Cultura e Artes

“Livro da deslocação” em pré-publicação

“Reconstruir a catedral”, prefácio de José Tolentino Mendonça ao “Livro da Consolação”

Para nos adentrarmos na admirável obra poética com que Joaquim Félix de Carvalho se estreia, meditemos na prática da esgrima. Esta pode ser descrita como a ativação de uma cadeia de deslocações que ocorrem num corpo em ordem ao encontro com outro corpo. O primeiro de todos os movimentos é a «Saudação».

Livro de João Reis

“Cadernos da Água”, um romance a ler

É um livro envolvente e inquietante. Alienante, só se for no sentido de nos transportar para outra realidade, mas de nenhum modo sem nos deixar sossegados no nosso hoje. Cadernos da Água é o seu título, João Reis o seu autor. Valeram a pena as horas intensas de leitura que lhe dediquei, porque me alargaram os horizontes da vida e da esperança.

Em Lisboa

Exposição de alunos evoca Aristides de Sousa Mendes

Uma exposição preparada por alunos da escola Delfim Santos, de Lisboa, nas áreas de Português e Educação Visual, será inaugurada na manhã desta quarta-feira, 15, no Palácio Beau-Séjour (Estrada de Benfica, 368), na capital, pretendendo recordar a acção de Aristides de Sousa Mendes, que salvou milhares de judeus em fuga das perseguições nazis durante a Segunda Guerra Mundial e assinalando o dia da Consciência.

Para ver em Coimbra

Uma exposição que é prova do poder dos Museus

A exposição Resgatar a Ordem iconografias [s]em reserva[s], patente no Museu Nacional de Machado de Castro, em Coimbra, até ao próximo dia 19, é motivo mais do que suficiente para uma visita àquele espaço museológico, e à cidade do Mondego, num dos próximos dois fins de semana, ainda por cima prolongados.

Ciclo da Natividade

Paula Rego e os quadros de Belém

No espaço do antigo oratório do Palácio de Belém, a imaginação criativa de Paula Rego (1935-2022) recontou as histórias de Maria de Nazaré, em oito quadradinhos [54×52 cm]. São imagens que necessitam de contemplação, de que deixemos pousar o nosso olhar nos quadros até sermos surpreendidos pela visão das pinturas sobre nós.

"Colmeia", filme kosovar

O peso de uma aliança

Em tempo de Páscoa e nestes dias ainda violentos da guerra na Ucrânia, quando tantas mulheres tiveram de fugir com os filhos, deixando os seus maridos, foi uma verdadeira graça ver o filme Colmeia, da realizadora kosovar Bertha Basholli.

Artista morreu aos 87 anos

Paula Rego, as histórias que continuam

As múltiplas notícias sobre a morte de Paula Rego publicadas na imprensa internacional servem para dar conta da riqueza da singular obra que a pintora nos lega. “‘She is dancing among the greats’: the dangerously honest, richly ambiguous Paula Rego”, titula o diário britânico The Guardian. O francês Le Monde prefere destacar uma referência às suas pinturas figurativas, “frequentemente inspiradas em histórias, designadamente em lendas do folclore português, em mitos e em contos de fadas”. Às múltiplas facetas que agora estão a ser referidas, acrescentar-se-ão novos ângulos que o tempo ajudará a descobrir.

Sábado, em Oeiras

As “histórias bizarras” de refugiados e imigrantes de novo em cena

As histórias de refugiados e imigrantes a viver em Portugal voltam ao palco neste sábado, 11, no Auditório Municipal Ruy de Carvalho, em Carnaxide (Oeiras), a partir das 21h00, no espectáculo Une Histoire Bizarre (Uma História Bizarra). A peça, uma ideia original de Sebastião Martins, com encenação de Júlio Martín, parte das histórias pessoais das actrizes e actores de países tão diversos quanto a Ucrânia, Síria, o Irão e o Iraque, o Sudão, Afeganistão, Moçambique, Gâmbia, Nigéria ou Paquistão.

Manuscrito 1165/1 já era "suspeito"

A “Clavis” que pode reabrir Vieira

Um arquivista que já suspeitava que este era o manuscrito desaparecido há 300 anos. Um texto que confirma um Vieira mais universalista do que em fases anteriores da sua vida, com perspectivas claras do que hoje designamos como direitos humanos ou diálogo inter-religioso. E que deveria ser dado a cada deputado, diz a descobridora do manuscrito….

3 de Junho, em Santarém

Misericórdias em jornadas de museologia

A União das Misericórdias Portuguesas (UMP) e a Santa Casa da Misericórdia de Santarém promovem nesta sexta-feira, 3 de Junho, as VII Jornadas de Museologia nas Misericórdias. Com início às 9h30, a iniciativa prolonga-se até às 18h, terminando com uma visita guiada à Capela Dourada e à Igreja de Jesus Cristo (da Misericórdia), a partir das 16h30.

Cinema

O poder de sarar das palavras

“‘Este filme, cuja beleza formal reflete a beleza dos sentimentos que exprime, tocou-nos, porque oferece uma reflexão poética sobre o remorso e a dificuldade em perdoar-se’, explica a crítica Mariangeles Almacellas (La Croix), membro do júri (ecuménico), acrescentando que ‘as duas personagens (ao longo do filme) aprendem a procurar o sentido da existência para lá da vida terrestre’.” É uma boa maneira de entrar nestas viagens que o filme Drive My Car (que também ganhou um Óscar de melhor filme estrangeiro) nos faz acompanhar ao longo de quase três horas que valem cada minuto.

Músico morre aos 79 anos

Do Apocalipse às conexões invisíveis de Vangelis

Este “rapaz” não foi só o autor de algumas das bandas sonoras que percorreram os nossos dias… se em 1981 foi Chariots of Fire, logo em 1982 assinou a fantástica banda sonora original de Blade Runner… E, dez anos depois, outra que “polvilhou” o país de norte a sul (até porque acompanhou, também, uma campanha eleitoral): 1492: a conquista do Paraíso.

