Iniciativa da Pax Christi

De 21 de setembro a 2 de outubro serão “Dias de Ação pela Não-violência”

| 20 Set 2023

Manifestação em Lisboa pela paz na Ucrânia, diante da Embaixada da Rússia, domingo, 27 de Fevereiro 2022. A manifestação pelas juventudes partidárias e teve a adesão de muitos ucranianos. Foto © António Marujo

Cada pessoa ou grupo tem liberdade para definir as suas próprias ações: o importante é que todos estejam “unidos em solidariedade para promover e celebrar a não-violência”. Foto © António Marujo

 

Esta quinta-feira 21 de setembro, celebra-se o Dia Internacional da Paz. No próximo dia 2 de outubro, assinala-se o Dia Internacional da Não Violência. Entre ambas as datas, o movimento católico Pax Christi International promove os “Nonviolence Days of Action” (em português, “Dias de Ação pela Não-violência”) e todos, em qualquer parte do mundo, são convidados a aderir: seja estudando, rezando, atuando, dando testemunho ou celebrando de alguma forma o poder da não-violência.

No sítio oficial desta organização católica, há inúmeras sugestões concretas e recursos para aqueles que queiram associar-se a estes dias de ação, desde orações a vídeos de ações anteriores, passando pelo “voto de não-violência” em sete idiomas diferentes, histórias inspiradoras de “heróis da não violência” e links para as páginas de algumas associações ou comunidades que aderiram à iniciativa em todo o mundo. Mas cada pessoa ou grupo tem liberdade para definir as suas próprias ações: o importante é que todos estejam “unidos em solidariedade para promover e celebrar a não-violência”.

A iniciativa, que este ano tem como tema “Bem-aventurados os pés daqueles que trazem a não-violência”, está alinhada com a Campanha Não-Violência (promovida pelo movimento Pace e Bene), a Semana de Oração pela Paz na Palestina e em Israel (promovida pelo Conselho Mundial de Igrejas) e o Tempo da Criação (celebração ecuménica anual de oração e ação pela casa comum, oficializada pelo Papa Francisco em 2015).

 

Vaticano não identificou “má conduta ou abuso” por parte de cardeal Lacroix

Investigação suspensa

Vaticano não identificou “má conduta ou abuso” por parte de cardeal Lacroix novidade

A Sala de Imprensa da Santa Sé anunciou esta terça-feira, 21 de maio, que a investigação canónica preliminar solicitada pelo Papa Francisco para averiguar as acusações de agressão sexual contra o cardeal canadiano Gérald Cyprien Lacroix não prosseguirá, visto que “não foi identificada qualquer ação como má conduta ou abuso” da parte do mesmo. O nome do prelado, que pertence ao Conselho dos Cardeais (C9), foi um dos apontados numa grande ação coletiva a decorrer no Canadá, listando supostas agressões sexuais que terão ocorrido na diocese do Quebeque, nos anos 1980.

Prémio de direitos humanos para marroquina Amina Bouayach é “instrumento de propaganda”

AAPSO denuncia

Prémio de direitos humanos para marroquina Amina Bouayach é “instrumento de propaganda” novidade

Amina Bouayach, Presidente do Conselho Nacional dos Direitos Humanos (CNDH) de Marrocos, recebeu esta terça-feira, 21 de maio, na Assembleia da República, em Lisboa, o Prémio de Direitos Humanos do Centro Norte-Sul do Conselho da Europa 2023. Mas a Associação de Amizade Portugal – Sahara Ocidental (AAPSO) considera, no mínimo, “estranha” a atribuição do galardão à marroquina.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Senhora do Rosário: Que batalhas há para vencer?

Senhora do Rosário: Que batalhas há para vencer? novidade

A exposição, intitulada «Mês de Maio. Mês de Maria», que tem por curador o Prof. José Abílio Coelho, historiador, da Universidade do Minho, conta com as principais ‘apresentações’ de Nossa Senhora do Rosário, sobretudo em escultura e pintura, que se encontram dispersas por igrejas e capelas do arciprestado de Póvoa de Lanhoso. Divulgamos o texto, da autoria do Padre Joaquim Félix, publicado no catálogo da exposição  «A Senhora do Rosário no Arciprestado Povoense».

Igreja portuguesa precisa de “abertura de horizontes” no âmbito da evangelização

Bispos após encontro com Secretaria do Sínodo

Igreja portuguesa precisa de “abertura de horizontes” no âmbito da evangelização novidade

O vice-presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, Virgílio Antunes, reconheceu que a Igreja Católica em Portugal tem necessidade de uma “abertura de horizontes” no âmbito da evangelização, nomeadamente no “acolhimento das pessoas”. Para o bispo de Coimbra, – que falou aos jornalistas após o encontro com a Secretaria Geral do Sínodo, que decorreu esta segunda-feira, 20 de maio, em Roma – é preciso fomentar “uma relação mais eficaz e mais eclesial entre os membros da hierarquia, a generalidade dos cristãos leigos, dos consagrados do povo de Deus”.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This