Cultura e Artes

À espera

[Os dias da semana]

À espera

Quase todos se apresentam voltados para o sítio onde estão Maria e José, que têm, mais por perto, a companhia de um burro e de uma vaca. Todos esperam. Ao centro, a manjedoura em que, em breve, será colocado o recém-nascido. É tempo agora de preparar a sua chegada, esse imenso acontecimento, afinal de todas as horas.

As canções que romperam o silêncio aflito

Música popular no Estado Novo

As canções que romperam o silêncio aflito

A canção apresenta-se neste livro como um objeto único para reconstituir a história cultural de uma era, como nos avisa a mensagem inscrita na contracapa. E essa época está bem definida no subtítulo deste Silêncio Aflito: “A sociedade portuguesa através da música popular (dos anos 40 aos anos 70)” — e assim está também situado o regime ditatorial do Estado Novo que oprimiu Portugal até 1974 e, à época, as então colónias.

Silêncio: a luz adentra no corpo

Pré-publicação 7M

Silêncio: a luz adentra no corpo

A linguagem não é só palavra, é também gesto, silêncio, ritmo, movimento. Uma maior atenção a estas realidades manifesta uma maior consciência na resposta e, na liturgia, uma qualidade na participação: positiva, plena, ativa e piedosa. Esta é uma das ideias do livro Mistagogia Poética do Silêncio na Liturgia, de Rafael Gonçalves. Pré-publicação do prefácio.

Mais do que A Voz da Fátima

Pré-publicação

Mais do que A Voz da Fátima

Que fosse pedido a um incréu um texto de prefácio para um livro sobre A Voz da Fátima, criou-me alguma perplexidade e, ao mesmo tempo, uma vontade imediata de aceitar. Ainda bem, porque o livro tem imenso mérito do ponto de vista histórico, com o conjunto de estudos que contém sobre o jornal centenário, mas também sobre o impacto na sociedade portuguesa e na Igreja, das aparições e da constituição de Fátima e do seu Santuário como o centro religioso mais importante de Portugal. Dizer isto basta para se perceber que não é possível entender, no sentido weberiano, Portugal sem Fátima e, consequentemente, sem o seu jornal.

“Cheguei a pensar ser padre… não é muito diferente de ser comediante”

António Raminhos em entrevista

“Cheguei a pensar ser padre… não é muito diferente de ser comediante”

Andou na catequese, foi escuteiro, e, em plena adolescência, quis ser padre – talvez porque também nesse papel teria de falar às pessoas e cativá-las. A obrigatoriedade do celibato assustou-o. Mais tarde, o sentir que havia falta de coerência dentro da Igreja Católica também. É apaixonado pelas religiões (até gostava de fazer um programa de televisão sobre elas), mas é a figura de Jesus Cristo que verdadeiramente o inspira. Hoje, apesar de ter decidido batizar as três filhas ou de ter ido recentemente a Fátima a pé, não se revê na falta de abertura da Igreja Católica e diz-se mais cristão do que católico. Em plena digressão do seu mais recente espetáculo “Não sou eu, é a minha cabeça”, o comediante António Raminhos falou ao 7MARGENS sobre a sua relação com a fé e a forma como esta pode ajudar pessoas que, como ele, sofrem com distúrbios de ansiedade. E também de como a religião é um terreno fértil para o seu trabalho…

A narrativa que faltava ainda sobre os seminários

Livro “No Seminário Maior”

A narrativa que faltava ainda sobre os seminários

O romance “No Seminário Maior”, de Joaquim Tenreira Martins, antigo aluno desta instituição religiosa da Guarda, abre diversos cenários vividos, por centenas de jovens nos anos 60. Possuidor de várias licenciaturas, especializou-se em Ciências Políticas e Direito. O autor, de 77 anos, natural de Vale de Espinho, no concelho do Sabugal, trabalhou nas áreas sociais e culturais da Embaixada da Bélgica, desde 1972. Escreveu outros livros, tendo como pano de fundo a problemática da emigração portuguesa, naquele país.

A “Castro” e outros clássicos do teatro para descobrir em Lisboa (e no YouTube)

Clássicos em Cena em 7ª edição

A “Castro” e outros clássicos do teatro para descobrir em Lisboa (e no YouTube)

A Castro, de António Ferreira, e outras duas peças clássicas, serão objecto de duas leituras encenadas nas próximas sexta-feira e domingo. As sessões incluem-se no programa da 7ª edição dos Clássicos em Cena, que decorre na Livraria/Galeria Sá da Costa (R. Serpa Pinto, 19, ao Chiado, em Lisboa), com entrada livre, e também no canal do Teatro Maizum no YouTube.

Manuel Braga da Cruz distinguido com Prémio Árvore da Vida

Pastoral da Cultura

Manuel Braga da Cruz distinguido com Prémio Árvore da Vida

«As altas qualidades» do «marcante trajeto intelectual» e do «testemunho convicto de humanismo cristão» do professor, investigador e ex-reitor da Universidade Católica Portuguesa Manuel Braga da Cruz valeram-lhe a atribuição do Prémio Árvore da Vida – Padre Manuel Antunes 2022, anunciou esta terça-feira, 8, o Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura (SNPC).

Festival de música sem concertos, mas com “elevações espirituais”

No Vaticano e em Roma, nos 150 anos de Perosi

Festival de música sem concertos, mas com “elevações espirituais”

A 21ª edição do Festival Internacional de Música e Arte Sacra, realiza-se, no Vaticano e em Roma, de 12 a 15 de novembro e, segundo o seu programador, Hans-Albert Courtial, presidente da Fundação Pró Música e Arte Sacra, não terá concertos, mas sim momentos de “elevação espiritual”, de acesso livre e gratuito. Obras de Lorenzo Perosi, de quem se celebram os 150 anos do nascimento, serão tocadas na abertura, já no próximo sábado.

De Profundis, descida lenta

Filme de Frammartino

De Profundis, descida lenta

Deixem-me começar com esta citação que encontrei: “Uma meditação calma, intensa, quase esmagadoramente bela sobre a vida, a morte, a curiosidade humana e o insondável poder da natureza” (A.O. Scott & Manohla Dargis, The New York Times). Diz quase tudo o que senti ao ver este filme tão diferente — Das Profundezas, de Michelangelo Frammartino.

O sentido humanista na obra de José Afonso

Discografia reeditada

O sentido humanista na obra de José Afonso

Tem vindo a ser noticiada a reedição da obra discográfica de José Afonso (1929-1987). De seu nome completo José Manuel Cerqueira Afonso dos Santos, toda a obra se desenrolou e notabilizou sob este nome de José Afonso, entre o familiar e o funcional. A reedição do principal da sua obra constitui uma iniciativa digna de todos os encómios, já que será salvaguardada a qualidade original e a interpretação pessoal do autor.

Sertã homenageia padre Manuel Antunes

Dia 3 de novembro

Sertã homenageia padre Manuel Antunes

Os 104 anos do nascimento do padre Manuel Antunes, uma das figuras mais relevantes na história recente da Sertã, serão assinalados esta quinta-feira, 3, naquele município, com diversas atividades que visam homenagear a sua vida e obra. Entre elas, a estreia do documentário “Pensador luminoso”, que inclui imagens e testemunhos inéditos sobre o padre jesuíta e um dos mais destacados pedagogos do século XX português.

A música na Igreja Católica: desafio permanente de inculturação

Conferência no Festival de Órgão

A música na Igreja Católica: desafio permanente de inculturação

O II Festival Internacional de Órgão e Música Sacra, com mais de 30 concertos, está a proporcionar, desde 13 de outubro, aos habitantes dos municípios do Porto, Maia, Valongo, Gondomar, Arouca, Oliveira de Azeméis e Felgueiras a oportunidade de usufruírem de música de elevada qualidade. O 7MARGENS reproduz a conferência de D. Carlos Azevedo, membro do Dicastério para a Educação e a Cultura, da Santa Sé.

