Após reunião com Comissão Independente

Corpo Nacional de Escutas suspende alegado abusador de menores

| 24 Mar 2023

acampamento do corpo nacional de escutas, FOTO CNE

Durante o trabalho da Comissão Independente e do Grupo de Investigação Histórica, o Corpo Nacional de Escutas tinha já partilhado 19 situações de alegados abusos ocorridos em contexto escutista que constavam dos seus arquivos. Foto © CNE.

 

O Corpo Nacional de Escutas (CNE) suspendeu preventivamente um elemento suspeito da prática de abusos sexuais de menores, depois de ter recebido da Comissão Independente (CI) para o Estudo dos Abusos Sexuais contra Crianças na Igreja Católica a informação de sete situações de alegados abusos que não eram do conhecimento da organização. Em comunicado divulgado esta sexta-feira, 24 de março, o CNE adianta que “está atualmente a decorrer o processo interno de averiguação, para decisão em sede de processo disciplinar e outras medidas consideradas pertinentes”.

Na nota à imprensa, o CNE explica que, durante o trabalho da CI e do Grupo de Investigação Histórica, tinha já partilhado 19 situações de alegados abusos ocorridos em contexto escutista que constavam dos seus arquivos. Ao ter conhecimento das sete novas situações, a organização “procurou imediatamente obter informações sobre os casos reportados, para que desta forma a proteção das crianças e jovens que estão ao cuidado do CNE esteja em primeiro lugar”.

Tendo reunido com a Comissão Independente e com o Grupo de Investigação Histórica, “para que fossem transmitidas informações adicionais sobre os casos que não eram do seu conhecimento”, o CNE concluiu que uma das situações “coincide com um caso” já referenciado nos arquivos da organização, outra refere-se a um alegado agressor já falecido e outras duas, ocorridas em 1961 e 1978, “não permitem, para já, identificar inequivocamente os alegados agressores”, continuando o Corpo Nacional de Escutas a “desenvolver esforços para a sua identificação”.

“Dos restantes cinco casos, dois parecem partilhar um alegado agressor comum que já não se encontra no ativo”. O outro, “fruto da colaboração direta de uma vítima que entrou em contacto com o CNE” diz respeito ao alegado agressor que foi agora suspenso.

No comunicado, o Gabinete de Imprensa do CNE sublinha que o “cuidado pelas vítimas do passado ou do presente” é sempre a “prioridade da sua ação” e que não vai deixar de “agir com diligência com os possíveis agressores”, recordando que mantém ativa a sua política “Escutismo: Movimento Seguro”, que “inclui a linha de reporte (https://ems.escutismo.pt) inteiramente disponível para acolher o testemunho, quer pelas vítimas, quer por qualquer outra pessoa, que possa dar mais informações sobre estas ou outras situações”.

O Corpo Nacional de Escutas lembra ainda que “para além da formação a todos os voluntários e das campanhas de sensibilização para todas as crianças e jovens sobre estas problemáticas”, oferece “apoio a todas as vítimas, quer de abusos, bullying, dependências e outras situações que coloquem em risco a segurança das crianças e jovens”.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Uma coleção de livros infanto-juvenis que é uma missão para estas férias… e para o resto da vida

[O papel das estórias]

Uma coleção de livros infanto-juvenis que é uma missão para estas férias… e para o resto da vida novidade

Miúdos de férias rima com… leituras sérias. Calma: o objetivo era rimar, não assustar! Até porque os livros sobre os quais vos venho falar são, de facto, sobre temas sérios, mas não são nada aborrecidos. Ou, como diriam os miúdos a quem se dirigem: não são “uma seca”. Pelo contrário, podem ser uma lufada de ar fresco neste verão que se adivinha estar para aquecer.

Um casal em 2024

Um casal em 2024 novidade

“A D. Georgina e o Senhor Amaro comentam o trânsito dos jovens, ele irritado: isto é gente de fora, do karaté ou lá o que é, daquelas coisas chinesas de dar porrada. Ela, rancorosa: pois, deixam-nos vir para cá para aprenderem a fazer-nos mal, deviam era mandá-los a todos para a terra dele”. Um texto de Nuno Caiado, baseado num episódio real testemunhado em Lisboa.

Clientes de supermercados convidados a apoiar a Cruz Vermelha

Campanha Vale +

Clientes de supermercados convidados a apoiar a Cruz Vermelha novidade

Até ao próximo dia 26 de julho, uma nova edição da campanha Vale +, promovida pela Cruz Vermelha Portuguesa (CVP), está a decorrer em 597 grandes superfícies de todo o país. Os clientes dos supermercados podem contribuir para esta iniciativa através da aquisição de vales monetários ou alimentares no ato de pagamento das suas compras, sendo que no próximo fim de semana, dias 20 e 21, donativos como bens alimentares e de higiene poderão ser diretamente entregues a voluntários que estarão em loja.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This