Cristãos marroquinos pedem ao Papa que fale de liberdade religiosa na sua visita ao país

| 18 Mar 19

Mesquita de Casablanca: os cristãos também querem mais espaço em Marrocos. Foto © danyloz2002/Pixabay

 

Marrocos será o próximo país a receber o Papa Francisco, dias 30 e 31 de março, com um programa que incluirá uma visita ao Rei Mohammed VI, um encontro com o povo marroquino, nas Esplanadas da Mesquita Hassan II, uma reunião com os migrantes na sede da Cáritas e a celebração de uma missa. Antecipando a visita, num comunicado do Comité dos Cristãos Marroquinos, citado pela agência Fides, duas semanas antes da visita, pede-se ao Papa a intervenção da Santa Sé na questão da liberdade religiosa no país.

O comité denuncia, no texto, que as autoridades marroquinas têm um importante papel na perseguição de cristãos já que “prendem e maltratam pessoas por proclamar a sua religião” ou fazer parte de igrejas clandestinas.

Na carta aberta, publicada no jornal Al Massae, dá-se conta de que as pessoas são torturadas, insultadas e vêm os seus documentos de identidade confiscados, por proclamarem o cristianismo em igrejas clandestinas. As autoridades também expulsam centenas de estrangeiros, acusando-os de proselitismo.

Em Marrocos, a população baptizada (maioritariamente evangélica) representa apenas 1,1 por cento, o que perfaz um total de 380 mil entre 33,6 milhões de habitantes, que são na sua maioria muçulmanos. O Comité dos Cristãos Marroquinos tem trabalhado com a Associação Marroquina para os Direitos e a Liberdade Religiosa e com a Associação Marroquina dos Direitos Humanos, que defendem a liberdade religiosa, dão conta de violações da mesma e tentam incluir cristãos, ahmadis, xiitas e ibadis.

Apesar de tudo, o Comité reconhece os esforços que o rei tem feito para tornar Marrocos num país mais tolerante, mesmo que as autoridades continuem a discriminar os cristãos. Entre as iniciativas de Mohammed VI, conta-se a “Conferência sobre Minorias Religiosas em países islâmicos”, organizada em 2016.

Artigos relacionados

Breves

O poder no feminino, nas histórias de seis portuguesas negras

O programa Poder no Feminino, que estreia às 19h30 deste domingo, 10 de Janeiro, na RTP África, dará voz a seis mulheres de ascendência africana, portuguesas ou que residem em Portugal, que fizeram o seu percurso profissional na academia, nos negócios, na política, no jornalismo, na psicologia, em Portugal e no mundo.

Santuário de Fátima entrega 13 mil euros de ofertórios do Natal à diocese de Pemba

Os ofertórios das missas de Natal e de Ano Novo do Santuário de Fátima renderam 13.397,34 euros e o dinheiro será enviado directamente para a diocese de Pemba (Moçambique), que está no centro das tensões que têm atingido a província de Cabo Delgado, onde os ataques de grupos terroristas provocaram já mais de meio milhão de desalojados e mais de dois mil mortos.

Boas notícias

É notícia 

Entre margens

A máscara – espelho da alma

A propósito da recolha, compilação e publicação de alguns contos e lendas do concelho de Bragança, todos eles belíssimos e inspiradores, resolvi escrever sobre um deles (A Máscara de Ouro), por três razões principais: a primeira razão prende-se com o facto de unir a memória e o território, na figura do Abade de Baçal, patrono do meu Agrupamento de Escolas;

A Gaivota que nos ensinou o que é a esperança

Muitas vezes são invejadas as pessoas que abraçam a vida com uma atitude de esperança. Como se esta fosse um dom inato que permitisse viver com maior ligeireza. Contrariamente ao que se possa pensar, a esperança é um ato de resistência, um combate interior e, por vezes, exterior. Exige muitíssimo mais olhar o mundo com um olhar de esperança e de braços erguidos quando tudo parece perdido do que, pura e simplesmente, aceitar a dureza da realidade que não nos satisfaz.

O estado dos portugueses

Era bom que todos entendessem que a presente situação pode ser ainda pior do ponto de vista emocional do que uma guerra, pelo menos num aspecto. É que a guerra implica um inimigo a combater, com um rosto, uma intenção e uma identidade, contra quem se podem dirigir as nossas energias, o que não é possível numa pandemia causada por um vírus que não se vê a olho nu e cuja presença não se sente nem percepciona.

Cultura e artes

A máscara – espelho da alma

A propósito da recolha, compilação e publicação de alguns contos e lendas do concelho de Bragança, todos eles belíssimos e inspiradores, resolvi escrever sobre um deles (A Máscara de Ouro), por três razões principais: a primeira razão prende-se com o facto de unir a memória e o território, na figura do Abade de Baçal, patrono do meu Agrupamento de Escolas;

A vida, o sofrimento e Jesus

Dois autores, ambos presbíteros com profundas experiências e preocupações pastorais – Valdés é biblista argentino, Bermejo é especialista na pastoral da saúde em Espanha – oferecem em Peregrinar a Jesus um contributo notável para aprofundar as difíceis e exigentes questões relacionadas com a saúde, o sofrimento e a relação de fé.

O olhar da raposa

Infelizmente, são ainda muitos os lugares deste mundo onde a pena de morte continua a existir e a ser praticada. Sirvam de exemplo estas notícias do Público de sexta, 11 de Dezembro e Domingo 13 de Dezembro: “Trump autoriza onda de execuções como não se via há 124 anos”; “Alfred Bourgeois é o segundo executado em dois dias pela Administração Trump”; “Irão executa jornalista por inspirar protestos de 2017 contra o regime”.

A pegada de religiosidade na obra de João Cutileiro

“Na vasta obra de João Cutileiro, há uma intermitente, mas persistente, pegada de religiosidade que deixou plasmada em poemas de pedra”, escreve o padre Mário Tavares de Oliveira, cónego da diocese de Évora, num texto que evoca a arte do escultor que morreu no passado dia 5.

Sete Partidas

Angela Merkel

Partilho o último discurso de Ano Novo de Angela Merkel como chanceler alemã. A princípio não gostava muito dela, e desgostei especialmente na época da crise do euro. A rejeição era tal que, há cerca de 15 anos, os meus filhos sentiram necessidade de tomar uma importante decisão pessoal: anunciaram que gostavam muito dos avós “apesar de eles votarem na Angela Merkel”.

Visto e Ouvido

Igreja tem política de “tolerância zero” aos abusos sexuais, mas ainda está em “processo de purificação”

D. José Ornelas

Bispo de Setúbal

Agenda

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This