Mais de 400 peças musicais proibidas pelos nazis vão ser publicadas

Parceria entre EUA e Áustria

Mais de 400 peças musicais proibidas pelos nazis vão ser publicadas

São mais de 300 canções, 100 peças de música de câmara, 50 obras orquestrais, e também partituras de temas para teatro e cinema que vão ficar disponíveis para quem as quiser ouvir, graças a uma parceria entre a editora americana de música clássica G. Schirmer, Inc. (pertencente ao Wise Music Group) e o Centro Exilarte para a Música Proibida, sedeado em Viena (Áustria), avança o jornal Jewish News.

A busca espiritual em Fernando Pessoa

Um registo biográfico único

A busca espiritual em Fernando Pessoa

Hostil ao catolicismo e agnóstico, Pessoa foi canalizando as interrogações sobre o desconhecido e as suas inseguranças existenciais para a ciência dos astros, para a cabala enquanto “demanda metafísica”, bem como para práticas esotéricas e espíritas. Mas no meio disto tudo encontramos uma dimensão espiritual na sua vida e na sua escrita?

Os rascunhos de Lourdes Pintasilgo para os caminhos novos na política

Exposição até 30, catálogo editado

Os rascunhos de Lourdes Pintasilgo para os caminhos novos na política

São três folhas de rascunho, de esboços para cartazes e acções de campanha eleitoral. Todos eles condensam ideias fortes e traduzem muito algumas das coisas do que era Maria de Lourdes Pintasilgo (1930-2004): “O voto no coração e na inteligência. Portugal – terra aberta à inovação”. Ou “Um Presidente para um tempo novo, nosso, de todos”. E ainda “Maria de Lourdes Pintasilgo: criar, agir, cumprir. Um Presidente para um Portugal novo”.

Poetas à solta em Barcelos

Conversas, poesia e leituras

Poetas à solta em Barcelos

Um fim-de-semana cheio com poesia, leituras e conversas em Barcelos é a proposta da Poeta à Solta. Em Barcelos, a tarde e noite desta sexta-feira, 21, e a tarde de sábado, levam à cidade os poetas Chus Pato, Jaime Rocha, João Vasco Rodrigues, Miriam Reyes e Valter Hugo Mãe.

Em Sines iremos ouvir música italiana “com afecto” e saber porque morrem os sobreiros

Il Giardino Armonico

Em Sines iremos ouvir música italiana “com afecto” e saber porque morrem os sobreiros

“Con Affetto: Emoção e Razão na Música Italiana do Século XVII” é o título do concerto da noite deste sábado, 22, em Sines, inserido num conjunto de actividades que marcam o encerramento do 18º festival Terras Sem Sombra. Com o ensemble barroco Il Giardino Armonico, um dos mais famosos da actualidade, o programa inclui obras de Merula, Castello, Scarlatti ou Vivaldi, entre outros. A participação nas diferentes actividades do festival é gratuita, mas no caso do concerto os bilhetes de reserva de lugar estão esgotados.

Santuário reabre museu com exposição renovada

Fátima

Santuário reabre museu com exposição renovada

Após um período de encerramento, devido à pandemia, o Museu do Santuário de Fátima reabriu as portas com várias novidades. Os espaços foram reconfigurados para poder receber um maior número de visitantes, e o protagonismo dado à coroa da imagem de Nossa Senhora de Fátima foi reforçado.

Importância da memória histórica em debate na Misericórdia do Porto

Entrada livre

Importância da memória histórica em debate na Misericórdia do Porto

De que forma acontecimentos históricos como o Holocausto e a Inquisição são ensinados nas escolas e qual o seu impacto no mundo contemporâneo? Estas são duas das questões que estarão em cima da mesa na Conferência “The Future is Memory – A importância da Memória Histórica”, que terá lugar esta sexta-feira, 14, pelas 15 horas, na Igreja Privativa da Misericórdia do Porto.

Festival Internacional de Órgão e Música Sacra de regresso ao Porto

A partir de 13 de outubro

Festival Internacional de Órgão e Música Sacra de regresso ao Porto

Serão cerca de 30 concertos, quatro master classes, uma conferência, e mais de 100 intérpretes: o Festival Internacional de Órgão e Música Sacra (FIOMS) está de regresso à diocese do Porto, pelo segundo ano consecutivo, e decorrerá entre 13 de outubro e 6 de novembro. Os concertos terão lugar em algumas das mais emblemáticas igrejas da região, com entrada gratuita, e na Casa da Música.

Concerto de taças tibetanas e feira gastronómica na Semana da Harmonia

Odivelas promove até dia 15

Concerto de taças tibetanas e feira gastronómica na Semana da Harmonia

Um concerto de taças tibetanas na noite desta terça-feira, 11 de Outubro (20h30) e outro “Concerto pela paz” na quarta-feira com o ensemble de câmara Nova Orquestra Sinfónica. Estas são duas das iniciativas previstas no programa da Semana da Harmonia Inter-Religiosa e do Diálogo Inter-Cultural, promovida pela Câmara Municipal de Odivelas e que decorre em vários espaços deste município e de concelhos limítrofes até ao próximo sábado, 15.

O Sortilégio de Toledo

Pelas ruas da cidade

O Sortilégio de Toledo

Não é possível sair das ruas de Toledo. Se um qualquer sortilégio deveras nos atrai e nos conduz ao seu labirinto, estamos perdidos. Dizem-me que as grossas correntes penduradas por um arquitecto na abside exterior de San Juan de los Reyes são cadeias de quem foi libertado do cativeiro em terras mouriscas. Não acredito. Têm, antes, um ar de aviso.

Silêncio: devolver à vida a sua beleza

Livro de oração

Silêncio: devolver à vida a sua beleza

Será um passo paradoxal falar do silêncio: afinal, ele será rompido para que dele se fale. Mas sabemos, na nossa experiência quotidiana, como a ausência de reflexão pode ser sinónimo, não de silêncio, mas de um adormecimento nos ruídos, distrações e imagens que constantemente nos interpelam.

Os Evangelhos Apócrifos traduzidos por Frederico Lourenço

Pré-publicação 7M

Os Evangelhos Apócrifos traduzidos por Frederico Lourenço

Frederico Lourenço, que tem estado a traduzir a Bíblia, num projeto muito aplaudido, apresenta agora a tradução para português dos evangelhos apócrifos, a partir das línguas originais – latim e grego. Combatidos a partir do século IV e excluídos a partir do século XVI, estes evangelhos apócrifos são agora reunidos numa edição bilingue. Pré-publicação.

Como podem a fé e a amizade salvar o planeta? O documentário “A Carta” responde

Estreia no YouTube

Como podem a fé e a amizade salvar o planeta? O documentário “A Carta” responde

Estreia esta terça-feira, 4 de outubro, o documentário “The letter. A message for our earth” (em português, “A Carta. Uma mensagem para o nosso planeta”), que apresenta quatro protagonistas (um refugiado climático do Senegal, uma ativista adolescente da Índia, cientistas do Havaí e um indígena da Amazónia brasileira), em diálogo com o Papa Francisco. A estreia mundial decorre no Vaticano, por ocasião da festa de São Francisco de Assis, pelas 10h30 (hora de Portugal continental), no canal do Vatican News no YouTube.

