Estudo norte-americano prevê

Cristianismo deixará de ser religião maioritária em 2070

| 15 Set 2022

cruz a noite na cidade foto leo lintag

O relatório indica que os norte-americanos sem afiliação religiosa passarão dos atuais 30% para entre 34% a 52%. Foto © Leo Lintag.

 

Um estudo do Pew Research Center, divulgado esta semana, concluiu que o cristianismo deixará de ser a religião maioritária nos Estados Unidos da América em 2070, caso se mantenha a tendência de diminuição do número de pessoas que se consideram cristãs naquele país.

De acordo com o mesmo estudo, em 2020 cerca de 64% dos norte-americanos, incluindo crianças, eram cristâos. As pessoas sem afiliação religiosa correspondiam a 30% e as restantes religiões (incluindo os judeus, muçulmanos, hindus e budistas) a cerca de 6% da população.

A tendência de diminuição do número de cristãos e de aumento do número de pessoas que descrevem a sua identidade religiosa como ateia, agnóstica ou “nada em particular” tem sido estável desde 1990 e, dependendo da evolução dessa taxa, as projeções mostram que os cristãos cairão de 64% para um valor que irá situar-se entre um pouco mais da metade (54%) e ligeiramente acima de um terço (35%) da população em 2070.

Nesse mesmo período, os norte-americanos sem afiliação religiosa passarão dos atuais 30% para entre 34% a 52%, assinala o estudo “”Modeling the Future of Religion in America”.

“É possível que eventos alheios ao modelo de estudo – como uma guerra, uma crise económica, uma crise climática, uma mudança nos padrões de imigração ou inovações religiosas – possam reverter as tendências atuais, provocando um ressurgimento do cristianismo nos Estados Unidos”, salvaguarda o relatório.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Irritações e sol na cara

Irritações e sol na cara novidade

“Todos os dias têm muito para correr mal, sim. Mas pode-se passar pela vida irritado? Apitos e palavras desagradáveis, respirações impacientes, sempre com o “não posso mais” na boca.” – A crónica de Inês Patrício, a partir de Berlim

A cor do racismo

A cor do racismo novidade

O que espero de todos é que nos tornemos cada vez mais gente de bem. O que espero dos que tolamente se afirmam como “portugueses de bem” é que se deem conta do ridículo e da pobreza de espírito que ostentam. E que não se armem em cristãos, porque o Cristianismo está nas antípodas das ideias perigosas que propõem.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This