Teólogo jesuíta em Portugal

Diálogo inter-religioso não é estratégia, mas atitude existencial, diz Javier Melloni

“O diálogo inter-religioso não é uma estratégia para sobreviver em tempos de forçada pluralidade, mas trata-se de uma atitude existencial que implica toda a pessoa”, diz o jesuíta catalão Javier Melloni no seu livro Para Um Tempo de Síntese – Presente e futuro das religiões (ed. Fragmenta), que acaba de ser publicado e que o próprio apresentará em Portugal, a partir desta segunda-feira, 23 de Maio, em quatro conferências públicas

Uma leitura do Patriarca no 7M

“Domínio”, de Tom Holland: a recomposição da experiência cristã

Este livro de Tom Holland, escritor inglês com vária obra histórica publicada, obteve uma apreciação positiva e generalizada, quando saiu em 2019: “Cativante” (The Times), “Arrebatador” (The Economist), “Fascinante” (Library Journal)… Mais assertivo ainda, The Sunday Times: “Se os grandes livros nos encorajam a olhar o mundo de um modo completamente novo, então Domínio é, sem dúvida, um grande livro.”  

Novo livro de Luís Soares Barbosa

“Longos Dias Breve o Medo” apresentado em Braga, Guimarães e Porto

Decorre na tarde deste sábado, 21, a partir das 15h30, a sessão de apresentação de Longos Dias Breve o Medo, o novo livro de poesia de Luís Soares Barbosa. A apresentação da obra, editada pela Officium Lectionis, será feita por Eduardo Jorge Madureira, que integra a equipa do 7MARGENS, e terá lugar na Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva (BLCS), em Braga, com entrada livre.

Emissão filatélica

Lenda da Nazaré em selo sobre mitos europeus

A história é conhecida e desde a semana passada está também evocada num selo de correio, numa emissão filatélica dedicada a mitos da Europa: em 14 de Setembro de 1182, Fuas Roupinho, alcaide-mor de Porto de Mós, andava à caça, quando encontrou o que parecia ser um veado. Lançando-se em sua perseguição, acabou no alto de uma falésia, à beira de cair. Invocou Nossa Senhora e o cavalo manteve-se erguido apenas pelas patas traseiras, enquanto o veado desaparecera – seria, afinal, a figura do demónio…

Pré-publicação

Qual é a religião de Deus?

Na próxima quinta-feira, 19 de maio, será apresentado no Porto Todos Nós Somos Sendo (ed. Contraponto), o livro que completa uma trilogia de conversas entre frei Fernando Ventura e Joaquim Franco. O 7MARGENS antecipa um excerto da obra, na qual frei Fernando e Joaquim questionam: “qual é a religião de Deus?” 

Filme no Dia Internacional

Aprender a “Viver Juntos em Paz” 

Em sintonia com os objetivos do Dia Internacional de Viver Juntos em Paz, que esta segunda-feira, 16 de maio, se celebrou, a organização Aliança das Civilizações, da ONU, lançou o filme All of Us [Todos nós], do realizador Pierre Pirard, em parceria com outras organizações internacionais.

Exposições, música e debates

“Diakuyu”: uma iniciativa para ajudar os ucranianos, e agradecer-lhes também

Uma exposição solidária com recolha de fundos para apoio aos refugiados ucranianos em Portugal está patente desde esta quinta-feira, 12, na Galeria Santa Maria Maior, em Lisboa. O título da exposição, Diakuyo, ou “obrigado” em ucraniano, foi escolhido por se tratar de “uma homenagem e agradecimento ao povo ucraniano, que não está está só a lutar em causa própria, mas para a defesa de valores universais da humanidade como a liberdade e a justiça”, explica a organização em nota enviada ao 7MARGENS.

Festival Terras Sem Sombra

“O esplendor da polifonia sacra portuguesa” na Vidigueira

O grupo vocal Cupertinos, dirigido por Luís Toscano será o convidado do segundo concerto do Festival Terras sem Sombra, na sua temporada 2022. O espectáculo decorre na Igreja de São Cucufate, em Vila de Frades (Vidigueira), um monumento que a organização considerou ter “excepcionais condições acústicas para a interpretação da música vocal”. Será neste sábado, 14 de Maio, a partir das 21h30. Uma forma de (re)descobrir “o esplendor da polifonia sacra portuguesa do Renascimento e do Maneirismo”, como sugere a organização.

Cinema

Prémio Árvore da Vida distingue “Viagem ao Sol”

O filme “Viagem ao Sol”, de Ansgar Schaefer e Susana Sousa Dias, foi distinguido este domingo com o Prémio Árvore da Vida, que o Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura (SNPC) atribui a um filme da Competição Nacional de Curtas e Longas-Metragens no festival de cinema internacional IndieLisboa.

Migrantes e refugiados contam vidas em teatro

Guerras, medos, esperas e outras histórias bizarras

E como se arruma a vida numa pequena mala se tivermos apenas uma hora para fugir das bombas? Porque temos de decidir deixar para trás a roupa nova, o colchão de yoga, o livro que se começou a ler? Como se pode trocar um dia de aniversário pelo dia de início de uma guerra que outros nos fazem? Porque não se pode, sequer, encenar o pequeno teatro que era costume fazer para os amigos nesse dia?

Autorretrato

Não é bonito dizer que tenho um familiar favorito, mas tal como Picasso fez na sua época áurea, vou quebrar os estereótipos e dizer que o meu bisavô é a melhor pessoa que alguma vez conheci.

Rock cristão

The Sun faz digressão em Portugal

  O grupo católico italiano de rock The Sun iniciou na noite desta sexta-feira, 29, em Viana do Castelo, uma digressão de seis concertos com entradas gratuitas. Seguem-se neste sábado Santa Catarina da Serra (Leiria, 17h, no Salão Paroquial), Ponte de Sor (1 de...

Padre e filósofo

O poeta viajante Hugo Mujica vem ao Porto

O poeta argentino Hugo Mujica, presbítero, filósofo e artista plástico vem a Portugal na próxima semana apresentar uma nova antologia da sua obra, com o título “Tudo o que arde morre iluminando”, numa edição bilingue da editora portuense Officium Lectionis, de José Rui Teixeira. 