Dia 4 de outubro

Filme “A Carta” exibido em Campo de Ourique

O documentário “A Carta” que relata a história da Encíclica Laudato Si’, recolhe depoimentos de vários ativistas do clima e tem como estrela principal o próprio Papa Francisco vai ser exibido no auditório da Escola de Hotelaria e Turismo na terça-feira, dia 4 de outubro, às 21h15.

Ruy Cinatti, o senhor da chuva em Timor

Livro ilustrado

Ruy Cinatti, o senhor da chuva em Timor

Ruy Cinatti (1915-1986) Senhor da Chuva é o título do livro que evoca a figura do poeta e antropólogo que dedicou vários anos da sua vida a Timor. Da autoria de Mara Bernardes de Sá e com ilustrações de Bosco Alves, o livro foi agora lançado pela Plural Editores e conta com prefácio do padre Peter Stilwell.

Poesia, dança e música em Lisboa para dessedentar as sedes contemporâneas

Luiza Andaluz Centro de Conhecimento

Poesia, dança e música em Lisboa para dessedentar as sedes contemporâneas

Uma oficina de poesia criativa para crianças dos 7 aos 14 anos, um espectáculo de dança contemporânea, um tempo de oração e um concerto – esta é a proposta que, a partir das 15h deste sábado, 24 de Setembro, a congregação das Servas de Nossa Senhora de Fátima preparou para aquela que será a festa de inauguração do núcleo de Lisboa do seu Luiza Andaluz – Centro de Conhecimento (LACC), que pretende atingir sobretudo as gerações mais novas, mas que é aberto a todas as pessoas interessadas.  

Jesuítas: evangelização, ciência e globalização

Exposição até domingo, em Coimbra

Jesuítas: evangelização, ciência e globalização

Podemos olhar para um azulejo e ver nele a ilustração ou, mesmo, uma página de um livro. O conjunto de azulejos que ainda se podem ver, até ao próximo domingo, 25 de Setembro, na exposição A Companhia de Jesus – Evangelização e Ciência (Museu Nacional de Machado de Castro, Coimbra) é isso mesmo que traduz, ilustrando operações de geometria ou matemática, ou conceitos de astronomia, por exemplo.

Maria Antónia Leite Siza, 50 anos depois

Maria Antónia Leite Siza, 50 anos depois

Parei no Porto para visitar uma exposição dedicada à artista Maria Antónia Marinho Leite Siza Vieira (1940-1973), organizada a partir de um conjunto de cem desenhos doados pelo marido, o arquiteto Álvaro Siza Vieira, à Fundação Serralves.

João Manuel Duque, “cruzador de fronteiras”

Teologia em diálogo com a cultura contemporânea

João Manuel Duque, “cruzador de fronteiras”

Pelo seu trabalho académico de produção teológica em que se tem posicionado como “cruzador de fronteiras”, o catedrático João Manuel Duque recebeu esta quinta-feira, 15 de setembro, em Braga, o prémio Árvore da Vida – Padre Manuel Antunes. Na sessão, que decorreu no Espaço Vita, aproveitou para enunciar vários desafios ao trabalho teológico, em que se destaca a “elaboração de uma teologia universitária, em permanente atenção ao debate cultural contemporâneo”.

As igrejas e a Shoah – exposição até 2023

Em Paris

As igrejas e a Shoah – exposição até 2023

A atitude dos cristãos e das igrejas, em especial a Católica, nos anos negros do Holocausto judaico, é o tema de uma exposição que se pode ver em Paris até fevereiro do próximo ano, por iniciativa da organização Mémorial de la Shoah. Intitulada Pela graça de Deus: as...

João Manuel Duque fala sobre o estado atual da Teologia

Prémio Árvore da Vida 2021

João Manuel Duque fala sobre o estado atual da Teologia

O teólogo João Manuel Duque, professor catedrático na Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa (UCP), em Braga, fará uma conferência sobre “Os principais problemas e perspetivas na situação atual da teologia”, no âmbito da entrega do prémio Árvore da Vida – Padre Manuel Antunes, com que foi agraciado no ano passado.

O mundo da violência na Escola

Recreio, de Laura Wandel

O mundo da violência na Escola

Quando este texto for publicado, o mais provável é já não ser possível ir ver este filme a uma sala de cinema. Mas será certamente possível e provável tropeçar nele numa qualquer outra tela. Se assim acontecer, não deixem de ver Recreio, de Laura Wandel. E até me parece que vale a pena dá-lo a ver nas escolas.

Para que serve a oração? Para nutrir o desejo

Para que serve a oração? Para nutrir o desejo

A Oração dos Cristãos – o Pai Nosso Comentado pelos Padres da Igreja, o novo livro de Isidro Lamelas, frade franciscano e professor na Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa, é uma proposta de renovação da experiência orante que nos transporta aos ritos de fundação dos Padres da Igreja para percebermos que “Jesus não ensinou quantas vezes ou quanto e quando, mas como se deve orar”. Terá uma apresentação pública no próximo sábado, 10, às 17h30, junto do pavilhão da Universidade Católica Editora na Feira do Livro de Lisboa.

Sete salmos de terra

Novo disco de Nick Cave

Sete salmos de terra

É um disco que não é para todos, avisou o próprio Nick Cave. Seven Psalms, o seu mais recente trabalho, regista sete textos impregnados de uma forte espiritualidade, e sempre com a morte como companheira.

Uma Guerra Mundial “em peças soltas” – a oportunidade de um livro

Papa Francisco

Uma Guerra Mundial “em peças soltas” – a oportunidade de um livro

A expressão de uma guerra “em peças soltas” é usada pelo Papa Francisco no prefácio do seu recente livro Contra a Guerra.[1] Constituem-no um conjunto de textos provenientes de diferentes acções decorridas no ano de 2022 – bem como em datas anteriores – onde se debruçou criticamente sobre este tema. Em todos esses escritos está presente aquilo a que o Papa designa como “cultura da solicitude,” [2] uma atitude que contrasta com a situação que hoje diariamente vivemos, onde a possibilidade de guerra mundial é uma constante.

Um festival de poesia em Toledo para que o ferro não vença a árvore

Ruy Ventura na homenagem a Ángel Guinda

Um festival de poesia em Toledo para que o ferro não vença a árvore

Iniciou-se nesta sexta-feira e decorre até domingo (2 a 4 de setembro), em Toledo (Espanha) o “Voix Vives – Festival de Poesía de Mediterráneo en Mediterráneo”. Seria a décima edição, não tivesse a pandemia interrompido a regularidade desta iniciativa, que tem como polos a cidade espanhola e Sète, no sul de França. Neste ano, o Festival presta homenagem a Ángel Guinda, importante poeta espanhol recentemente falecido.

O rosto inacabado

Introdução da obra

O rosto inacabado

O Rosto Inacabado, editado esta semana pelo Secretariado Nacional de Liturgia, faz um percurso em seis capítulos pelo rosto de Cristo na Bíblia e pelas “presenças reais” no texto bíblico, no ícone e na eucaristia, antes de falar dos “ignorados”: as crianças, os pequenos, os que sofrem, os que têm fome ou sede, os estrangeiros, os pobres, os doentes ou os presos. O 7MARGENS reproduz a introdução do livro.

Acompanhar os reclusos, uma arte do cuidar

Livro “Amar os Presos?!...”

Acompanhar os reclusos, uma arte do cuidar

Um alerta para que se fale das pessoas que vivem em situação de privação de liberdade, periferia que se encontra quase esquecida por muitos católicos incluindo sectores da própria hierarquia católica, apesar da sua Pastoral Penitenciária – tal é o foco do livro Amar os Presos?!… –  Inquietações e Contributos de um visitador prisional, da autoria de Paulo Neves. O autor faz parte da Unidade Pastoral dos Estabelecimentos Prisionais de Custóias, Sta. Cruz do Bispo e cadeia anexa à Polícia Judiciária (Porto).

