Declaração conjunta

Conselho Mundial das Igrejas condena guerra na Ucrânia

| 19 Jun 2022

Um tanque destruído numa das ruas de Bucha, na Ucrânia. Foto © Presidência da Ucrânia

Um tanque destruído numa das ruas de Bucha, na Ucrânia. Foto © Presidência da Ucrânia

 

O Conselho Mundial das Igrejas (CMI) condenou de forma veemente a guerra na Ucrânia. “A guerra, com todas as mortes e as suas miseráveis consequências, é incompatível com a natureza de Deus e o Seu desejo para a humanidade, e vai contra todos os nossos princípios cristãos e ecumnénicos”, declara a organização, citada pelo Orthodox Times.

O comité central do CMI condenou a guerra injustificada que foi feita “ao povo soberano da Ucrânia”, e falou de um “contínuo aumento de mortes, destruição e deslocamento de pessoas, de relações que são destruídas e de um antagonismo crescente entre as pessoas da região, num conflito que é mundial, que provoca aumento do risco de fome, dificuldades económicas e instabilidade política e social” em muitas regiões do mundo.

A organização rejeita ainda “qualquer mau e injustificado uso de linguagem religiosa para autorizar ou legitimar uma agressão armada”.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Sinodalidade como interpelação às Igrejas locais e à colegialidade episcopal

Intervenção de Borges de Pinho na CEP

Sinodalidade como interpelação às Igrejas locais e à colegialidade episcopal

Há quem continue a pensar que sinodalidade é mais uma “palavra de moda”, que perderá a sua relevância com o tempo. Esquece-se, porventura, que já há décadas falamos repetidamente de comunhão, corresponsabilidade e participação. Sobretudo, ignoram-se os princípios fundacionais e fundantes da Igreja e os critérios que daí decorrem para o ser cristão e a vida eclesial.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This