Estórias, sentimentos e percepções durante o Ramadão

Crónicas de um jejuador (5): Os últimos cartuchos

| 10 Abr 2024

Muçulmano em oração. Foto Levgenii Meyer

“Há que aproveitar ao máximo, quer na adoração, quer na caridade, quer na mera recordação de Deus e finalizar a leitura do Alcorão.” Foto © Levgenii Meyer

 

Já aqui falámos da importância que as noites assumem no calendário deste sagrado mês e, destas, as últimas dez noites são especialíssimas. Eu justifico: a cada dez dias, há um propósito específico, e se os primeiros são da Misericórdia e do Perdão, estes últimos têm como intento a procura do refúgio divino.

É como se desejássemos a proteção do Senhor dos Mundos durante todo o ano, selando assim o mês sagrado e ansiando pela vinda do próximo, que infelizmente nem todos terão o privilégio de presenciar.

A agenda intensifica-se. Há que aproveitar ao máximo, quer na adoração, quer na caridade, quer na mera recordação de Deus e finalizar a leitura do Alcorão (os muçulmanos têm por hábito recitar um dos 30 capítulos (Ajza) do Livro Sagrado por dia, perfazendo assim um Alcorão completo durante todo o mês).

Há que começar a pensar e a preparar as festas e tal também ocupa algum tempo na intensa rotina do mês do Ramadão.

Já ouvi dizer que o que mais cansa neste mês é a ausência ou privação do sono, o que talvez seja possível, pois se durante o dia estamos em modo “standby”, à noite procuramos enfatizar os rituais de adoração, através da oração facultativa e da leitura das escrituras.

Nestes últimos dez dias há também uma procura incessante e intrigante pela Noite do Poder, Lailatul Cadre, que é uma noite equivalente a 1000 meses e que marca o início da revelação.

Não há uma data exata para a mesma, embora muitos teimosamente queiram celebrá-la a 27 do mês e nós entendemos tal como um sinal divino para que a procuremos, nas últimas dez noites, havendo forte probabilidade da mesma ocorrer nas noites ímpares.

A adoração e vigília na noite de Cadre são um deleite para a alma. O coração tende a derreter-se em lágrimas de gratidão sincera e o corpo está em êxtase angelical.

A alma esforça-se para chegar mais perto de Deus Todo Poderoso. Neste sagrado mês do Ramadão, esforçamo-nos na procura do perdão e da bem-aventurança.

Que Deus nos recompense com a sua infinita abundância e nos permita estar cá para o ano!

 

Khalid Jamal é conselheiro da presidência da direcção da Comunidade Islâmica de Lisboa. Neste Ramadão, partilhou com os leitores do 7MARGENS algumas reflexões a propósito do mês sagrado do islão. As crónicas anteriores podem ser lidas aqui.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

O aumento da intimidação católica

O aumento da intimidação católica novidade

A intimidação nos meios católicos está a espalhar-se por todos os Estados Unidos da América. No exemplo mais recente, a organização Word on Fire, do bispo de Minnesota, Robert Barron, ameaçou a revista Commonweal e o teólogo Massimo Faggioli por causa de um ensaio de Faggioli, “Será que o Trumpismo vai poupar o Catolicismo?”

“Desmasculinizar a Igreja?”

Pré-publicação

“Desmasculinizar a Igreja?” novidade

“Desmasculinizar a Igreja?” – Análise crítica dos “princípios” de Hans Urs von Balthasar” é o título do livro que será publicado pela Paulinas Editora e que será apresentado na Feira do Livro de Lisboa, no próximo domingo, dia 2 de junho, às 18 horas.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This