Estado proíbe leitura de cinco livros no secundário

Filipinas

Estado proíbe leitura de cinco livros no secundário

A Comissão da Língua Filipina retirou cinco livros da lista de livros aconselhados para os alunos do secundário, proibindo a sua leitura por “terem conteúdos que violam a lei antiterrorismo do país”. O decreto foi publicado a 12 de agosto, noticia a agência UCA News de dia 15.

O padre que fez uma rave e recebeu os parabéns de Francisco

Nápoles, Itália

O padre que fez uma rave e recebeu os parabéns de Francisco

Filho do proprietário de uma discoteca, ele próprio disc-jockey desde jovem, Michele Madonna resolveu usar os conhecimentos do seu antigo ofício para organizar uma rave e chegar mais próximo dos jovens. Pormenor importante: hoje em dia, Michele é pároco da comunidade de Santa Maria di Montesanto, em Nápoles, Itália.

“Nós Viemos”: a emigração  revisitada por José Vieira

Festival de Melgaço

“Nós Viemos”: a emigração revisitada por José Vieira

Toda a sua vida e preocupação enquanto cidadão e cineasta tem sido voltada para a emigração. Aos sete anos, sentiu na pele a miséria dos “bidonvilles” e, após tirar Sociologia, optou por  filmar o problema daqueles que partiram em busca de uma vida melhor. “Procuro contar a minha história pessoal e da família para lembrar o drama da emigração colectiva”, disse ao “Sete Margens” José Vieira, que nesta edição do MDOC trouxe “Nós Viemos” (2021). O filme foi bem recebido pela assistência e é um forte candidato ao prémio Jean-Loup Passek.

O Grito que está dentro da nossa cabeça

Livros

O Grito que está dentro da nossa cabeça

No livro “Dos Sonhos e das Imagens: a Guerra de Libertação na Guiné-Bissau”, Catarina Laranjeiro regressa a um dos locais mais filmados por alturas da guerra, a tabanca (aldeia) de Unal, no sul da Guiné-Bissau. Ponto estratégico para o PAIGC pela sua proximidade com a fronteira com a Guiné-Conacri. Descobre, nesta viagem, as pessoas, as personagens que ainda vivem nesta geografia e nesta memória.

“Paraíso” de Sérgio Tréfaut encantou em tarde quente

Festival de Melgaço

“Paraíso” de Sérgio Tréfaut encantou em tarde quente

É quase em clima “non stop” que decorre mais uma edição do MDOC/Festival Internacional de Documentário de Melgaço: quatro filmes em média, mais as manifestações paralelas, exposições, cursos Fora de Campo, Plano Frontal, residências artísticas. Como a temperatura é escaldante e, em alguns dias, chega a rondar 40 graus, a maioria dos participantes, vindos de várias geografias, opta pela sala climatizada da Casa da Cultura e, por lá fica, a apreciar filmes atrás de filmes pelo prazer da viagem e descoberta.

A longa viagem de uma identidade coletiva

“Rostos de uma Barragem”

A longa viagem de uma identidade coletiva

Rostos de uma Barragem reproduz um álbum de cerca de 200 fotografias, a preto e branco, na sua esmagadora maioria da autoria do Padre Telmo Ferraz e por ele legendadas. Retrata a realidade da barragem de Picote entre os inícios da sua construção e inauguração (anos 1954-1959). Irradiação de vida e de memória, configura um documento social e histórico, cujo texto introdutório de Henrique Manuel Pereira aqui reproduzimos.

O olhar de quatro portugueses sobre a relação entre arquitetura e religião

Em revista internacional

O olhar de quatro portugueses sobre a relação entre arquitetura e religião

O último número da revista internacional de arquitetura Rassegna di architettura e urbanistica, editada pela Sapienza Università di Roma, é dedicado ao tema “Sagrado Contemporâneo” e conta com artigos de quatro autores portugueses: o cardeal Tolentino Mendonça, o arquiteto Álvaro Siza, o arquiteto e padre jesuíta João Norton de Matos e o padre Joaquim Félix de Carvalho.

Cinema do passado e com futuro

Curtas de Vila do Conde

Cinema do passado e com futuro

Num festival com mais Saudade do Futuro e menos virado ao passado – pese embora o cinema datado seja fundamental para o conhecimento e identidade de um país –, o Curtas resolveu, e bem, mostrar algumas películas da “arqueologia do cinema” produzidas no início do séc. XX e cujas cópias em diferentes formatos analógicos foram depositadas na Cinemateca Portuguesa/Museu do Cinema.

“Um filme não é a reprodução de um lugar, mas a produção de um olhar”

Curtas de Vila do Conde

“Um filme não é a reprodução de um lugar, mas a produção de um olhar”

Um silêncio gélido atravessou a sala quando começou Noite e Nevoeiro (1955), de Alain Resnais, cineasta, nome cimeiro do documentarismo mundial. As imagens traduzem o horror do extermínio nazi e uma voz off vai relatando a barbárie de milhões de judeus em Auschwitz e Majdanek. A guerra terminou em 1945, ou seja, 10 anos antes de Resnais produzir o filme e as imagens de rostos esqueléticos à beira da morte terem sido recolhidas pelos repórteres de guerra dos exércitos aliados após a libertação dos campos. E, no entanto, após a barbárie, será que o tempo varreu tudo e já só resta a memória?

Sou uma mulher comum, mas estou viva

Sou uma mulher comum, mas estou viva

  Alivia-me o facto de saber que sou uma mulher comum... uma daquelas cuja submissão à normalidade alegra. Sou uma mulher comum, “Ah, que alívio!”... Sou uma mulher comum dentro de casa e dentro da vida... lavo a loiça e a roupa, zango-me com a minha filha por...

Tempos sombrios: um apelo à responsabilidade e à precaução

Tempos sombrios: um apelo à responsabilidade e à precaução

A formulação “tempos sombrios” que dá o título a este texto, remete para o livro da filósofa Hannah Arendt, Homens em Tempos Sombrios, sobre as biografias de homens e de mulheres que viveram na primeira metade do século XX, contemporâneos do totalitarismo em ambas as suas formas: nazismo e estalinismo.

Doação de ara romana reforça espólio do Museu D. Diogo de Sousa

Ocaere, divindade autóctone

Doação de ara romana reforça espólio do Museu D. Diogo de Sousa

A doação de uma ara votiva romana guardada ao longo de várias décadas pela família Braga da Cruz, de Braga, enriquece desde esta sexta-feira, dia 1, o espólio do Museu de Arqueologia D. Diogo de Sousa (MADDS), estando já exposta para fruição do público. A peça, que passou a integrar a coleção permanente daquele Museu, foi encontrada num quintal particular no município de Terras de Bouro, pelo Dr. Manuel António Braga da Cruz (1897-1982), que viria, depois, a conseguir que o proprietário lha cedesse.

Alter do Chão recebe recital de voz e piano

Festival Terras sem Sombra

Alter do Chão recebe recital de voz e piano

O Cineteatro de Alter do Chão acolhe este sábado, 2 de julho, pelas 21h30, um recital da soprano Carla Caramujo e da pianista Lígia Madeira, no âmbito do Festival Terras sem Sombra (FTSS). Intitulado “O Triunfo da Primavera: Canções de Debussy, Poulenc, Fragoso, Lacerda, Schubert e Wolf”, o concerto promete levar o público a diferentes geografias musicais, do século XIX ao período contemporâneo.

Lápide gaélica foi proibida num cemitério inglês — e ganhámos uma bela canção

Novo disco dos Fontaines D.C.

