Dalai Lama celebra 85 anos com lançamento de um disco

| 8 Jul 20

Tenzin Gyatso, o atual Dalai Lama: 85 anos e um disco com os seus mantras e as suas reflexões. Foto: Direitos reservados.

 

Quando fez 80 anos, ouviu milhares de pessoas cantarem-lhe os parabéns no festival de música rock de Glastonbury, durante o concerto da artista norte-americana Patti Smith. Cinco anos depois, o Dalai Lama assinalou esta segunda-feira, 6 de julho, o seu 85º aniversário com o lançamento do seu próprio álbum. O disco, que mistura a voz do líder espiritual tibetano entoando ensinamentos e meditações com música instrumental original ao estilo new age, chama-se Inner World e já está disponível nos serviços de streaming.

A produção ficou a cargo do casal de músicos neozelandeses Junelle e Abraham Kunin, que tiveram a ideia para o projeto há vários anos e aproveitaram uma viagem à Índia, em 2015, para lançar o desafio ao Dalai Lama através de uma carta manuscrita que entregaram a um dos seus assistentes. A resposta positiva não se fez esperar, conta a revista Rolling Stone.

Durante as gravações, feitas na casa do próprio Dalai Lama, em Dharamsala, ele explicou a Junelle porque tinha aceitado o desafio. “Falou-nos de como a música pode ajudar as pessoas de uma forma que ele não pode; consegue transcender as diferenças e devolver-nos à nossa verdadeira natureza e aos nossos bons corações”, recorda a artista. “Estava tão entusiasmado!”

Ao longo de 11 faixas, é possível escutar o líder espiritual a recitar os mantras de sete Buddhas, bem como as suas reflexões sobre temas como a sabedoria, a coragem ou a cura.

Os lucros obtidos com as vendas do álbum reverterão na sua totalidade para o Instituto Mind & Life e para o programa educativo internacional Social, Emotion and Ethical Learning, que foi desenvolvido pelo próprio Dalai Lama em parceria com a Emory University, nos EUA.

“One Of My Favourite Prayers” é a segunda faixa do álbum de Dalai Lama, Inner World.

 

Artigos relacionados

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

Futebolistas afegãs acolhidas em Portugal pelo JRS

Amnistia: “declínio humanitário” a Leste

Futebolistas afegãs acolhidas em Portugal pelo JRS

Um grupo de 220 cidadãos afegãos, incluindo as restantes 115 jogadoras e seus familiares da da Equipa Nacional de Futebol Juvenil Feminino do Afeganistão, será acolhido em Portugal, depois de ter sido resgatado do país. O anúncio foi feito pelo Serviço Jesuíta aos Refugiados (JRS Portugal) e pela Romulus T. Weatherman Foundation, num comunicado enviado ao 7MARGENS pelo JRS.

É notícia

Entre margens

Combater bem o mal novidade

Os tempos que se vivem na Igreja Católica suscitam especial dor a todas as pessoas, sejam ou não crentes, provocando revolta em muitos contra um aparentemente imobilismo na resposta a uma crise que já se prolonga por demasiado tempo. A Igreja, enquanto realidade operante no mundo, não ficou imune a este fenómeno transversal à humanidade que é o abuso sexual de menores.

Encontra um trabalho que não amas, não perderás um minuto da tua vida novidade

Ainda antes de acabar o curso fui à minha primeira entrevista de trabalho “a sério”, numa produtora de filmes num bairro trendy de Lisboa. Roubei um dia à escrita da tese de mestrado, apanhei o comboio e lá fui eu, tão nervosa quanto entusiasmada. O dono começou por me perguntar se fazer cinema era o meu sonho. Fiquei logo sem chão. Sofri, desde muito cedo, de um mal que me acompanha até hoje: sonhava demais e muitos sonhos diferentes.

Cultura e artes

Exposição Hergé

Um hino à liberdade e à aventura

A exposição Hergé, que está patente na Gulbenkian, tem merecido a atenção de um público numeroso de várias gerações, atraído pela criatividade do fundador da escola da “linha clara”, pela lembrança das aventuras que povoaram a nossa infância e pelos mais jovens, animados pela versatilidade, pela cor, pelo movimento e pela imaginação.

Sete Partidas

As prateleiras vazias

Teria eu uns 6 anos quando um dia o meu pai trouxe para casa uma pasta de chocolate Jubileu. Creio que a terá ganho num torneio de cartas, daqueles que se fazem nas aldeias, para angariar fundos para as festas da paróquia. Lembro-me bem disso porque não era nada normal termos acesso a essas lambarices. Na minha memória, o chocolate terá durado uns dias, ou semanas, porque o dividimos em pequenos pedaços. Para render e saborear.

Aquele que habita os céus sorri

Agenda

[ai1ec view=”agenda” events_limit=”3″]

Ver todas as datas

Parceiros

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This