina, de ofensa à integridade física qualificada, de casamento forçado, de sequestro, contra a liberdade e autodeterminação sexual, de extorsão, de discriminação e incitamento ao ódio e à violência, de tráfico de influência, de branqueamento ou de corrupção”.

 

Medida “redutora e pouco expressiva”, diz OVAR

A Obra Vicentina de Auxílio aos Reclusos (OVAR), que há já vários meses tem vindo a apelar a uma amnistia e perdão de penas para reclusos por ocasião da JMJ e da visita do Papa, reconhece a proposta como positiva, mas considera que se trata de “uma medida redutora e pouco expressiva face à situação que se vive nas prisões portuguesas”.

Em comunicado enviado ao 7MARGENS, o presidente da instituição, Manuel Almeida dos Santos, reconhece que “este ato vai ao encontro do desejo insistentemente proclamado pelo Papa Francisco”. No entanto, faz questão de recordar que “Portugal é dos países europeus com maior tempo médio de cumprimento de pena, pelo que todas as medidas que visem a atenuação das penas, para todos os reclusos, devem ter em conta o perdão e a misericórdia que deve ser a matriz de qualquer sociedade civilizada”.

Recorde-se que, nas três últimas visitas papais a Portugal (João Paulo II no ano 2000, Bento XVI em 2010 e Francisco em 2017), não houve qualquer amnistia ou perdão de penas.

 

sobre as águas

sobre as águas novidade

Breve comentário do p. António Pedro Monteiro aos textos bíblicos lidos em comunidade, no Domingo XII do Tempo Comum B. ⁠Hospital de Santa Marta⁠, Lisboa, 22 de Junho de 2024.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Uma tarde para aprender a “estar neste mundo como num grande templo”

Na Casa de Oração Santa Rafaela Maria

Uma tarde para aprender a “estar neste mundo como num grande templo”

Estamos neste mundo, não há dúvida. Mas como nos relacionamos com ele? E qual o nosso papel nele? “Estou neste mundo como num grande templo”, disse Santa Rafaela Maria, fundadora das Escravas do Sagrado Coração de Jesus, em 1905. A frase continua a inspirar as religiosas da congregação e, neste ano em que assinalam o centenário da sua morte, “a mensagem não podia ser mais atual”, garante a irmã Irene Guia ao 7MARGENS. Por isso, foi escolhida para servir de mote a uma tarde de reflexão para a qual todos estão convidados. Será este sábado, às 15 horas, na Casa de Oração Santa Rafaela Maria, em Palmela, e as inscrições ainda estão abertas.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This