Lápide gaélica foi proibida num cemitério inglês — e ganhámos uma bela canção

A Igreja de Inglaterra proibiu uma inscrição em irlandês numa lápide fúnebre, em Coventry, argumentando que a frase teria de ser traduzida para inglês para que as pessoas não a confundissem com uma declaração política. A família de Margaret Keane foi para tribunal e ganhou – e os irlandeses Fontaines D.C. fizeram desta história uma belíssima canção.

Luz e negrume

Luz e negrume

As obras de Pedro Costa, cineasta, Rui Chafes, escultor, e Paulo Nozolino, fotógrafo, e de Simon Hantaï, artista plástico, estão expostas em Paris, respectivamente no Centre Georges Pompidou e na Fundação Louis Vitton. Um autor, identificado como Anonymous, estabelece com elas um diálogo em dois poemas traduzidos por João Paulo Costa, investigador na área de filosofia e autor de À sombra do invisível (Documenta, 2020).

“Cadernos da Água”, um romance a ler

Livro de João Reis

“Cadernos da Água”, um romance a ler

É um livro envolvente e inquietante. Alienante, só se for no sentido de nos transportar para outra realidade, mas de nenhum modo sem nos deixar sossegados no nosso hoje. Cadernos da Água é o seu título, João Reis o seu autor. Valeram a pena as horas intensas de leitura que lhe dediquei, porque me alargaram os horizontes da vida e da esperança.

Exposição de alunos evoca Aristides de Sousa Mendes

Em Lisboa

Exposição de alunos evoca Aristides de Sousa Mendes

Uma exposição preparada por alunos da escola Delfim Santos, de Lisboa, nas áreas de Português e Educação Visual, será inaugurada na manhã desta quarta-feira, 15, no Palácio Beau-Séjour (Estrada de Benfica, 368), na capital, pretendendo recordar a acção de Aristides de Sousa Mendes, que salvou milhares de judeus em fuga das perseguições nazis durante a Segunda Guerra Mundial e assinalando o dia da Consciência.

Uma exposição que é prova do poder dos Museus

Para ver em Coimbra

Uma exposição que é prova do poder dos Museus

A exposição Resgatar a Ordem iconografias [s]em reserva[s], patente no Museu Nacional de Machado de Castro, em Coimbra, até ao próximo dia 19, é motivo mais do que suficiente para uma visita àquele espaço museológico, e à cidade do Mondego, num dos próximos dois fins de semana, ainda por cima prolongados.

Paula Rego e os quadros de Belém

Ciclo da Natividade

Paula Rego e os quadros de Belém

No espaço do antigo oratório do Palácio de Belém, a imaginação criativa de Paula Rego (1935-2022) recontou as histórias de Maria de Nazaré, em oito quadradinhos [54×52 cm]. São imagens que necessitam de contemplação, de que deixemos pousar o nosso olhar nos quadros até sermos surpreendidos pela visão das pinturas sobre nós.

O peso de uma aliança

"Colmeia", filme kosovar

O peso de uma aliança

Em tempo de Páscoa e nestes dias ainda violentos da guerra na Ucrânia, quando tantas mulheres tiveram de fugir com os filhos, deixando os seus maridos, foi uma verdadeira graça ver o filme Colmeia, da realizadora kosovar Bertha Basholli.

Paula Rego, as histórias que continuam

Artista morreu aos 87 anos

Paula Rego, as histórias que continuam

As múltiplas notícias sobre a morte de Paula Rego publicadas na imprensa internacional servem para dar conta da riqueza da singular obra que a pintora nos lega. “‘She is dancing among the greats’: the dangerously honest, richly ambiguous Paula Rego”, titula o diário britânico The Guardian. O francês Le Monde prefere destacar uma referência às suas pinturas figurativas, “frequentemente inspiradas em histórias, designadamente em lendas do folclore português, em mitos e em contos de fadas”. Às múltiplas facetas que agora estão a ser referidas, acrescentar-se-ão novos ângulos que o tempo ajudará a descobrir.

As “histórias bizarras” de refugiados e imigrantes de novo em cena

Sábado, em Oeiras

As “histórias bizarras” de refugiados e imigrantes de novo em cena

As histórias de refugiados e imigrantes a viver em Portugal voltam ao palco neste sábado, 11, no Auditório Municipal Ruy de Carvalho, em Carnaxide (Oeiras), a partir das 21h00, no espectáculo Une Histoire Bizarre (Uma História Bizarra). A peça, uma ideia original de Sebastião Martins, com encenação de Júlio Martín, parte das histórias pessoais das actrizes e actores de países tão diversos quanto a Ucrânia, Síria, o Irão e o Iraque, o Sudão, Afeganistão, Moçambique, Gâmbia, Nigéria ou Paquistão.

A “Clavis” que pode reabrir Vieira

Manuscrito 1165/1 já era "suspeito"

A “Clavis” que pode reabrir Vieira

Um arquivista que já suspeitava que este era o manuscrito desaparecido há 300 anos. Um texto que confirma um Vieira mais universalista do que em fases anteriores da sua vida, com perspectivas claras do que hoje designamos como direitos humanos ou diálogo inter-religioso. E que deveria ser dado a cada deputado, diz a descobridora do manuscrito….

Misericórdias em jornadas de museologia

3 de Junho, em Santarém

Misericórdias em jornadas de museologia

A União das Misericórdias Portuguesas (UMP) e a Santa Casa da Misericórdia de Santarém promovem nesta sexta-feira, 3 de Junho, as VII Jornadas de Museologia nas Misericórdias. Com início às 9h30, a iniciativa prolonga-se até às 18h, terminando com uma visita guiada à Capela Dourada e à Igreja de Jesus Cristo (da Misericórdia), a partir das 16h30.

O poder de sarar das palavras

Cinema

O poder de sarar das palavras

“‘Este filme, cuja beleza formal reflete a beleza dos sentimentos que exprime, tocou-nos, porque oferece uma reflexão poética sobre o remorso e a dificuldade em perdoar-se’, explica a crítica Mariangeles Almacellas (La Croix), membro do júri (ecuménico), acrescentando que ‘as duas personagens (ao longo do filme) aprendem a procurar o sentido da existência para lá da vida terrestre’.” É uma boa maneira de entrar nestas viagens que o filme Drive My Car (que também ganhou um Óscar de melhor filme estrangeiro) nos faz acompanhar ao longo de quase três horas que valem cada minuto.

Do Apocalipse às conexões invisíveis de Vangelis

Músico morre aos 79 anos

Do Apocalipse às conexões invisíveis de Vangelis

Este “rapaz” não foi só o autor de algumas das bandas sonoras que percorreram os nossos dias… se em 1981 foi Chariots of Fire, logo em 1982 assinou a fantástica banda sonora original de Blade Runner… E, dez anos depois, outra que “polvilhou” o país de norte a sul (até porque acompanhou, também, uma campanha eleitoral): 1492: a conquista do Paraíso.

Diálogo inter-religioso não é estratégia, mas atitude existencial, diz Javier Melloni

Teólogo jesuíta em Portugal

Diálogo inter-religioso não é estratégia, mas atitude existencial, diz Javier Melloni

“O diálogo inter-religioso não é uma estratégia para sobreviver em tempos de forçada pluralidade, mas trata-se de uma atitude existencial que implica toda a pessoa”, diz o jesuíta catalão Javier Melloni no seu livro Para Um Tempo de Síntese – Presente e futuro das religiões (ed. Fragmenta), que acaba de ser publicado e que o próprio apresentará em Portugal, a partir desta segunda-feira, 23 de Maio, em quatro conferências públicas

“Domínio”, de Tom Holland: a recomposição da experiência cristã

Uma leitura do Patriarca no 7M

“Domínio”, de Tom Holland: a recomposição da experiência cristã

Este livro de Tom Holland, escritor inglês com vária obra histórica publicada, obteve uma apreciação positiva e generalizada, quando saiu em 2019: “Cativante” (The Times), “Arrebatador” (The Economist), “Fascinante” (Library Journal)… Mais assertivo ainda, The Sunday Times: “Se os grandes livros nos encorajam a olhar o mundo de um modo completamente novo, então Domínio é, sem dúvida, um grande livro.”  