Centro de Conhecimento

A roldana das freiras vai rodar para matar novas sedes

O que pode fazer uma roldana de cisterna numa casa de freiras? “Uma cisterna tem muito a ver com o querer dar água viva. E todos estamos à procura de algo mais profundo, precisamos de água fresca” para as nossas vidas. Ao criar o Luiza Andaluz Centro de Conhecimento (LACC) em três casas da congregação em Lisboa e Santarém, as Servas de Nossa Senhora de Fátima querem concretizar um “projecto que sempre teve a ver com o desejo de possibilitar que as nossas casas possam ajudar a dessedentar, a sossegar” as vidas e os ritmos contemporâneos.

“Labor beneditino”

Obra de Irene Vilar reunida em catálogo

Foi um “labor beneditino” que agora chegou ao fim: um Catálogo Geral com mais de 700 obras de Irene Vilar (1930-2008) será apresentado nesta terça-feira, 19 de Abril, na Igreja dos Clérigos (18h), culminando um trabalho de vários anos liderado e coordenado pelo bispo D. Carlos Azevedo, actual delegado no Conselho Pontifício para a Cultura.

Requiem pelos vivos!

A vagem que morre contém dentro de si a vida. Mistério simples e profundo! Numa dimensão não meramente utilitária e material, o nosso ser está sempre em transformação. Ninguém sabe em absoluto a nossa origem, as transformações das origens imemoriais que sofremos para ser aquilo que somos hoje. E também não sabemos os devires que se seguirão. Este não-saber o que virá é precioso, pois nos poderá abrir para uma confiança fundamental, para o que torna possível a nossa demora no mundo, a relação com outrem.

Uma exposição imaginada

Abrimos às seis da tarde com mais ou menos cinco ou dez minutos de atraso, já que a antecedência não costuma ser usual neste tipo de eventos. A antecipação da inauguração para esta tarde foi pensada com a expectativa de entrar na galeria e descobrir novos livros nas estantes da livraria, a poucos passos da entrada. Lá fora caem pingos de chuva, já não tão carregados pelos tempos de Primavera que começa a despontar.

“Do Fundo do Cálice”

Tradição e contemporaneidade, silêncio e verdade

Do Fundo do Cálice é o título da última obra do padre Joaquim Félix de Carvalho, que apresenta o Calix Mundi e o Cálice de Peregrinação, duas peças concebidas pelo artista plástico norueguês Asbjørn Andresen para a Capela Árvore da Vida. O 7MARGENS apresenta o prefácio e o posfácio da obra de João Norton de Matos e João Alves da Cunha, respetivamente.

Livro sobre Drummond de Andrade

Teologia e Poesia

O livro de Alex Villas Boas Teologia e Poesia em Carlos Drummond de Andrade. Busca de sentido e razão de recusa de Deus (Lisboa, 2021) que aqui se apresenta vem na continuidade dos volumes anteriores da coleção Estudos de Religião da INCM, nomeadamente o volume sobre a teologia ficcional de José Saramago. 

Maria Ondina Braga, 100 anos

Que nem para morrer há um lugar

Em 2016 publiquei um pequeno roteiro para uma fotobiografia da Maria Ondina Braga, a minha querida tia Ondina, cujo título – e fico só e falo com as sombras – era uma expressão da própria em carta a um amigo próximo, corria então veloz a década de setenta. Mais que um desabafo, uma constatação. A sua vida assim. O resto um sobejo inútil.

Olhar o espólio do museu

Iconografias [s]em reserva[s] no Machado de Castro

“Resgatar a compreensão do universo complexo das ordens religiosas” é um dos objectivos da exposição “Resgatar a Ordem. Iconografias [s]em reserva[s]”, patente no Museu Nacional de Machado de Castro (MNMC), em Coimbra, desde 1 de Abril até 19 de Junho, um primeiro olhar de conjunto sobre as reservas do MNMC. A mostra, segundo um comunicado de imprensa, resgata ainda “a clareza possível das peças submetidas a um processo de conservação preventiva” e “a leitura dos objetos que permaneciam inertes e descontextualizados nas reservas do MNMC e que ganham agora os contornos de inteligibilidade que lhes assiste”.

Em Ferreira do Alentejo

Começa a 18ª edição do Festival Terras Sem Sombra

Arranca este sábado, 2 de abril, em Ferreira do Alentejo, a 18.ª temporada do Festival Terras sem Sombra. O concerto de abertura está a cargo do agrupamento de câmara austríaco Trio Klavis, que interpretará música para violino, saxofone e piano tendo como pano de fundo o Lagar do Marmelo. Do programa em Ferreira do Alentejo consta ainda uma visita ao património cultural da aldeia de Peroguarda e uma ação de biodiversidade que incidirá sobre as ervas comestíveis, aromáticas e medicinais.

Porto

Museu do Holocausto reabre e Museu Judaico exibe filme português “1618”

O Museu do Holocausto do Porto reabre ao público esta quinta-feira, 31, depois de vários meses de encerramento, devido à pandemia. Inaugurado em 2021, no final de janeiro, é considerado o primeiro Museu do Holocausto na Península Ibérica, sendo tutelado por membros da comunidade judaica do Porto cujos pais, avós e familiares foram vítimas do Holocausto.

Exposição em São Roque

“Ver novas todas as coisas”

Assinalando dois momentos chave relacionados com Santo Inácio de Loyola, o V Centenário da sua Conversão e o IV Centenário da sua Canonização, inaugurou esta quarta-feira, 30 de Março, na galeria de exposições temporárias do Museu de São Roque, em Lisboa, a exposição “Ver novas todas as coisas”. A mostra é comissariada por Maria João Pereira Coutinho e António Júlio Limpo Trigueiros, sj.

Livro com testemunhos e inéditos

Padre Sousa Fernandes homenageado em Braga

Decorre neste sábado, 26, na Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva, em Braga, a partir das 15.30h, um evento evocativo do percurso multifacetado do padre e professor António Sousa Fernandes, durante o qual será apresentado um livro com testemunhos de amigos e textos do homenageado. O livro, intitulado “Vou ficar por aqui até ao fim. Vida e obra de António Manuel Sousa Fernandes”, foi coordenado por Eduardo Jorge Madureira e Luís Cristóvam, e destaca facetas de uma personalidade que marcou a vida eclesial, académica, política e cultural bracarense e nacional.

