Temas raciais e LGBTQ+ os mais visados

Campanha para proibir certos livros nas escolas americanas já atingiu 1640 títulos

| 19 Set 2022

livros, homossexualidade

Entre os mais de 1.640 livros proibidos ou colocados na sombra em cinco mil escolas dos EUA, 674 títulos abordam explicitamente temas LGBTQ+ ou têm protagonistas (ou personagens secundários proeminentes) que são LGBTQ+. Foto © 7Margens.

 

Mais de 1.640 títulos de livros foram proibidos em cerca de cinco mil escolas dos EUA ao longo do ano letivo 2021-2022, revela um estudo publicado hoje, 19 de setembro, pelo PEN America, que calcula em cerca de quatro milhões o número de estudantes afetados pelas proscrições.

Os dados recolhidos pelo estudo evidenciam “o ritmo cada vez mais rápido com que categorias inteiras de livros estão a ser retirados das prateleiras das salas de aula e das bibliotecas escolares”, atingindo “especialmente as obras com protagonistas de cor, as que abordam questões de raça e as com personagens e temas LGBTQ+”. Em termos mais precisos: 674 títulos proibidos (41%) abordam explicitamente temas LGBTQ+ ou têm protagonistas (ou personagens secundários proeminentes) que são LGBTQ+; 659 títulos proibidos (40%) têm protagonistas (ou personagens secundários proeminentes) de cor; finalmente, 338 títulos proibidos (21%) abordam diretamente questões de raça e racismo.

Por outro lado, o relatório do PEN America estima que pelo menos 40 por cento das proibições estão ligadas a pressões políticas, ou a legislação destinada a restringir o ensino e a aprendizagem.

Este é um dos aspetos que mais preocupa Suzanne Nossel, diretora executiva do PEN América, para quem a investigação mostra que, ao contrário do que se pensa, “as proibições de livros” nas escolas não resultam da intervenção “de cidadãos individuais preocupados”, mas sim “de uma campanha coordenada para banir certos livros”, campanha “lançada por organizações sofisticadas, ideológicas e com muitos recursos”. Segundo Nossel, “este movimento de censura está a transformar as escolas públicas em campos de batalha política, criando clivagens nas comunidades, excluindo professores e bibliotecários dos seus empregos e lançando um balde de água fria sobre o espírito de investigação aberta e a liberdade intelectual que sustentam uma democracia florescente”.

De igual modo, Jonathan Friedman, diretor dos Programas de Expressão e Educação do PEN America e principal autor do relatório, afirmou que as campanhas organizadas para proibir certos livros nas escolas e nas bibliotecas escolares “retira a um número cada vez maior de estudantes o acesso à literatura que os tornaria aptos a enfrentar os desafios e as complexidades da cidadania democrática”, acrescentando: “O trabalho de grupos que organizam e defendem a proibição de livros nas escolas é especialmente prejudicial para estudantes de origens historicamente marginalizadas, que vêm desaparecer das salas de aula e das prateleiras das bibliotecas escolares as histórias que validam as suas vidas.”

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Índia

Carnataca é o décimo Estado a aprovar lei anticonversão

O Estado de Carnataca, no sudoeste da Índia, tornou-se, no passado dia 15 de setembro, o décimo estado daquele país a adotar leis anticonversão no âmbito das quais cristãos e muçulmanos e outras minorias têm sido alvo de duras perseguições, noticiou nesta sexta-feira, 23, o Vatican News, portal de notícias do Vaticano.

Neste sábado, em Lisboa

“Famílias naturais” em convívio contra a ideologia de género

Prometem uma “tarde de convívio e proximidade”, um concerto, diversão e “múltiplas actividades para crianças e adultos: o “Encontro da Família no Parque” decorre esta tarde de sábado, 24 de Setembro, no Parque Eduardo VII (Lisboa), a partir das 15h45, e “pretende demonstrar um apoio incondicional à família natural e pela defesa das crianças”.

Gratuito e universal

Documentário sobre a Laudato Si’ é lançado a 4 de outubro

O filme A Carta (The Letter) será lançado no YouTube Originals no dia 4 de outubro, anunciou, hoje, 21 de setembro, o Movimento Laudato Si’. O documentário relata a história da encíclica Laudato Si’, recolhe depoimentos de vários ativistas do clima e defensores da sustentabilidade do planeta e tem como estrela principal o próprio Papa Francisco.

Promessa cumprida, pacto assinado, e agora… “esperamos por ti em Lisboa”, Papa Francisco

Terminou o encontro em Assis

Promessa cumprida, pacto assinado, e agora… “esperamos por ti em Lisboa”, Papa Francisco novidade

“Espero por vocês em Assis.” Assim terminava a carta que o Papa escreveu aos jovens em maio de 2019, convidando-os a participar na Economia de Francisco. Apesar de uma pandemia o ter obrigado a adiar dois anos este encontro, e ainda que as dores no joelho o tenham impedido de vir pelo seu próprio pé, Francisco cumpriu a sua promessa, como só os verdadeiros amigos sabem fazer. Este sábado, 24, logo pela manhã, chegou à cidade de Assis para se juntar aos mil participantes do encontro A Economia de Francisco. Escutou atentamente os seus testemunhos e preocupações, deu-lhes os conselhos que só um verdadeiro amigo sabe dar, selou com eles um pacto e até reclamou por não terem trazido cachaça (bem sabemos que é próprio dos amigos rabujar e fazer-nos rir). Mas sobretudo provou-lhes que acredita neles e que é com eles que conta para fazer do mundo um lugar melhor.

Agenda

Fale connosco

Autores