“Longos Dias Breve o Medo” apresentado em Braga, Guimarães e Porto

Novo livro de Luís Soares Barbosa

“Longos Dias Breve o Medo” apresentado em Braga, Guimarães e Porto

Decorre na tarde deste sábado, 21, a partir das 15h30, a sessão de apresentação de Longos Dias Breve o Medo, o novo livro de poesia de Luís Soares Barbosa. A apresentação da obra, editada pela Officium Lectionis, será feita por Eduardo Jorge Madureira, que integra a equipa do 7MARGENS, e terá lugar na Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva (BLCS), em Braga, com entrada livre.

Lenda da Nazaré em selo sobre mitos europeus

Emissão filatélica

Lenda da Nazaré em selo sobre mitos europeus

A história é conhecida e desde a semana passada está também evocada num selo de correio, numa emissão filatélica dedicada a mitos da Europa: em 14 de Setembro de 1182, Fuas Roupinho, alcaide-mor de Porto de Mós, andava à caça, quando encontrou o que parecia ser um veado. Lançando-se em sua perseguição, acabou no alto de uma falésia, à beira de cair. Invocou Nossa Senhora e o cavalo manteve-se erguido apenas pelas patas traseiras, enquanto o veado desaparecera – seria, afinal, a figura do demónio…

Qual é a religião de Deus?

Pré-publicação

Qual é a religião de Deus?

Na próxima quinta-feira, 19 de maio, será apresentado no Porto Todos Nós Somos Sendo (ed. Contraponto), o livro que completa uma trilogia de conversas entre frei Fernando Ventura e Joaquim Franco. O 7MARGENS antecipa um excerto da obra, na qual frei Fernando e Joaquim questionam: “qual é a religião de Deus?” 

Aprender a “Viver Juntos em Paz” 

Filme no Dia Internacional

Aprender a “Viver Juntos em Paz” 

Em sintonia com os objetivos do Dia Internacional de Viver Juntos em Paz, que esta segunda-feira, 16 de maio, se celebrou, a organização Aliança das Civilizações, da ONU, lançou o filme All of Us [Todos nós], do realizador Pierre Pirard, em parceria com outras organizações internacionais.

“Diakuyu”: uma iniciativa para ajudar os ucranianos, e agradecer-lhes também

Exposições, música e debates

“Diakuyu”: uma iniciativa para ajudar os ucranianos, e agradecer-lhes também

Uma exposição solidária com recolha de fundos para apoio aos refugiados ucranianos em Portugal está patente desde esta quinta-feira, 12, na Galeria Santa Maria Maior, em Lisboa. O título da exposição, Diakuyo, ou “obrigado” em ucraniano, foi escolhido por se tratar de “uma homenagem e agradecimento ao povo ucraniano, que não está está só a lutar em causa própria, mas para a defesa de valores universais da humanidade como a liberdade e a justiça”, explica a organização em nota enviada ao 7MARGENS.

“O esplendor da polifonia sacra portuguesa” na Vidigueira

Festival Terras Sem Sombra

“O esplendor da polifonia sacra portuguesa” na Vidigueira

O grupo vocal Cupertinos, dirigido por Luís Toscano será o convidado do segundo concerto do Festival Terras sem Sombra, na sua temporada 2022. O espectáculo decorre na Igreja de São Cucufate, em Vila de Frades (Vidigueira), um monumento que a organização considerou ter “excepcionais condições acústicas para a interpretação da música vocal”. Será neste sábado, 14 de Maio, a partir das 21h30. Uma forma de (re)descobrir “o esplendor da polifonia sacra portuguesa do Renascimento e do Maneirismo”, como sugere a organização.

Prémio Árvore da Vida distingue “Viagem ao Sol”

Cinema

Prémio Árvore da Vida distingue “Viagem ao Sol”

O filme “Viagem ao Sol”, de Ansgar Schaefer e Susana Sousa Dias, foi distinguido este domingo com o Prémio Árvore da Vida, que o Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura (SNPC) atribui a um filme da Competição Nacional de Curtas e Longas-Metragens no festival de cinema internacional IndieLisboa.

Guerras, medos, esperas e outras histórias bizarras

Migrantes e refugiados contam vidas em teatro

Guerras, medos, esperas e outras histórias bizarras

E como se arruma a vida numa pequena mala se tivermos apenas uma hora para fugir das bombas? Porque temos de decidir deixar para trás a roupa nova, o colchão de yoga, o livro que se começou a ler? Como se pode trocar um dia de aniversário pelo dia de início de uma guerra que outros nos fazem? Porque não se pode, sequer, encenar o pequeno teatro que era costume fazer para os amigos nesse dia?

Autorretrato

Autorretrato

Não é bonito dizer que tenho um familiar favorito, mas tal como Picasso fez na sua época áurea, vou quebrar os estereótipos e dizer que o meu bisavô é a melhor pessoa que alguma vez conheci.

The Sun faz digressão em Portugal

Rock cristão

The Sun faz digressão em Portugal

  O grupo católico italiano de rock The Sun iniciou na noite desta sexta-feira, 29, em Viana do Castelo, uma digressão de seis concertos com entradas gratuitas. Seguem-se neste sábado Santa Catarina da Serra (Leiria, 17h, no Salão Paroquial), Ponte de Sor (1 de...

O poeta viajante Hugo Mujica vem ao Porto

Padre e filósofo

O poeta viajante Hugo Mujica vem ao Porto

O poeta argentino Hugo Mujica, presbítero, filósofo e artista plástico vem a Portugal na próxima semana apresentar uma nova antologia da sua obra, com o título “Tudo o que arde morre iluminando”, numa edição bilingue da editora portuense Officium Lectionis, de José Rui Teixeira. 

A roldana das freiras vai rodar para matar novas sedes

Centro de Conhecimento

A roldana das freiras vai rodar para matar novas sedes

O que pode fazer uma roldana de cisterna numa casa de freiras? “Uma cisterna tem muito a ver com o querer dar água viva. E todos estamos à procura de algo mais profundo, precisamos de água fresca” para as nossas vidas. Ao criar o Luiza Andaluz Centro de Conhecimento (LACC) em três casas da congregação em Lisboa e Santarém, as Servas de Nossa Senhora de Fátima querem concretizar um “projecto que sempre teve a ver com o desejo de possibilitar que as nossas casas possam ajudar a dessedentar, a sossegar” as vidas e os ritmos contemporâneos.

Obra de Irene Vilar reunida em catálogo

“Labor beneditino”

Obra de Irene Vilar reunida em catálogo

Foi um “labor beneditino” que agora chegou ao fim: um Catálogo Geral com mais de 700 obras de Irene Vilar (1930-2008) será apresentado nesta terça-feira, 19 de Abril, na Igreja dos Clérigos (18h), culminando um trabalho de vários anos liderado e coordenado pelo bispo D. Carlos Azevedo, actual delegado no Conselho Pontifício para a Cultura.

Requiem pelos vivos!

Requiem pelos vivos!