Oiça-se a cultura!…

O monstro da guerra não se dissimulou e a resistência apareceu e reagiu. Mesmo para os que julgavam poder aparecer como supostos libertadores, aconteceu o que tantas vezes ocorre em circunstâncias semelhantes – o sentido de comunidade, a defesa da casa, a solidariedade prevaleceram. Afinal, a guerra é a calamidade composta de todas as calamidades, que a todos atinge, em que “não há mal algum que se não padeça ou se não tema”.

Um livro de James D. Tabor

Maria, mãe de Jesus e do seu movimento – um outro olhar

“Há uma verdade teológica; e há uma verdade histórica e é sobre esta última que diz respeito a obra” que James D. Tabor apresenta: Marie. “Maria, mulher judia, viúva, só e pelo menos mãe de oito filhos… respeito a piedade e a devoção, a Maria celeste – eterna celibatária, como uma religiosa. Mas a Maria esquecida que estamos a descobrir é uma heroína, cuja espiritualidade e exemplo são impressionantes.”

Lançamento

Desencontros: amar e ser compreendido

Quando o padre Carlos Pinto, pároco de São Pedro de Almargem do Bispo, me convidou para apresentar o seu livro e me disse o título – DesEncontro –, confesso que me lembrei de imediato de uma música do José Cid cuja letra diz: “Desencontro, quando se ama e não se é correspondido.” E o curioso é que esta definição ajuda a entrar neste livro.

Ensaio: Dois livros

Da impossibilidade da paz. A guerra molda a humanidade

A invasão da Ucrânia pela Rússia abre um capítulo novo na Europa do pós-Guerra. Pela primeira vez, desde o fim da Segunda Guerra Mundial, um Estado soberano é invadido por outro, com o poder russo a pretender aniquilar o país vizinho – Vladimir Putin disse que “a Ucrânia moderna é uma criação da Rússia”. Este novo capítulo de guerra tem como principal consequência uma militarização acentuada da Europa. Um ensaio a partir de dois livros.

Vida, luz e sombra (sobre “Silêncio na Era do Ruído”)

Num tempo em que precisamos de vidros duplos para ter silêncio em casa ou nos protegermos do som infernal das brocas que perfuram azulejos da casa do vizinho ou lá em baixo na rua; num tempo em que tanta gente só adormece mantendo a TV ligada ou ouvindo o spotify nos auscultadores incansáveis do telemóvel com os fios a adentrar-se nos ouvidos, da real dependência de ecrãs e luzes fosforescentes, do facebook e do whatsapp – que cansaço! –, é preciso reaprendermos o silêncio.

Cinema

217 minutos de espanto, comoção e nostalgia

Pois bem, quem tiver duzentos e dezassete minutos para gastar, faça o favor de sentar-se e olhar este filme. De facto, não se trata propriamente de um filme – não é ficção, é um documentário filmado numa escola real, com este professor e estes alunos e tudo o que anda à volta de um ano escolar.

Pré-publicação

Joshua Ruah, um judeu de Lisboa

No seu livro de memórias, “Um Judeu de Lisboa”, Joshua Ruah, antigo dirigente da Comunidade Israelita de Lisboa, fala da sua infância, do modo como entende o judaísmo, da sua participação na Guerra Colonial e de várias histórias já do tempo do regime democrático.

Livros

A fé cruzada com as porosidades humanas

É possível propor um caminho de redescoberta das pistas da fé cristã após vinte séculos de história? Continua a experiência espiritual do Cristianismo a fazer sentido, a encontrar linguagens novas, a sentir uma frescura que lhe é emprestada quer do regresso às fontes, quer do diálogo com todas as expressões do humano – da arte à literatura, do cinema à poesia? É esse difícil trabalho que o dominicano inglês Timothy Radcliffe leva a cabo com grande maestria.

Adiamento

Início do curso sobre mística cristã será em Maio

  A mística e a poesia, os estudos filosóficos sobre a mística e a mensagem e impacto das figuras místicas ao longo da história do cristianismo são alguns dos temas de um curso livre sobre Mística e Místicos no Cristianismo que se iniciará dia 5 de Maio e decorre...

Paróquia de Aveiro propõe programa cultural

Hildegarda a dançar na Capela das Barrocas

O espectáculo de dança Visão Hildegard, dirigido por Suzana Rosas, decorre a partir das 17h30 deste sábado, 29, na capela das Barrocas, em Aveiro. É a primeira de um conjunto de actividades culturais que, até final do ano, pretendem promover, nas diferentes igrejas da paróquia da Vera-Cruz, “o diálogo com a cultura e as novas linguagens, usando a linguagem da Igreja e do espaço sagrado”

Holocausto

Lembrar as vítimas do nazismo

27 de janeiro, a data em que o Exército Vermelho libertou Auschwitz, tornou-se o dia internacional em memória das vítimas do nazismo. Hoje quero lembrar Karl Stojka, e o seu aviso: “Não foi Hitler, nem Göring, nem Goebels, nem Himmler, nem nenhum desses quem me arrastou e espancou. Não. Foi o sapateiro, o vizinho, o leiteiro.”

Cinema

Interiormente perturbador

Quase no início d’O Acontecimento, já depois de termos percebido que o filme iria andar à volta do corpo e do desejo, Anne conclui que se trata de um texto político. Também esta obra cinematográfica, que nos expõe um caso de aborto clandestino – estamos em França, nos anos 60 –, é um filme político.

Crónicas portuguesas dos anos 80

As causas que sobrevivem às coisas

O Portugal de A Causa das Coisas e de Os Meus Problemas, publicados nos anos 80, fazem sentido neste século XXI? Miguel Esteves Cardoso ainda nos diz quem e o que somos nós? Haverá coisas que hoje se estranham, nomes fora de tempo, outras que já desapareceram ou caíram em desuso. Já as causas permanecem. Pretexto para uma revisitação a crónicas imperdíveis, agora reeditadas.

