Editorial

Crescer com novo desenho, novas ideias e o apoio de quem nos lê

| 13 Set 21

 

Desde esta segunda-feira, 13 de setembro, o sítio do 7MARGENS tem um novo desenho gráfico. A quem nos lê a partir da newsletter, ou do Facebook, convidamos a que abra www.setemargens.com para ver e perceber o que mudou. Entre outros aspetos, procurámos dar maior expressão à informação mais recente e melhorar alguns pormenores. As novidades ficam “arrumadas” nas primeiras linhas de notícias, acrescentámos uma frase do dia e recuperámos a agenda, entre outros pormenores que cada leitor/a pode ver por si. E, nota importante, o 7MARGENS continua a ser de acesso gratuito e sempre disponível (não apenas pela newsletter) a quem o queira abrir, a qualquer hora do dia.

Após três anos de trabalho conjunto, acreditamos que este é o momento de avançar e crescer: na equipa, nas linguagens, na informação, nos temas tratados, nos universos a que dar atenção. Investimos já este Verão no sentido de não diminuirmos o fluxo informativo, mantendo a cobertura habitual dos principais acontecimentos. Lançámos um inquérito aos movimentos e obras católicos sobre o próximo Sínodo do Bispos, preparámos e vamos lançar em breve um inquérito sobre o tema aos nossos leitores.

Mas queremos crescer para afirmar o 7MARGENS como o órgão de comunicação de referência no nosso âmbito em todo o espaço lusófono. Pretendemos alargar a equipa, de forma a podermos ter mais notícias e mais aprofundadas. Queremos redobrar o uso das linguagens do vídeo, do som e da imagem. Vamos acompanhar de perto e de forma criativa o decisivo Sínodo da Igreja Católica que se inicia no próximo mês e constituirá um processo sem precedentes até 2023. Cobriremos intensamente a Jornada Mundial da Juventude 2023 que terá lugar em Lisboa. Pretendemos alargar a presença da realidade das comunidades e expressões religiosas minoritárias. Queremos reforçar a atenção às espiritualidades, à dimensão pessoal e comunitária (não apenas institucional) do fenómeno religioso. Daremos mais espaço às realizações da sociedade civil no âmbito da solidariedade, justiça e direitos humanos, e aos temas da cultura, alargando os debates e a diversidade de atores e de opiniões presentes no 7MARGENS.

Dar estes passos implica antes de mais consolidar a colaboração e o apoio dos leitores que têm assegurado a divulgação, a riqueza editorial e a sustentação económica do 7MARGENS. Desde o princípio do ano publicámos opinião de quase 150 diferentes autores. A newsletter chegava diariamente, no final de Agosto, a cerca de 2.200 “assinantes”. O apoio financeiro de quem nos lê tem permitido equilibrar as contas. Como temos feito, em Janeiro, por altura do 3º aniversário, daremos informação mais precisa sobre as contas do ano.

No entanto, para crescermos precisamos do vosso apoio continuado. Por isso lançamos hoje uma campanha de recolha de fundos que permita construir, nos próximos meses, aquilo a que nos propomos. Ambicionamos atingir a meta dos €20.000,00 até dia 15 de Dezembro.

Como pode ser lido no texto “Apoie o 7Margens” (disponível aqui), temos sugerido, dentro das possibilidades de cada um/a, um apoio de 100 euros por pessoa/família, donativo que pode ser apresentado para dedução em sede de IRS ou IRC.

Lembramos também que outras formas muito importantes de apoio são a divulgação da existência do 7MARGENS a amigos e conhecidos, bem como a partilha das nossas publicações nas redes sociais em que cada pessoa está envolvida.

Desde já, o nosso bem hajam e a nossa gratidão. Em conjunto, integremos, cada vez mais, as margens.

 

A votar, a votar!

[Segunda leitura]

A votar, a votar! novidade

“Começa hoje a campanha eleitoral para as eleições autárquicas de 26 de setembro”. Juro que ouvi isto na passada terça-feira, dia 14 de setembro. Assim mesmo, sem tirar nem pôr, na abertura de um noticiário na rádio: “Começa hoje a campanha eleitoral para as eleições autárquicas de 26 de setembro”. Juro.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Direitos humanos, paz e casa comum: como se reescreve um Papa?

Ensaio

Direitos humanos, paz e casa comum: como se reescreve um Papa? novidade

As intervenções de um Papa na Assembleia Geral das Nações Unidas (AGONU) aconteceram em cinco momentos da História e resultaram de um estatuto jurídico reconhecido internacionalmente ao líder máximo da Igreja Católica, incomparável quer relativamente aos líderes das outras religiões, quer aos das nações. Isto, por si só, é relevante a nível da política e das relações internacionais.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This