A vagem que morre contém dentro de si a vida. Mistério simples e profundo! Numa dimensão não meramente utilitária e material, o nosso ser está sempre em transformação. Ninguém sabe em absoluto a nossa origem, as transformações das origens imemoriais que sofremos para ser aquilo que somos hoje. E também não sabemos os devires que se seguirão. Este não-saber o que virá é precioso, pois nos poderá abrir para uma confiança fundamental, para o que torna possível a nossa demora no mundo, a relação com outrem.

Uma exposição imaginada

Uma exposição imaginada

Abrimos às seis da tarde com mais ou menos cinco ou dez minutos de atraso, já que a antecedência não costuma ser usual neste tipo de eventos. A antecipação da inauguração para esta tarde foi pensada com a expectativa de entrar na galeria e descobrir novos livros nas estantes da livraria, a poucos passos da entrada. Lá fora caem pingos de chuva, já não tão carregados pelos tempos de Primavera que começa a despontar.

Tradição e contemporaneidade, silêncio e verdade

“Do Fundo do Cálice”

Tradição e contemporaneidade, silêncio e verdade

Do Fundo do Cálice é o título da última obra do padre Joaquim Félix de Carvalho, que apresenta o Calix Mundi e o Cálice de Peregrinação, duas peças concebidas pelo artista plástico norueguês Asbjørn Andresen para a Capela Árvore da Vida. O 7MARGENS apresenta o prefácio e o posfácio da obra de João Norton de Matos e João Alves da Cunha, respetivamente.

Teologia e Poesia

Livro sobre Drummond de Andrade

Teologia e Poesia

O livro de Alex Villas Boas Teologia e Poesia em Carlos Drummond de Andrade. Busca de sentido e razão de recusa de Deus (Lisboa, 2021) que aqui se apresenta vem na continuidade dos volumes anteriores da coleção Estudos de Religião da INCM, nomeadamente o volume sobre a teologia ficcional de José Saramago. 

Que nem para morrer há um lugar

Maria Ondina Braga, 100 anos

Que nem para morrer há um lugar

Em 2016 publiquei um pequeno roteiro para uma fotobiografia da Maria Ondina Braga, a minha querida tia Ondina, cujo título – e fico só e falo com as sombras – era uma expressão da própria em carta a um amigo próximo, corria então veloz a década de setenta. Mais que um desabafo, uma constatação. A sua vida assim. O resto um sobejo inútil.

Iconografias [s]em reserva[s] no Machado de Castro

Olhar o espólio do museu

Iconografias [s]em reserva[s] no Machado de Castro

“Resgatar a compreensão do universo complexo das ordens religiosas” é um dos objectivos da exposição “Resgatar a Ordem. Iconografias [s]em reserva[s]”, patente no Museu Nacional de Machado de Castro (MNMC), em Coimbra, desde 1 de Abril até 19 de Junho, um primeiro olhar de conjunto sobre as reservas do MNMC. A mostra, segundo um comunicado de imprensa, resgata ainda “a clareza possível das peças submetidas a um processo de conservação preventiva” e “a leitura dos objetos que permaneciam inertes e descontextualizados nas reservas do MNMC e que ganham agora os contornos de inteligibilidade que lhes assiste”.

Começa a 18ª edição do Festival Terras Sem Sombra

Em Ferreira do Alentejo

Começa a 18ª edição do Festival Terras Sem Sombra

Arranca este sábado, 2 de abril, em Ferreira do Alentejo, a 18.ª temporada do Festival Terras sem Sombra. O concerto de abertura está a cargo do agrupamento de câmara austríaco Trio Klavis, que interpretará música para violino, saxofone e piano tendo como pano de fundo o Lagar do Marmelo. Do programa em Ferreira do Alentejo consta ainda uma visita ao património cultural da aldeia de Peroguarda e uma ação de biodiversidade que incidirá sobre as ervas comestíveis, aromáticas e medicinais.

Museu do Holocausto reabre e Museu Judaico exibe filme português “1618”

Porto

Museu do Holocausto reabre e Museu Judaico exibe filme português “1618”

O Museu do Holocausto do Porto reabre ao público esta quinta-feira, 31, depois de vários meses de encerramento, devido à pandemia. Inaugurado em 2021, no final de janeiro, é considerado o primeiro Museu do Holocausto na Península Ibérica, sendo tutelado por membros da comunidade judaica do Porto cujos pais, avós e familiares foram vítimas do Holocausto.

“Ver novas todas as coisas”

Exposição em São Roque

“Ver novas todas as coisas”

Assinalando dois momentos chave relacionados com Santo Inácio de Loyola, o V Centenário da sua Conversão e o IV Centenário da sua Canonização, inaugurou esta quarta-feira, 30 de Março, na galeria de exposições temporárias do Museu de São Roque, em Lisboa, a exposição “Ver novas todas as coisas”. A mostra é comissariada por Maria João Pereira Coutinho e António Júlio Limpo Trigueiros, sj.

Padre Sousa Fernandes homenageado em Braga

Livro com testemunhos e inéditos

Padre Sousa Fernandes homenageado em Braga

Decorre neste sábado, 26, na Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva, em Braga, a partir das 15.30h, um evento evocativo do percurso multifacetado do padre e professor António Sousa Fernandes, durante o qual será apresentado um livro com testemunhos de amigos e textos do homenageado. O livro, intitulado “Vou ficar por aqui até ao fim. Vida e obra de António Manuel Sousa Fernandes”, foi coordenado por Eduardo Jorge Madureira e Luís Cristóvam, e destaca facetas de uma personalidade que marcou a vida eclesial, académica, política e cultural bracarense e nacional.

Oiça-se a cultura!…

Oiça-se a cultura!…

O monstro da guerra não se dissimulou e a resistência apareceu e reagiu. Mesmo para os que julgavam poder aparecer como supostos libertadores, aconteceu o que tantas vezes ocorre em circunstâncias semelhantes – o sentido de comunidade, a defesa da casa, a solidariedade prevaleceram. Afinal, a guerra é a calamidade composta de todas as calamidades, que a todos atinge, em que “não há mal algum que se não padeça ou se não tema”.

Maria, mãe de Jesus e do seu movimento – um outro olhar

Um livro de James D. Tabor

Maria, mãe de Jesus e do seu movimento – um outro olhar

“Há uma verdade teológica; e há uma verdade histórica e é sobre esta última que diz respeito a obra” que James D. Tabor apresenta: Marie. “Maria, mulher judia, viúva, só e pelo menos mãe de oito filhos… respeito a piedade e a devoção, a Maria celeste – eterna celibatária, como uma religiosa. Mas a Maria esquecida que estamos a descobrir é uma heroína, cuja espiritualidade e exemplo são impressionantes.”

Desencontros: amar e ser compreendido

Lançamento

Desencontros: amar e ser compreendido

Quando o padre Carlos Pinto, pároco de São Pedro de Almargem do Bispo, me convidou para apresentar o seu livro e me disse o título – DesEncontro –, confesso que me lembrei de imediato de uma música do José Cid cuja letra diz: “Desencontro, quando se ama e não se é correspondido.” E o curioso é que esta definição ajuda a entrar neste livro.

Da impossibilidade da paz. A guerra molda a humanidade

Ensaio: Dois livros

Da impossibilidade da paz. A guerra molda a humanidade

A invasão da Ucrânia pela Rússia abre um capítulo novo na Europa do pós-Guerra. Pela primeira vez, desde o fim da Segunda Guerra Mundial, um Estado soberano é invadido por outro, com o poder russo a pretender aniquilar o país vizinho – Vladimir Putin disse que “a Ucrânia moderna é uma criação da Rússia”. Este novo capítulo de guerra tem como principal consequência uma militarização acentuada da Europa. Um ensaio a partir de dois livros.