Carta a Filémon

A liberdade enquanto caminho espiritual

A Epístola a Filémon – um dos mais pequenos escritos do Novo Testamento – constitui o estímulo e o contexto para uma bela reflexão sobre a vivência da liberdade enquanto caminho espiritual. Adrien Candiard – dominicano francês a residir na cidade do Cairo – consegue em breves páginas apresentar um exercício de leitura rico e incisivo sobre a qualidade da vida cristã, mantendo um tom coloquial próprio do contexto de pequenos grupos nos quais este livro encontrou a sua origem.

O filme de Almodóvar

As dores para dar à luz a verdade

Fique dito, desde já, que estamos perante um dos melhores e mais amadurecidos filmes de Almodóvar. Intenso como outros, magnificamente construído e filmado como é habitual, talvez mais profundamente moral do que muitos, Mães Paralelas é um filme tecido de segredos íntimos e dolorosos, à volta da maternidade, mas também da Guerra Civil espanhola. No centro, esplendorosa, está Penélope Cruz.

Uma história de salvação, um núcleo palpitante

Nesta belíssima obra agora disponível, James Dunn – biblista britânico que dedicou a sua vida ao estudo da história do primeiro século do Cristianismo – proporciona ao leitor uma viagem através dos diversos escritos do Novo Testamento, neles buscando os traços da mensagem e da vida de Jesus.

Natal, criação e beleza (22)

Huahuanacá

Décimo primeiro – e último – vídeo com músicas de diferentes tradições de Natal, escolhido e apresentado por Carlos Alberto Moreira, apaixonado pelas tradições musicais de diferentes culturas, que participou em diferentes recolhas de música popular. Uma canção...

Natal, criação e beleza (16)

Por isso falo

Oitava foto da autoria de Elisa Costa Pinto, professora de Português e Literatura Portuguesa no secundário, que tem desenvolvido projectos de promoção da leitura, acompanhada de poema por ela escolhido. Ainda que diga sol e lua e estrelas refiro-me a coisas que me...

Natal, criação e beleza (10)

A um gato

Quinta selecção de fotos da autoria de Elisa Costa Pinto, professora de Português e Literatura Portuguesa no secundário, que tem desenvolvido projectos de promoção da leitura, acompanhada de poema por ela escolhido.

Natal, criação e beleza (3)

Maria anava partera

Durante estes dias, o 7MARGENS publicará uma selecção de vídeos com músicas de diferentes tradições de Natal, feita por Carlos Alberto Moreira, apaixonado pelas tradições musicais de diferentes culturais e que participou em diferentes recolhas de música popular. Uma...

Crónicas de Ana Sofia Brito

Um livro da rua e do 7Margens

É um livro que começou no primeiro confinamento ditado pela pandemia, em Março de 2020. Ana Sofia Brito aproveitou os dias sem sair de casa para vasculhar todos os seus cadernos e papéis. Rasgou muito do que lhe entulhava as gavetas, mas também aproveitou muito – nas suas palavras, o que achava decente. O convite para escrever para o 7MARGENS e o encorajamento aí recebido levaram à ideia de um livro.

Cinema

“Um convite a sair de si e ir ao encontro dos outros”

A propósito de um outro – belíssimo – filme A Metamorfose dos Pássaros, da realizadora portuguesa Catarina Vasconcelos, alguém escreveu que ‘a família é lugar de conforto, mas também lugar de confronto’. Creio que pode ser uma pista interessante para se olhar para o último filme de Nanni Moretti, Três Andares.

Curso na Brotéria

A teologia a conversar com a cultura pop

Para muitas pessoas, a cultura pop tornou-se a sua língua franca, expressão de um modo de estar no mundo, com expectativas e angústias próprias. Partindo dessa verificação, o padre jesuíta Rui Fernandes e o centro cultural Brotéria propõem, entre esta quarta-feira, 15, e a próxima sexta, 17, um curso sobre “Teologia e cultura pop”.

Livros

Construir uma história de aliança

No seguimento da atenção pastoral à vida das famílias que o magistério do Papa Francisco tem dedicado, o leitor recebe agora em mãos um pequeno, mas valioso contributo da autoria do jesuíta Vasco Pinto de Magalhães. Como refere o autor na introdução ao livro, não encontramos aqui um tratado sistemático sobre o casamento católico, mas um conjunto de pistas e passos concretos que ajudem a construir, dia a dia, uma história de aliança.

Edith Stein

O humanismo e uma pergunta lacerante

Edith Stein constitui uma figura maior da tradição espiritual cristã do século XX. Alemã de origem judia, Edith Stein partilhou o destino do seu povo na Shoah, apesar da sua conversão em catolicismo aos 30 anos. Com esta obra inicia-se um importante projeto editorial de publicação em Portugal das obras de Edith Stein.

Infosys premeia historiadora

Investigação sobre Goa e catolicismo oriental distingue Ângela Barreto Xavier na Índia

O Prémio Infosys 2021 em Humanidades, da prestigiada fundação indiana Infosys Science Foundation, foi atribuído à historiadora portuguesa Ângela Barreto Xavier “pela sua profunda pesquisa e sofisticada análise da conversão e violência no Império Português na Índia, especialmente em Goa”. O júri destaca a contribuição significativa da galardoada para a “história social e cultural do colonialismo português”, concretizando uma voz “importante e original” no que à história colonial e imperial diz respeito.

Cinema

Peregrinação interior

Clint Eastwood é Clint Eastwood e um filme seu – mesmo aparentemente em tom menor – merece sempre uma visita. E, aos noventa e um anos do realizador, sabe bem fazer esta viagem com ele e com os seus companheiros. Muito se pode aprender. De facto, é de uma longa viagem que se trata – os contadores de histórias falariam da “jornada do herói” – durante a qual a redenção vai acontecendo. Porque é sempre de uma viagem interior que se trata.

Exposição Hergé

Um hino à liberdade e à aventura

A exposição Hergé, que está patente na Gulbenkian, tem merecido a atenção de um público numeroso de várias gerações, atraído pela criatividade do fundador da escola da “linha clara”, pela lembrança das aventuras que povoaram a nossa infância e pelos mais jovens, animados pela versatilidade, pela cor, pelo movimento e pela imaginação.

