Curso sobre “Os vastos palácios da memória”

Curso sobre filosofia e espiritualidade junta feministas, romancistas e místicos

| 11 Jan 2024

“Esses tesouros, diz ainda a coordenadora científica do curso, são – com a excepção de três Diálogos, de Platão – predominantemente da contemporaneidade. Há três obras e autores da área da filosofia: Memórias de uma Menina Bem Comportada, de Simone de Beauvoir, que inaugura o curso, já na próxima segunda-feira, 15 de Janeiro; O Perdão Pode Curar?, de Paul Ricoeur; e Matéria e Memória, de Henri Bergson.”  Foto © Jorge Wemans

 

A feminista Simone de Beauvoir, a judia assassinada em Auschwitz Etty Hillesum, a escritora “romântica” Daphne du Maurier, a “modernista” brasileira Adélia Prado ou o místico e monge católico Thomas Merton podem ter algo em comum? Todos integram, com obras suas, o curso de “Filosofia, Literatura, Espiritualidade”, que vai para a sua 9ª edição e é promovido pela Comunidade da Capela do Rato, em Lisboa, sob a coordenação científica de Maria Luísa Ribeiro Ferreira, professora da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e colaborada do 7MARGENS.

O curso, com o título “Os Vastos Palácios da Memória” nesta edição, inicia-se na próxima segunda-feira e permite a participação presencial ou por streaming. Na sua crónica neste jornal, a coordenadora explicou que o tema deste ano é inspirado num trecho das Confissões de Santo Agostinho, para evocar a relação com o tempo: “Dirijo-me para as planícies e os vastos palácios da memória, onde estão tesouros de inumeráveis imagens veiculadas por toda a espécie de coisas que se sentiram.”

Esses tesouros, diz ainda a coordenadora científica do curso, são – com a excepção de três Diálogos, de Platão – predominantemente da contemporaneidade. Há três obras e autores da área da filosofia: Memórias de uma Menina Bem Comportada, de Simone de Beauvoir, que inaugura o curso, já na próxima segunda-feira, 15 de Janeiro; O Perdão Pode Curar?, de Paul Ricoeur; e Matéria e Memória, de Henri Bergson.

Do domínio da literatura haverá sessões sobre Umberto Eco (A Misteriosa Chama da Rainha Loana), Daphne du Maurier (Rebecca), Fernando Dacosta (O Botequim da Liberdade), Ilse Llosa (O Mundo Em Que Vivi) e Teolinda Gersão (A Casa da Cabeça de Cavalo). O conjunto completa-se com obras da área da espiritualidade: Diário (Etty Hillesum), O Memorial (Pascal), Tudo o Que Existe Louvará (Adélia Prado) e Nenhum Homem É Uma Ilha (Thomas Merton).

As sessões decorrem semanalmente até 22 de Abril, entre as 18h30 e as 20h. O programa completo e o formulário para inscrição estão disponíveis na página digital da Capela do Rato.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Onde estão as mulheres na música litúrgica católica?

Onde estão as mulheres na música litúrgica católica? novidade

Na música, um dos ministérios mais estruturantes da liturgia católica, este paradigma mantém-se, embora com nuances particulares: salvo algumas (felizmente, cada vez mais) exceções, o ministério do canto, domingo a domingo, é, em Portugal, sustentado maioritariamente por mulheres e a regência dos coros é, preferencialmente, entregue a homens

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This