Vida, luz e sombra (sobre “Silêncio na Era do Ruído”)

Vida, luz e sombra (sobre “Silêncio na Era do Ruído”)

Num tempo em que precisamos de vidros duplos para ter silêncio em casa ou nos protegermos do som infernal das brocas que perfuram azulejos da casa do vizinho ou lá em baixo na rua; num tempo em que tanta gente só adormece mantendo a TV ligada ou ouvindo o spotify nos auscultadores incansáveis do telemóvel com os fios a adentrar-se nos ouvidos, da real dependência de ecrãs e luzes fosforescentes, do facebook e do whatsapp – que cansaço! –, é preciso reaprendermos o silêncio.

217 minutos de espanto, comoção e nostalgia

Cinema

217 minutos de espanto, comoção e nostalgia

Pois bem, quem tiver duzentos e dezassete minutos para gastar, faça o favor de sentar-se e olhar este filme. De facto, não se trata propriamente de um filme – não é ficção, é um documentário filmado numa escola real, com este professor e estes alunos e tudo o que anda à volta de um ano escolar.

Joshua Ruah, um judeu de Lisboa

Pré-publicação

Joshua Ruah, um judeu de Lisboa

No seu livro de memórias, “Um Judeu de Lisboa”, Joshua Ruah, antigo dirigente da Comunidade Israelita de Lisboa, fala da sua infância, do modo como entende o judaísmo, da sua participação na Guerra Colonial e de várias histórias já do tempo do regime democrático.

A fé cruzada com as porosidades humanas

Livros

A fé cruzada com as porosidades humanas

É possível propor um caminho de redescoberta das pistas da fé cristã após vinte séculos de história? Continua a experiência espiritual do Cristianismo a fazer sentido, a encontrar linguagens novas, a sentir uma frescura que lhe é emprestada quer do regresso às fontes, quer do diálogo com todas as expressões do humano – da arte à literatura, do cinema à poesia? É esse difícil trabalho que o dominicano inglês Timothy Radcliffe leva a cabo com grande maestria.

Início do curso sobre mística cristã será em Maio

Adiamento

Início do curso sobre mística cristã será em Maio

  A mística e a poesia, os estudos filosóficos sobre a mística e a mensagem e impacto das figuras místicas ao longo da história do cristianismo são alguns dos temas de um curso livre sobre Mística e Místicos no Cristianismo que se iniciará dia 5 de Maio e decorre...

Hildegarda a dançar na Capela das Barrocas

Paróquia de Aveiro propõe programa cultural

Hildegarda a dançar na Capela das Barrocas

O espectáculo de dança Visão Hildegard, dirigido por Suzana Rosas, decorre a partir das 17h30 deste sábado, 29, na capela das Barrocas, em Aveiro. É a primeira de um conjunto de actividades culturais que, até final do ano, pretendem promover, nas diferentes igrejas da paróquia da Vera-Cruz, “o diálogo com a cultura e as novas linguagens, usando a linguagem da Igreja e do espaço sagrado”

Lembrar as vítimas do nazismo

Holocausto

Lembrar as vítimas do nazismo

27 de janeiro, a data em que o Exército Vermelho libertou Auschwitz, tornou-se o dia internacional em memória das vítimas do nazismo. Hoje quero lembrar Karl Stojka, e o seu aviso: “Não foi Hitler, nem Göring, nem Goebels, nem Himmler, nem nenhum desses quem me arrastou e espancou. Não. Foi o sapateiro, o vizinho, o leiteiro.”

Interiormente perturbador

Cinema

Interiormente perturbador

Quase no início d’O Acontecimento, já depois de termos percebido que o filme iria andar à volta do corpo e do desejo, Anne conclui que se trata de um texto político. Também esta obra cinematográfica, que nos expõe um caso de aborto clandestino – estamos em França, nos anos 60 –, é um filme político.

As causas que sobrevivem às coisas

Crónicas portuguesas dos anos 80

As causas que sobrevivem às coisas

O Portugal de A Causa das Coisas e de Os Meus Problemas, publicados nos anos 80, fazem sentido neste século XXI? Miguel Esteves Cardoso ainda nos diz quem e o que somos nós? Haverá coisas que hoje se estranham, nomes fora de tempo, outras que já desapareceram ou caíram em desuso. Já as causas permanecem. Pretexto para uma revisitação a crónicas imperdíveis, agora reeditadas.

A liberdade enquanto caminho espiritual

Carta a Filémon

A liberdade enquanto caminho espiritual

A Epístola a Filémon – um dos mais pequenos escritos do Novo Testamento – constitui o estímulo e o contexto para uma bela reflexão sobre a vivência da liberdade enquanto caminho espiritual. Adrien Candiard – dominicano francês a residir na cidade do Cairo – consegue em breves páginas apresentar um exercício de leitura rico e incisivo sobre a qualidade da vida cristã, mantendo um tom coloquial próprio do contexto de pequenos grupos nos quais este livro encontrou a sua origem.

As dores para dar à luz a verdade

O filme de Almodóvar

As dores para dar à luz a verdade

Fique dito, desde já, que estamos perante um dos melhores e mais amadurecidos filmes de Almodóvar. Intenso como outros, magnificamente construído e filmado como é habitual, talvez mais profundamente moral do que muitos, Mães Paralelas é um filme tecido de segredos íntimos e dolorosos, à volta da maternidade, mas também da Guerra Civil espanhola. No centro, esplendorosa, está Penélope Cruz.

Uma história de salvação, um núcleo palpitante

Uma história de salvação, um núcleo palpitante

Nesta belíssima obra agora disponível, James Dunn – biblista britânico que dedicou a sua vida ao estudo da história do primeiro século do Cristianismo – proporciona ao leitor uma viagem através dos diversos escritos do Novo Testamento, neles buscando os traços da mensagem e da vida de Jesus.

Huahuanacá

Natal, criação e beleza (22)

Huahuanacá

Décimo primeiro – e último – vídeo com músicas de diferentes tradições de Natal, escolhido e apresentado por Carlos Alberto Moreira, apaixonado pelas tradições musicais de diferentes culturas, que participou em diferentes recolhas de música popular. Uma canção...

Polícia da moralidade encerrada no Irão

Protestos a produzir efeitos

Polícia da moralidade encerrada no Irão novidade

A ausência de polícia de moralidade nas ruas de Teerão e de outras grandes cidades iranianas nos últimos meses alimentaram a especulação que foi confirmada na noite de sábado pelo Procurador-Geral do Irão, Mohammad Jafar Montazeri, de que a polícia havia sido desmantelada por indicação “do próprio local onde foi estabelecida”.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

"Nada cristãs"

Ministro russo repudia declarações do Papa

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Lavrov, descreveu como “nada cristãs” as afirmações do Papa Francisco nas quais denunciou a “crueldade russa”, especialmente a dos chechenos, em relação aos ucranianos. Lavrov falava durante uma conferência de imprensa, esta quinta-feira, 1 de dezembro, e referia-se à entrevista que Francisco deu recentemente à revista America – The Jesuit Review.

Um Deus mergulhado na nossa humanidade

Um Deus mergulhado na nossa humanidade novidade

Diante de uma elite obcecada pelo ritualismo de pureza, da separação entre puros e impuros, esta genealogia revela-nos um Deus que não se inibe de operar no ordinário e profano, que não toma preferência alguma acerca daqueles que se assumem categoricamente como sendo corretos, puros de sangue ou mesmo como pertencentes a determinada etnia ou género.

feitos de terra

feitos de terra

Breve comentário do p. António Pedro Monteiro aos textos bíblicos lidos em comunidade, Domingo II do Advento A. Hospital de Santa Marta, Lisboa, 3 de Dezembro de 2022.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This