Itália

Constitucional chumba referendo sobre suicídio assistido

| 16 Fev 2022

eutanasia mulher acamada foto c motortion

O Tribunal Constitucional italiano tinha estabelecido em 2019 que quem matar “um paciente que é mantido vivo graças a tratamentos de suporte à vida e sofre de uma patologia irreversível” não será punido. Foto © Motortion.

 

A Igreja e várias associações pró-vida italianas aplaudiram o acórdão do Tribunal Constitucional (TC) do país, que na terça-feira, dia 15 de fevereiro, rejeitou um pedido de referendo sobre o suicídio assistido. O tribunal classificou, segundo o jornal Alfa & Omega de dia 16 de fevereiro, a proposta como “inadmissível” por não proteger a vida humana em geral e, em especial as “pessoas fracas ou vulneráveis”.

O código penal italiano prevê que quem “causar a morte de um homem, com o seu consentimento” será punido com prisão entre seis e 15 anos. Porém, o mesmo Constitucional estabeleceu em 2019 que quem matar “um paciente que é mantido vivo graças a tratamentos de suporte à vida e sofre de uma patologia irreversível” não será punido.

O secretário-geral do Partido Democrata, Enrico Letta, sublinhou que o acórdão do TC vai colocar pressão no Parlamento no sentido de este “aprovar uma lei do suicídio assistido”. O líder da Liga, Matteo Salvini, comentou: “Sinto muito, a rejeição de um referendo nunca é uma boa notícia”.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

"Nada cristãs"

Ministro russo repudia declarações do Papa

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Lavrov, descreveu como “nada cristãs” as afirmações do Papa Francisco nas quais denunciou a “crueldade russa”, especialmente a dos chechenos, em relação aos ucranianos. Lavrov falava durante uma conferência de imprensa, esta quinta-feira, 1 de dezembro, e referia-se à entrevista que Francisco deu recentemente à revista America – The Jesuit Review.

À espera

[Os dias da semana]

À espera novidade

Quase todos se apresentam voltados para o sítio onde estão Maria e José, que têm, mais por perto, a companhia de um burro e de uma vaca. Todos esperam. Ao centro, a manjedoura em que, em breve, será colocado o recém-nascido. É tempo agora de preparar a sua chegada, esse imenso acontecimento, afinal de todas as horas.

Bispo Carlos Azevedo passa da Cultura para as Ciências Históricas

Novo cargo no Vaticano

Bispo Carlos Azevedo passa da Cultura para as Ciências Históricas novidade

O bispo português Carlos Azevedo foi nomeado neste sábado para o lugar de delegado (“número dois”) do Comité Pontifício para as Ciências Históricas, deixando o cargo equivalente que desempenhava no Dicastério para a Cultura e a Educação, da Santa Sé, que há poucas semanas passou a ser dirigido pelo também português cardeal José Tolentino Mendonça.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This