Cinema

“Pathos Ethos Logos”: Seremos salvos?

As personagens desta obra monumental, Pathos Ethos Logos, a que custa referir-nos como sendo um filme (?) – Luís Miguel Cintra chama-lhe “calhamaço” – são como visitantes de museus. Olham, são vagamente testemunhas da vida que passa. Não exprimem emoções por aquilo que veem.

Leituras encenadas em Lisboa

Fogo e ressurreição no teatro clássico português

Três peças de teatro que “partilham uma singularidade incomum e um imaginário maravilhoso e mágico”, nas quais “o inesperado acontece e somos puxados com mão inventiva para o onírico, o fantástico e o feérico, por via do sonho”. Tal é a síntese do programa da 6ª edição do Festival Clássicos em Cena, que se inicia nesta segunda-feira.

António Osório (1933-2021)

“Limpamente diante de Deus”

Realiza-se esta segunda-feira o funeral de António Osório, um dos grandes poetas contemporâneos, que morreu na quinta-feira aos 88 anos. Obras como, por exemplo, A Raiz Afectuosa (1972), A Ignorância da Morte (1978), O Lugar do Amor (1981) ou Décima Aurora (1982) são referências incontornáveis da história da poesia portuguesa actual.

Novo trabalho

Nick Cave apresenta sete novos salmos

Perguntaram a Nick Cave o que anda a fazer e o músico australiano revelou que terminou a gravação de uma nova obra intitulada Seven Psalms. Mas não sabe ainda o que lhe fará. E deu a conhecer um dos textos, o sexto salmo, que republicamos.

A mulher e os temas de Paulina Chiziane

Tambores rufando ao sabor dos ventos do Prémio Camões 2021

A primeira vez que ouvi falar na Paulina Chiziane foi na Faculdade de Letras da Universidade Eduardo Mondlane, instituição na qual ela e eu estudámos. Frequentámos o curso de Linguística, com saídas para essa área de saber, mais a Literatura. Não fomos colegas de turma. Ela tinha sido de um ano anterior ao meu. Feitas as contas, foi admitida nos anos 89/90 e eu fui aceite no semestre 90/91, segundo ano após a reabertura dessa instituição ora encerrada.

[D, de Daniel]

há uma voz que bebo

Viajo para uma voz que escorre como um lado aberto, uma boca como uma abertura de lança, quer dizer, lugar directo ao coração, degrau onde ajoelhamos por ter chegado à nascente. Sou de um sítio em que a água era de colher: “Vai colher água à fraga”, foi um dos mandamentos aprendidos na infância. E eu fazia como vira fazer: a fraga era uma pedra grande mas humilde diante da qual o corpo se movia à oração.

Patriarcado

Sé de Lisboa já tem sítio digital

Coincidindo com a celebração da dedicação da Sé Patriarcal, assinalada nesta segunda-feira, 25 de Outubro, foi colocado em linha o seu sítio digital, www.sedelisboa.pt, que reúne todas as informações mais relevantes sobre aquela que é a mais antiga igreja da capital portuguesa. 

Exposição e debate no Museu de Etnologia

Quando o espaço sagrado passa a património

O que têm em comum o santuário católico mariano de Fátima, a vila muçulmana andaluza de Mértola, a romântica e encantada Sintra e o bairro lisboeta e islâmico da Mouraria? E como podem coexistir em Fátima o catolicismo popular que domina o santuário, e o facto de outros cristãos, mas também hindus, muçulmanos, praticantes de religiões afro-brasileiras e de nova era procurarem o lugar?

Cinema

Plantar uma árvore no mar

Comecemos então por aquele barco no mar que leva uma planta e duas personagens. Apesar de Catarina Vasconcelos dizer que não é crente, ao contrário da avó e do avô, são muitos os sinais e as memórias do que podíamos chamar uma linguagem evangélica. Estou a tentar falar de um dos mais belos filmes que já pude ver, A Metamorfose dos Pássaros.

Na morte do poeta

para o Fernando Echevarría, mas não à sua memória

Conheci o Fernando Echevarría há alguns anos quando juntos animámos no Metanoia uma sessão sobre os nomes de Deus que a poesia enuncia em nós, ou não, ou só. Da sua sala sobre o rio aberta recordo cada gesto afável, a tenaz humildade de quem um dia disse, e fez, e um campo escolheu e o lavrou. Mas sobretudo uma orelha enorme suspensa sobre a tarde, à escuta do que talvez não fale.

(1929-2021)

Fernando Echevarría

Fernando Echevarría era um poeta desafectado, que ria com vontade, quando lhe contavam que um dos seus primeiros livros, “Introdução à filosofia”, constava nas prateleiras de uma biblioteca ao lado de Aristóteles. Considerava-se, às vezes, um simples homem, de modo levemente abrutalhado, com pouco jeito para preitos, vassalagens, convénios, mesuras ou trapalhadas.

Poesia

Ainda…

“Ainda há pouco houve um tempo que nos fechou em casa/ O que era deixou de ser e o presente congelou/ Estalou o verniz e os corações se revelaram/ O invisível deu-se a ver no sofrimento e solidão”…

Saborear os Clássicos (VI )

“Pensa Fraternalmente” – Um Fernando Pessoa desconhecido

Pedro Teixeira da Mota investigou na célebre arca de Pessoa, e também no espólio do poeta na Biblioteca Nacional, textos na sua maioria inéditos, relativos à Metafísica, Esoterismo, Caminho Iniciático. Em geral, não é muito referida nem objecto de estudo e de investigação esta vertente pessoana, sobre a qual Maria Eugénia Abrunhosa se debruça neste texto.

Filmes, debates e edições

Jean Moulin enterrou a pistola, mas cumpriu o “banal dever cívico” de resistir; agora, será evocado em Lisboa

Quando se tornou líder da Resistência francesa ao nazismo, foi-lhe dada uma pistola que ele enterrou e nunca usaria. Jean Moulin foi um cidadão banal que entendeu que o seu dever era resistir à barbárie. Uma quinzena de actividades em Lisboa evoca a sua passagem por Portugal, onde durante cinco semanas redigiu um importante relatório que permitiria unir a Resistência.

