"Crescente tensão"

Cristãos agredidos e templos vandalizados na Índia

| 6 Jan 2023

igreja vandalizada na índia, foto DR (AIS)

A Igreja do Sagrado Coração, em Bastar, “que tem mais de 50 anos, foi reconstruída há cinco anos e agora está tudo destruído”, lamentou o seu pároco. Foto: Direitos Reservados.

 

“Uma multidão” atacou a Igreja do Sagrado Coração, em Bastar, na região central da Índia, “atirando pedras contra o edifício, arrombando a porta de entrada e destruindo tudo o que se encontrava no interior”, avançou esta quinta-feira, 5 de janeiro, a Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), alertando para a “crescente tensão”  que tem vindo a registar-se no país, com “grupos radicais hindus a mobilizarem as populações, instigando-as contra os cristãos”.

“A situação é muito tensa”, descreveu o pároco local, Jomon Devasia, em declarações à agência AsiaNews. “A igreja, que tem mais de 50 anos, foi reconstruída há cinco anos e agora está tudo destruído”, lamentou.

De acordo com a AIS, a tensão tem vindo a crescer “desde há várias semanas”. Em causa está a acusação de conversões forçadas por parte dos cristãos e a prática do que os grupos radicais hindus classificam como sendo uma “religião estrangeira”.

No início do mês de dezembro, houve incidentes contra os cristãos em dezenas de aldeias no estado de Chhattisgarh, com a destruição de três igrejas, refere a fundação pontifícia. Mais recentemente, no dia 27 de dezembro, ocorreu outro ataque, desta vez à Igreja de Santa Maria, na cidade de Mysuru, no estado de Karnataka.

No mais recente relatório “Perseguidos e Esquecidos?”, elaborado pela Fundação AIS e publicado em novembro do ano passado, é referido que a vitória do partido nacionalista Bharatiya Janata (BJP) na Índia reforçou e encorajou “um clima no qual as minorias são marginalizadas”, constatando-se que, no período em análise (2020 a 2022), houve “mais de 800 ataques a cristãos”, o que significou “um aumento recorde” face ao relatório anterior.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Irritações e sol na cara

Irritações e sol na cara novidade

“Todos os dias têm muito para correr mal, sim. Mas pode-se passar pela vida irritado? Apitos e palavras desagradáveis, respirações impacientes, sempre com o “não posso mais” na boca.” – A crónica de Inês Patrício, a partir de Berlim

A cor do racismo

A cor do racismo novidade

O que espero de todos é que nos tornemos cada vez mais gente de bem. O que espero dos que tolamente se afirmam como “portugueses de bem” é que se deem conta do ridículo e da pobreza de espírito que ostentam. E que não se armem em cristãos, porque o Cristianismo está nas antípodas das ideias perigosas que propõem.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This