Covid-19: 20 organizações católicas pedem acesso livre ao fabrico de vacinas

| 9 Mar 21

Vacina. Covid

Vacina contra a covid: “Enquanto as comunidades do Sul estiverem vulneráveis, todos nós estaremos vulneráveis.” Foto © Wladimir B/Bigstock.com

 

Na véspera da reunião do Conselho TRIPS, duas dezenas de organizações católicas europeias e norte-americanas ligadas à ajuda ao desenvolvimento difundiram um comunicado em que pedem ao Conselho para decidir em favor da renúncia aos direitos de propriedade intelectual por parte dos detentores de patentes das vacinas contra o vírus da covid-19.

No texto, divulgado nesta terça-feira, 9 de março, as organizações sublinham que tal renúncia “permitiria a todos os países aumentar e diversificar a produção”, pondo termo à “escassez de vacinas disponíveis para os países do Sul global e para as populações mais pobres”, escassez que “é nada menos que um escândalo internacional”.

O Conselho TRIPS – organismo da Organização Mundial do Comércio que regula os casos internacionais relativos aos direitos de propriedade intelectual relacionados com o comércio – reúne dias 10 e 11 de março e pode iniciar o procedimento para que laboratórios farmacêuticos em todo o mundo sejam habilitados a produzir legalmente as doses de vacinas necessárias para imunizar toda a população do planeta. Mas, recordam as organizações signatárias, “os países desenvolvidos e poderosos do Norte – incluindo a UE, os EUA, o Reino Unido e o Canadá – bloquearam a renúncia” que já foi solicitada aquando da reunião informal do Conselho TRIPS a 23 de fevereiro último.

 

Petição europeia

Recorde-se que as farmacêuticas que desenvolveram vacinas contra a covid-19 se situam nos países desenvolvidos do Ocidente, na Rússia e na China. Os contribuintes destes Estados entregaram enormes somas de dinheiro aos laboratórios em causa para cobrir a sua investigação e como meio de pagamento adiantado do fornecimento de milhões de doses das vacinas. Em ordem a fazerem valer este investimento e a proteger os lucros das farmacêuticas, os países ricos têm-se oposto a pressionar para que as patentes das vacinas sejam abertas a qualquer laboratório com capacidade para as produzir.

Contrariar essa posição é o objetivo de uma petição sob a forma de Iniciativa de Cidadania Europeia, já reconhecida como tal pela Comissão Europeia, onde se solicita, entre outros pontos, que a União Europeia legisle com urgência para que “os direitos de propriedade intelectual, incluindo as patentes, não comprometam a acessibilidade ou a disponibilização de qualquer vacina ou futuro tratamento contra a covid-19”. A petição continua aberta a quem a queira subscrever e já recolheu mais de 99.570 assinaturas.

Ao pedir ao Conselho TRIPS a derrogação temporária dos direitos de propriedade intelectual relacionados com as vacinas contra a covid-19, as duas dezenas de organizações católicas vêm juntar a sua voz à do Papa Francisco, secundado pela Cáritas Internacional, à de diversos líderes religiosos europeus de várias denominações e religiões e a mais de 200 organizações de três continentes e de 40 países do Sul.

No comunicado, as organizações afirmam que a escassez de vacinas contribuirá para que “se perpetue a vulnerabilidade global e, por fim, se atrase a superação da pandemia. A monopolização das vacinas e das suas patentes pelos Estados mais ricos é uma resposta míope à crise da covid-19” que nos “coloca a todos em perigo”. E acrescenta: “Enquanto as comunidades do Sul estiverem vulneráveis, todos nós estaremos vulneráveis.”

 

Escutar todos, com horizontes para lá das “fronteiras” da Igreja

Inquérito sobre o Sínodo

Escutar todos, com horizontes para lá das “fronteiras” da Igreja novidade

O Papa observava, no encontro sinodal com a sua diocese de Roma, no último sábado, 18, que escutar não é inquirir nem recolher opiniões. Mas nada impede que se consultem os cristãos sobre as “caraterísticas e âmbito” que “entendem dever ter a escuta que as igrejas diocesanas são chamadas a realizar, desde 17 de outubro próximo até ao fim de março-abril de 2022. Era esse o terceiro ponto da consulta feita pelo 7Margens, cujas respostas damos hoje a conhecer.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Nova estratégia de combate ao antissemitismo será apresentada em outubro

União Europeia

Nova estratégia de combate ao antissemitismo será apresentada em outubro novidade

A União Europeia (UE) deverá divulgar, no próximo mês de outubro, uma “nova estratégia de combate ao antissemitismo e promoção da vida judaica”. A iniciativa surge na sequência da disseminação do racismo antissemita em inúmeros países da Europa, associada a teorias da conspiração que culpabilizam os judeus pela propagação da covid-19, avançou esta quarta-feira, 22, o Jewish News.

Livrai-nos do Astérix, Senhor!

Livrai-nos do Astérix, Senhor! novidade

A malfadada filosofia do politicamente correcto já vai no ponto de apedrejar a cultura e diabolizar a memória. A liberdade do saber e do saber com prazer está cada vez mais ameaçada. Algumas escolas católicas do Canadá retiraram cerca de cinco mil títulos do seu acervo por considerarem que continham matéria ofensiva para com os povos indígenas.

A dança dos bispos continua em Leiria e Braga

João Lavrador deixa Açores para Viana

A dança dos bispos continua em Leiria e Braga novidade

Com a escolha de João Lavrador para a sede vacante de Viana fica agora Angra sem bispo. Mas Braga já está à espera de sucessor há dois anos, enquanto em Leiria se perspectiva a sucessão talvez até final do ano. Há bispos que querem sair de onde estão, outros não querem alguns para determinados sítios. “Com todas estas movimentações, é difícil acreditar que a nomeação de um bispo seja obra do Espírito Santo”, diz um padre.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This