José Cardoso Pires por Bruno Vieira Amaral

Um Grande Homem: Integrado Marginal

Integrado Marginal foi leitura de férias junto ao mar, entre nevoeiros e nortadas que me levavam a recorrer a esplanadas cobertas para ler enquanto tomava um café bem quente. Moledo do Minho no seu inquieto esplendor… e capricho! Tinha lido algumas obras de José Cardoso Pires: Lisboa. Livro de Bordo (feito para a Expo 1998); O Burro em Pé (livro para crianças); Alexandra Alpha; De Profundis: Valsa lenta; O Delfim.

Cinema

Às vezes, nem o amor consegue salvar-nos

Falling, que em Portugal teve o subtítulo Um Homem Só, é a história de um pai (Willis) e de um filho (John) desavindos e (quase) sempre em rota de colisão, quer dizer, de agressão, de constante provocação unilateral da parte do pai, sempre contra tudo e contra todos.

Edgar Morin em entrevista

Só a capacidade de nos maravilharmos sustenta a resistência à crueldade e ao horror

“Se formos capazes de nos maravilhar, extraímos forças para nos revoltarmos contra essas crueldades, esses horrores. Não podemos perder a capacidade de maravilhamento e encantamento” se queremos lutar contra a crise, contra as crises, afirmou Edgar Morin à Rádio Vaticano em entrevista conduzida pela jornalista Hélène Destombes e citada ontem, dia 18 de setembro, pela agência de notícias ZENIT

Estreia na Igreja de São Tomás de Aquino

Das trincheiras da Grande Guerra pode ter nascido este concerto sobre o mundo

“Os primeiros esboços deste texto terão surgido nas trincheiras da Primeira Guerra Mundial”, explica o compositor Alfredo Teixeira, autor da Missa sobre o Mundo, obra para órgão e voz recitante que terá a sua estreia mundial absoluta no próximo sábado, 18 de Setembro, às 16h30 (entrada livre, sujeita ao número de lugares existentes). A obra, construída a partir de excertos do texto homónimo de Pierre Teilhard de Chardin (1881-1955), padre jesuíta e paleontólogo, abrirá a temporada de concertos na Igreja Paroquial de São Tomás de Aquino, em Lisboa.

Cinema

Um machado, uma mulher e um cão

Se gosta de cinema e ainda for a tempo, não deixe de ver o filme de Pedro Almodóvar A Voz Humana. É uma curta-metragem (cerca de 30 minutos), complementada por uma entrevista muito interessante e esclarecedora com o realizador e a actriz, Tilda Swinton.

Terras Sem Sombra

O festival de música vai à pesca no mar de Sines

O Festival Terras Sem Sombra regressa neste fim-de-semana, com uma paragem em Sines e um programa que inclui música com o ensemble checo Clarinet Factory e duas propostas sob o signo do mar: conhecer as artes tradicionais da pesca e o património ligado à actividade piscatória do porto de Sines; e sensibilizar para a biodiversidade aprendendo a reconhecer os peixes, crustáceos e moluscos daquela zona da costa alentejana.

Livro

Conduzidos até ao Sétimo Dia

A escrita de Daniel Faria não permite leituras rápidas ou imediatas: leituras que, por outras palavras, fechem a força do texto e o encerrem numa “mensagem”. Chegará o tempo, a prolongar-se, dos ensaios de leitura pessoais deste inédito agora publicado sob o título de Sétimo Dia; este é o momento de dar a notícia, de chamar a atenção, de convidar à leitura, de dizer: está aqui. É uma ocasião a marcar.

Avanca Film Festival

Há festa na aldeia do cinema

Não é só um festival de cinema no sentido clássico do termo. Antes, cruzamento de várias artes e horizontes, palco dos Encontros Internacionais de Televisão, Vídeo, Multimédia. O Avanca Film Festival é tudo isto e muito mais. Também ajuda a fazer filmes, a desvendar os segredos da câmara e os jovens, cada vez em maior número, chegam atraídos pelo conhecimento e prazer das imagens. Não sei se o país lhes dará a atenção merecida. O festival continua vivo e recomenda-se. Vinte e cinco anos depois, fintou a pandemia e reinventou-se.

Em causa transformação em mesquita

Turquia arrisca conflito com Unesco por causa de Hagia Sophia

O Comité do Património Mundial da UNESCO não concorda com a decisão do governo turco de transformar a igreja de Hagia Sophia, em Istambul, e o mosteiro de Chora em mesquitas. Na sua 44ª sessão, de 23 de julho de 2021, o órgão, que representa 21 países, lamentou a decisão da Turquia, apesar dos repetidos apelos para salvaguardar sua condição de museu aberto a todos (no país existem 82.603 mesquitas e apenas 438 museus, 91 dos quais na cidade do Bósforo).

Monumento e jardim aberto ao público

Capela dos Coimbras, aberta ao público, quer ser “ex-líbris” de Braga

A capela privada mais antiga de Braga, localizada no centro histórico da cidade e que está classificada como monumento nacional, abriu ao público esta quarta-feira, 28 de julho. Os seus proprietários querem torná-la um ponto de paragem obrigatório de Braga, “quer pelo valor patrimonial e artístico que encerra, quer pelo seu jardim com esplanada, onde a partir de agora é possível usufruir do espaço, assistir a concertos e outras iniciativas culturais ou tomar alguma refeição ligeira.

Música, património e natureza

Festival Terras sem Sombra revisita herança judaica em Castelo de Vide

O Festival Terras sem Sombra apresenta, na Igreja Matriz de Santa Maria da Devesa (31 de Julho, 21h30), o concerto pelo reputado Utopia Ensemble, que interpreta obras da polifonia europeia. O festival junta as memórias judaicas de Castelo de Vide, revisitadas na acção de património (31 de Julho, 15h), e as deslumbrantes paisagens da Serra de S. Mamede (1 de Agosto, 9h30), com a rica biodiversidade deste território por horizonte.

