Cristãos aderem à proposta do Papa para rezar o Pai Nosso ao meio-dia desta quarta-feira

| 25 Mar 20

Centro Ecuménico de Genebra, sede do Conselho Mundial de Igrejas.

Velas na capela do Centro Ecuménico de Genebra, sede do Conselho Mundial de Igrejas. Foto © Albin Hillert/CMI

 

O Conselho Mundial de Igrejas (CMI), que reúne 350 igrejas e comunidades do universo protestante e ortodoxo, e o primaz anglicano, anunciaram a sua adesão à proposta do Papa Francisco, feita domingo passado: de nesta quarta-feira, ao meio-dia (11 horas em Lisboa), todos os cristãos rezarem a oração do Pai Nosso, em comunhão com as vítimas e para que a crise provocada pela covid-19 seja ultrapassada.

O secretário-geral do CMI, Olav Fykse Tveit, acolheu com satisfação o convite e a oportunidade de tantas pessoas, ao redor do mundo, poderem participar na corrente de oração, unidas na sua humanidade quando o mundo enfrenta a pandemia de covid-19, noticiou o serviço de informação do CMI.

“Agora que todas as pessoas de todo o planeta estão dispersas trabalhando a partir dos seus lares, teremos a oportunidade de unir as nossas vozes, rezando a Deus com as palavras que nosso Senhor Jesus Cristo nos ensinou”, afirmou Tveit. “Nestes tempos difíceis, as actividades que nos unem em oração recordam-nos que somos uma família humana.”

Também o primaz da Comunhão Anglicana, entre outros líderes cristãos, aderiu à proposta do Papa, pedindo aos cristãos anglicanos que rezem também a oração, à mesma hora. “Queremos responder à pandemia viral com a universalidade da oração, da compaixão e da ternura”, escreveu o Papa, numa mensagem na rede social Twitter.

Numa carta enviada aos católicos de Lisboa, o cardeal-patriarca, D. Manuel Clemente, recorda também a importância da oração individual e familiar e fala da iniciativa de rezar um “convicto Pai Nosso”. Para as 18h30, os bispos portugueses, a que se juntaram os espanhóis e de outras dioceses estrangeiras, também convidaram neste caso só os católicos para se juntarem à recitação do rosário, a partir do Santuário de Fátima. O bispo de Leiria fará, no final, uma oração de consagração.

Artigos relacionados