322 mil mortos no país

Covid-19 já matou mais de 400 padres e freiras na Índia

| 29 Mai 21

COBAS_6800_testing_machine_at_NCDC,_Delhi_May_14,_2020

Um centro de testes do Centro Nacional de Controlo de Doenças em Nova Deli, Índia. Foto © Press Information Bureau, Government of India, GODL-India/Wikimedia Commons

 

Na Índia, a pandemia matou até este sábado, 29 de maio, pelo menos 205 padres, 210 freiras e três bispos. O levantamento foi feito pelo padre capuchinho Suresh Mathew, editor da revista católica Indian Currents. “O alto índice de baixas entre padres e freiras deve-se ao facto de eles e elas trabalharem em áreas remotas, onde as instalações médicas são raras”, disse Mathew ao Vatican News.

A segunda vaga de covid-19 está a ser particularmente violenta na Índia, o segundo país mais populoso do mundo, onde a pandemia já matou mais de 322 mil pessoas. Na última sexta-feira, 28 de maio, foram assinaladas 173.790 novas infeções, o menor número de infeções diárias registadas nos últimos 45 dias. Menos de 3% dos 1,3 mil milhões de habitantes foram totalmente vacinados.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Interiormente perturbador

Cinema

Interiormente perturbador novidade

Quase no início d’O Acontecimento, já depois de termos percebido que o filme iria andar à volta do corpo e do desejo, Anne conclui que se trata de um texto político. Também esta obra cinematográfica, que nos expõe um caso de aborto clandestino – estamos em França, nos anos 60 –, é um filme político.

Sondagem

Brasil deixa de ter maioria católica  novidade

Algures durante este ano a maioria da população brasileira deixará de se afirmar maioritariamente como católica. Em janeiro de 2020, 51% dos brasileiros eram católicos, muito à frente dos que se reconheciam no protestantismo (31%). Ano e meio depois os números serão outros.

Bispos pedem reconciliação e fim da violência depois de 200 mortes na Nigéria

Vários ataques no Nordeste do país

Bispos pedem reconciliação e fim da violência depois de 200 mortes na Nigéria

O último episódio de violência na Nigéria, com contornos políticos, económicos e religiosos, descreve-se ainda com dados inconclusivos, mas calcula-se que, pelo menos, duas centenas de pessoas perderam a vida na primeira semana de Janeiro no estado de Zamfara, Nigéria, após vários ataques de grupos de homens armados a uma dezena de aldeias. Há bispos católicos a sugerir caminhos concretos para pôr fim à violência no país, um dos que registam violações graves da liberdade religiosa. 

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This