Lançamento

Um livro para entender o imaginário católico de Sting

Evyatar Marienberg, historiador da religião na Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill, escreveu um livro sobre a imaginação católica de Sting e de como ela alimentou a sua criatividade. Antes de ser quem é na cena do rock internacional como o principal compositor e vocalista do Police, Sting (nascido Gordon Sumner em 1951) cresceu na cidade de Wallsend, Inglaterra, e frequentou escolas católicas. Recebeu o Crisma aos 14 anos e casou-se com sua primeira esposa na Igreja Católica aos 25 anos.

Ferreira de Almeida lido por Herculano Alves

A Bíblia atirada ao mar já vai em 200 milhões de cópias

Uma primeira edição da primeira tradução completa da Bíblia para português atirada ao mar por estar “cheia de erros” é um dos pontos de partida da investigação do frade capuchinho e investigador em ciências bíblicas Herculano Alves. Esse trabalho deu origem à obra A Bíblia em Portugal, em seis volumes, que nesta quinta-feira, 1 de Julho, será apresentada em Gouveia, num dos actos preparatórios do congresso internacional A Bíblia na Cultura Ocidental, que se realiza no próximo ano.

Pré-publicação exclusiva

O jovem seminarista que protestou com a má comida e viria a ser patriarca de Lisboa

O 7MARGENS reproduz, em exclusivo e na quase totalidade, o prefácio do actual patriarca e o testemunho do antigo secretário do cardeal Ribeiro, constantes na segunda edição de “D. António Ribeiro – Patriarca de Lisboa”, que será posta à venda na próxima terça-feira, dia 29. O livro, da autoria dos jornalistas José António Santos e Ricardo de Saavedra, é editado pela Paulinas.

Teatro

Leituras encenadas trazem clássicos do século de ouro do teatro português

Quinze textos do “século de ouro” da cultura e do teatro em Portugal serão recriados com leituras encenadas, pelo grupo Teatro Maizum, no Festival de Teatro Clássico Português, que decorre na semana que agora se inicia, entre segunda-feira, 21, e sexta, 25 de Junho, sempre a partir das 19h. O Festival integra ainda, no último dia, entre as 14h15 e as 18h30, as primeiras Jornadas de Teatro Clássico Português, que contarão com a participação de especialistas portugueses e brasileiros.

Cinema

Srebrenica, 25 anos depois

É um filme de visão obrigatória para todos, a começar pelos mais jovens que nem sequer têm memória destes acontecimentos, apesar de tão recentes. E porquê? Porque era fundamental que tragédias hediondas e desnecessárias como esta não voltassem a repetir-se. E, infelizmente, para nossa vergonha, continuam a acontecer, de maneiras várias, em muitos lugares do nosso Mundo, desta Casa Comum que devia ser da fraternidade e da paz, da amizade e da justiça.

Colóquio em Coimbra

Santo António, crítico da “economia viciosa” e “filósofo” da conversão moral

É necessária e urgente uma “economia ética da casa comum”, inspirada no pensamento de Santo António e na sua crítica à “economia viciosa e de pecado”. A ideia será defendida pelo padre franciscano Vítor Melícias, que intervém na manhã deste sábado no colóquio Santo António – 800 anos de vocação franciscana, que decorre no Mosteiro de Santa Cruz, em Coimbra.

Livro

As casas e os espaços dos primeiros cristãos

Esta obra apresenta uma coletânea de textos dos quatro primeiros séculos sobre os espaços que os cristãos criaram para celebrar a sua fé, desde homilias a catequeses pascais, de cartas a escritos teológicos. O leitor é introduzido neste património literário por um amplo estudo de Isidro Lamelas.

Concerto em Lisboa

Música de Pärt e Teixeira para um tempo de confiança

Hinário para um tempo de confiança, obra musical de Alfredo Teixeira, sobre textos de frei José Augusto Mourão, e The Beatitudes (As bem-aventuranças), do estoniano Arvo Pärt, raramente interpretada em Portugal, são as duas peças que marcam o regresso do Ensemble São Tomás de Aquino à sua temporada de concertos, neste sábado, 5 de Junho, às 21h, na Igreja Paroquial de São Tomás de Aquino (R. Virgílio Correia, em Lisboa).

Dia Mundial dos Oceanos

“Ilhas de Plástico” no rio Minho apelam à luta ambiental

Artista idealizou como metáfora do tempo um conjunto de 24 esculturas esféricas de grande dimensão forradas com materiais de plástico, garrafas de água, tubos de diferentes cores e feitios idênticos aos utilizados na construção civil. Unidas entre si formam uma mega-instalação flutuante e ondulante, atractiva, pedagógica, capaz de provocar olhares desencontrados. No próximo dia 8 de Junho, Dia Mundial dos Oceanos, estará fundeada no rio Minho.

Giacomo Campanile

O professor que ensinou religião e música ao vocalista vencedor da Eurovisão

Giacomo Campanile, docente de Religião no Liceu Eugenio Montale, em Roma – “estou aqui há 26 anos” – pode afirmar que viu nascer e crescer musicalmente o vocalista do conjunto que pouco tempo antes tinha também arrebatado o primeiro prémio de uma das iniciativas musicais mais importantes de Itália, o festival de San Remo. Agora, os Måneskin venceram o festival Eurovisão 2021,

Saborear os Clássicos V

Júlio Dinis – a modéstia e o perfume das violetas

O escritor Júlio Dinis (1839-1871) – na verdade o médico Joaquim Guilherme Coelho – nasceu de uma família da alta burguesia portuense. O pai, médico; a mãe de origem inglesa e irlandesa – os avós, pelo menos, comerciantes, já cá viviam. Estuda na Escola Médica. Acabado o curso com distinção, torna-se lente nessa Escola. Siga aqui neste artigo o seu percurso como autor

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

De 1 a 31 de Julho

Helpo promove oficina de voluntariado internacional

  Encerram nesta sexta-feira, 24 de Junho, as inscrições para a Oficina de Voluntariado Internacional da Helpo, que decorre entre 1 e 3 de Julho. A iniciativa é aberta a quem se pretenda candidatar ao Programa de Voluntariado da Organização Não Governamental para...

Agenda

There are no upcoming events.

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This