Estratégia ecológica definida para 7 anos

Crise ecológica, justiça e paz preocupa bispos australianos

| 6 Ago 21

 

“Grito da terra, grito dos pobres” é o título de um documento-declaração dos bispos católicos australianos, que define uma estratégia para sete anos, com a finalidade de levar à prática os sete grandes objetivos da encíclica Laudato Si’, do Papa Francisco.

Este documento, considerado “histórico” e marcante em ordem a “uma Igreja mais sustentável”, provém sintomaticamente do Departamento da Justiça Social do episcopado do país e foi colocado online nesta quinta-feira, 5.

“Estamos a enfrentar uma crise ecológica e o Papa Francisco deseja que toda a Igreja a nível global atue com maior senso de urgência”, disse o bispo Vincent Long, presidente da Comissão Episcopal para a Justiça Social, Missão e Serviço.

“Os povos aborígenes e os ilhéus do Estreito de Torres cuidam do país desde tempos imemoriais. Todos nós precisamos de ouvir e aprender como podemos caminhar juntos para cuidar de toda a criação – incluindo uns dos outros”, acrescentou aquele responsável.

A declaração explica que os objetivos da Laudato Si’ visam fazer com que as comunidades ao redor do mundo se tornem sustentáveis, no espírito da “ecologia integral” preconizada pela encíclica papal.

Para isso, o texto apela às famílias, escolas, paróquias, dioceses e organizações para que se juntem aos bispos, subscrevendo a Plataforma de Ação Laudato Si, uma iniciativa do Dicastério vaticano para a Promoção do Desenvolvimento Humano Integral, em cujo desenvolvimento os bispos australianos participaram.

Como sinal da aposta nesta frente de ação pastoral, o episcopado australiano decidiu mudar o nome do departamento para Justiça, Ecologia e Paz, considerando o carácter inseparável destas três dimensões.

 

“Roma, temos um problema” – e este livro ajuda a entendê-lo

Abusos sexuais na Igreja

“Roma, temos um problema” – e este livro ajuda a entendê-lo novidade

Roma, Temos um Problema pode ser apresentado em quatro partes, assumidas aliás pela organização que o autor lhe dá: um primeiro levantamento histórico; uma segunda parte sobre casos marcantes a nível internacional, incluindo alguns pouco conhecidos; e uma terceira parte sobre os casos portugueses até agora vindos a público. Em síntese, faz-se uma descrição e análise de causas e consequências sobre o que aconteceu em 20 séculos de história do cristianismo (sobretudo ocidental).

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Uma Teofania nos corações humanos

Uma Teofania nos corações humanos novidade

A Epifania é celebrada pelas Igrejas Ortodoxas a 6 de Janeiro no calendário Juliano (19 no calendário Gregoriano), 12 dias após a Festa do Natal. A banalização da festa do Natal inscreveu-a no imaginário do espírito humano, sobrevalorizando-o e operando a sua dessacralização em detrimento do Espírito de Deus.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This